Descubra aqui quais profissões e cursos os presidentes do Brasil fizeram.

O chefe da nação não precisa ser formado em curso superior, porém, alguns ex-presidentes já exerceram diversas profissões como: direito, medicina, economia, sociologia e tantas outras.

Muita gente pode imaginar que para exercer a presidência do Brasil seja necessário ser formado em um curso superior, só que não. Na verdade, não há uma carreira específica para o cargo, muitos ex-presidentes que tiveram a nação em suas mãos são graduados por isso fizemos uma lista de 10 ex-chefes da nação e suas faculdades.

1 – Getúlio Dornelles Vargas

Exerceu o mandato de Presidente da República de 1930 a 1945 e novamente foi eleito em 1950 até 1954 (Era Vargas). Formado em Direito pela UFRGS, Getúlio exerceu sua profissão pela primeira vez como Promotor Público no Fórum de Porto Alegre.

2 – Juscelino Kubitschek

Governou a nação nos anos de 1955 a 1960, tornando-se popular por ter transferido a capital do Rio de Janeiro para Brasília. O político formou-se Médico na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em seguida foi para a França onde especializou-se em Urologia. Ele também foi capitão-médico no Hospital Militar.

3 – Jânio Quadros

Foi eleito em 1961, mas seu governo foi curtíssimo, durou somente 7 meses, pois o presidente eleito renunciou sob o pretexto de que algumas força oculta tramava contra ele. Ficou conhecido em sua campanha por usar uma vassoura como símbolo, afirmando que varreria todos os corruptos do Brasil.

Jânio estudou Direito na USP. Além de dar aulas de geografia em colégios de muita tradição na capital paulista, ele também ensinou na Faculdade de Direito da Universidade Presbiteriana da Mackenzie.

4 – João Goulart

Esse político assumiu a presidência do país logo após a renuncia de Jânio. Governou de 1961 a 1964. Foi durante seu governo que o Brasil passou pelo Golpe Militar, resultando em quase 21 anos de Ditadura.

Jango, como era conhecido, estudou Direito na UFRGS tornando-se advogado. Exerceu a profissão por poucos anos e logo partiu para o que lhe interessava, a política.

5 – Tancredo Neves

Tancredo Neves elegeu-se Presidente do Brasil em 1985, mas não chegou a tomar posse, faleceu na véspera da posse. Também formou-se em Direito pela UFMG em 1932 e atuou na profissão por muitos anos.

6 – José Sarney

Vice de Tancredo Neves, assumiu o cargo de presidente da nação logo após sua morte, de 1985 a 1989. A constituição de 1988 foi aprovada dentro do seu governo e trouxe várias conquistas ao país, como o fim da censura e outros.

Sarney formou-se em Direito na UFMA e trabalhou na área como professor, até que optou pela política.

7 – Fernando Collor

Eleito em 1990 através de eleições diretas, só ficou no cargo por 2 anos, em 1992 sofreu o impeachment por corrupção, porém, renunciou e ficou impedido de eleger-se por 8 anos.

Collor formou-se em Ciências Econômicas em 1972 na UFAL e trabalhou na área atuando nas empresas da família.

8 – Itamar Franco

Em seu lugar assumiu Itamar Franco, de 1992 a 1994. Em seu governo efetivou o Plano Real. Itamar Franco formou-se em Engenharia Eletrotécnica em 1965, na UFJF, sendo o único presidente engenheiro do país.

9 – Fernando Henrique Cardoso

Eleito por dois mandatos seguidos de 1995 a 1998 e de 1998 a 2001. Em seu governo fez várias privatizações e implantou a política neoliberal.

FHC é formado em Sociologia pela USP e tornando-se doutor em Ciências Sociais em 1961.

10 – Dilma Rousseff

A primeira mulher eleita Presidente do Brasil, Dilma Rousseff governou de 2010 a 2014 e no segundo mandato, de 2015 até 2016, quando sofreu impeachment. No governo Lula foi sua Ministra.

Dilma iniciou seu curso de Economia em 1967, na UFMG, mas parou por causa da Ditadura Militar, quando foi expulsa do país. Na volta passou na UFRGS novamente em economia, em seguida fez mestrado e doutorado na Unicamp.

Por Ruth Galvão


Indústria de autopeças foi o setor que mais se desenvolveu, contando com média salarial de 45,80% acima da média nacional

Na sua opinião, quais são as áreas com as maiores médias salariais do País? Segundo uma pesquisa elaborada pela Catho, a área que mais se desenvolveu foi a indústria de autopeças, que conta com a média salarial de 45,80% acima da média nacional, que corresponde a R$ 2.040,00. Os principais ramos da atividade são:

1) Indústria de autopeças – 45,80% acima da média;

2) Mineração, extração de óleo e gás – 42,30% acima da média;

3) Fabricação de equipamento elétricos e eletroeletrônicos – 38,60% acima da média;

4) Fabricação de papel e similares – 35,53%;

5) Fabricação de equipamento e maquinário industrial, hidráulico e para construção – 33,36% acima da média;

6) Eletricidade, gás, água e serviços sanitários – 26,10% acima da média;

7) Fabricação de calçados – 24,69% acima da média;

8) Fabricação de equipamentos de transporte – 23,81% acima da média;

9) Indústria automotiva – 19,37% acima da média;

10) Agricultura, agropecuária, silvicultura e pesca – 19,11% acima da média.

Na  pesquisa anterior, o destaque era o setor de mineração, extração de óleo e gás, que atualmente está ocupando a segunda posição, conforme pode ser visto na lista acima. Além disso, o estudo elaborado pela Catho também mostrou as áreas que mais cresceram nos últimos 12 meses, tendo destaque o setor de vigilância e transporte de valores com 24,05%, seguido pela área de indústria de equipamento e entretenimento com 20,73%, hotelaria e turismo com 14,17%, setor de agência de propaganda com 5,80% e instituições de ensino médio e fundamental com 5,17%.

Os níveis de escolaridade também refletem na média salarial: um diretor que não concluiu a graduação tem uma média salarial a R$ 14.196,64 e o profissional que investiu em mestrado ou doutorado, por exemplo, este valor pode passar a ser de R$ 19.705,36.

Essa pesquisa de salários e benefícios é realizada pela Catho a cada três meses. Este estudo foi realizado em 2 mil cidades do Brasil e teve mais de 480 mil participações. 

Por Babi


Já pensou em se tornar um Bibliotecário e ficar o dia inteiro em contato com livros? Se sim, fique atento, pois vamos dar algumas dicas valiosas a você que pretende seguir carreira como Bibliotecário. Mas saiba que você precisa gostar muito de estar em contato com livros, leitura e ambiente silencioso.

Mas, o que faz um Bibliotecário? Ele é o profissional que organiza o acervo de bibliotecas. Para tanto, ele precisa conhecer muito bem onde fica cada livro e ser bastante organizado. Além disso, ajudar a manter os livros em ótimo estado é outro fator preponderante. Mas não é só isso, o bibliotecário também pode trabalhar no ramo de pesquisa ou elaborar recursos informacionais, ações educativas e projetos de informação digital.

Para ser um Bibliotecário é necessário ter curso em Biblioteconomia, o qual tem duração de 4 anos. As principais disciplinas do curso são: história da ciência e tecnologia; linguística e documentação; comunicação e expressão; sistemas e métodos; linguagens documentárias; geração e uso de base de dados; política de informação tecnológica industrial; gerenciamento em informação empresarial; indexação e resumo. Para exercer a profissão o graduado precisa registrar-se no Conselho Regional de Biblioteconomia (CRB).

As principais características de um bibliotecário são: proatividade, capacidade de observação e organização, detalhista, interesse por diferentes culturas, boa memória, capacidade para lidar com público e dinamismo.

As principais tarefas que um Bibliotecário desenvolve é analisar livros, revistas, documentos, fotos, filmes e vídeos. Realizar arquivamento, restaurar, encadernar e zelar por eles, manter banco de dados, organizar sites de informação, prestar consultoria e assessoria com as informações necessárias, recuperação de informações, entre outros.

O mercado de trabalho está em alta, haja vista a necessidade de pessoas no setor e grande parte das ofertas encontra-se no setor público, como é o caso da Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro. Já em São Paulo, a maior parte dos Bibliotecários trabalha em bibliotecas privadas. 

Por Luciana Viturino





CONTINUE NAVEGANDO: