Confira aqui algumas dicas para prova de Matemática do Enem 2018.

O Enem, Exame Nacional do Ensino Médio, consiste em um vestibular de grande importância realizado todos os anos. Como qualquer processo seletivo, ele causa certa apreensão nos estudantes, sobretudo no que tange às questões de Matemática. Esta matéria, em geral, assusta os concorrentes. Assim, algumas dicas são muito importantes para se realizar uma bem sucedida prova de matemática:

A – É necessário organizar os estudos e os descansos. Durante o preparo para a prova, é imprescindível saber lidar com as tensões a respeito das questões de matemática. Saber equilibrar o estudo preparatório e o lazer, combinar a concentração num horário e o sono, em outro. Iniciar o período de estudos do modo mais constante e rigoroso, fazendo aumentar gradativamente, até a véspera da prova, os momentos de lazer e relaxamento.

B – Treinar a concentração. Uma das atitudes mais corretas é saber deixar preocupações de lado, no momento de resolver as questões, principalmente as de matemática. Nada de conversas paralelas entre os corredores ou qualquer outra distração. A meta principal nas próximas semanas é buscar aprender matemática, ou melhor, saber solucionar problemas matemáticos.

C – Incluir a interpretação de texto nos estudos. Cada questão matemática possui um enunciado lógico, que precisa ser compreendido em seus detalhes. Matemática não tem “pegadinhas”, já que possui uma lógica perfeita. Portanto, é necessário prestar bastante atenção no sentido de evitar erros como os seguintes: a questão pede “metade do valor de x” e o aluno marca “o valor exato de x” em uma das alternativas disponíveis. Ler, voltar a ler, por fim, revisar a questão e só então marcar a resposta.

D – Saber Grifar, sublinhar e marcar os dados mais relevantes da questão. Algumas questões de matemática possuem textos mais longos, o que requer certo mapeamento de pontos principais. Sem perder muito tempo em questões longas, treine em exercícios o melhor método particular de abreviar a interpretação nestes casos.

E – Exercitar mais o raciocínio. Matemática não é apenas decorar fórmulas para resolver as questões do Enem. É importante exercitar o raciocínio no sentido de intensificar a capacidade intuitiva, e de estar pronto para encarar qualquer tipo de fórmula, dispensando macetes ou horas decorando. Portanto, voltamos à importância de se interpretar corretamente a questão e chegar ao seu efetivo resultado.

F – Em alguns casos é importante simplificar as contas. Por exemplo, uma questão propõe o seguinte: dividir 6200 por 300. Neste caso, é possível reduzir os zeros dos números, equacionando apenas 62 por 3. Deste modo, com mais treino de raciocínio, o estudante poderá simplificar contas mais complexas, por exemplo, 288 dividido por 60 reduzida a 24 dividido por 5. Em ambos os casos, o resultado será sempre 4,8. Todas as operações matemáticas podem ser realizadas desta maneira, com muito treino e atenção. É assim que se reduz a tensão diante delas.

G – Vale mais a pena iniciar pelas questões mais fáceis. Essa situação é aconselhável, em virtude do modelo estatístico utilizado com meta de determinar a nota final das provas do Enem. Portanto, o aluno que acerta uma quantidade de questões fáceis e difíceis, de modo equilibrado, alcança melhor nota em relação ao aluno que foca apenas nas questões mais difíceis e acerta poucas das fáceis.

H – Prestar muita atenção às ilustrações. Não existe uma norma que obrigue a existência de figuras geométricas em escala exata. Nem todo ângulo que figure numa questão, com figura geométrica, pode ser encontrado no transferidor do estudante. Antes de se apegar às figuras e ao seu formato, é imprescindível buscar conhecer todas as medidas possíveis. Intuir a medida das formas, independentemente dos tamanhos apresentados nas ilustrações.

I – Manter-se calmo durante a prova. É muito importante saber relaxar diante das questões, mesmo que seja necessária uma pausa para o banheiro. Alimentar-se bem, beber água, e, de certa forma, paradoxalmente falando, esquecer-se da prova, antes de iniciá-la. Sem surpreender-se, encará-la com naturalidade. Não esperar nada a não ser resolver as questões dentro de suas possibilidades pessoais.

Vale a pena conferir e orientar-se.

Paulo Henrique dos Santos


Confira aqui algumas dicas de como escolher o curso ideal para sua carreira.

Escolher o curso é uma responsabilidade enorme, pois é algo que irá mudar o futuro da pessoa, por isso é preciso pensar bem, analisar todas as possibilidades e claro, contar com a ajuda de quem tem mais experiência de vida. Por isso tantos estudantes sofrem neste momento, ao se depararem com o problema para o qual não estão preparados.

Algumas poucas pessoas, desde cedo já sentem vontade de seguir uma determinada profissão, já sabem o que devem fazer para se realizarem na vida, mas a grande maioria se vê perdida quando precisam escolher o caminho a seguir. Mas algumas dicas podem ajudar o jovem a se decidir neste momento, lembrando que os pais jamais devem pressionar os filhos, querendo que eles façam a faculdade que eles não puderam frequentar. Cada pessoa tem seus anseios, dons, necessidades, por isso esta escolha é única.

Cursos: o primeiro passo é selecionar alguns cursos com o qual se identifica mais. Se o jovem tiver que escolher um curso, a responsabilidade pesa, mas se ele puder selecionar alguns, então fica mais fácil. Analise bem as áreas com as quais se identifica mais e depois, aos poucos, vai fazendo novas seleções, excluindo um curso de cada vez e assim ficará mais fácil escolher quando sobrar apenas três ou dois para se decidir entre eles. Nesta etapa não basta apenas anotar os cursos em uma folha de papel e depois ir riscando um a um, até ver qual irá sobrar. É preciso partir para a parte prática, ou seja, procure se informar ao máximo, analise os prós e contras, converse com pessoas das áreas selecionadas, assim tomará uma decisão mais consciente.

Mercado de Trabalho: o jovem pode não ter grandes responsabilidades hoje, mas futuramente terá e ao escolher o curso ele estará tomando uma decisão que mexe com esta parte, ou seja, como ele estará dentro de alguns anos, então é impossível não analisar a parte financeira, ver se o mercado de trabalho oferece campo de atuação, se na cidade onde mora encontrará espaço ou se será preciso mudar para outro município, ou até mesmo outro estado, é preciso ver tudo isso agora, antes de definir o curso.

Teste vocacional: antigamente era muito popular os testes vocacionais, depois eles acabaram caindo no esquecimento e agora estão voltando a fazer sucesso, justamente pela quantidade enorme de jovens que estão encontrando dificuldade em escolher o caminho que deverão seguir. Entretanto, o jovem não deve se contentar apenas com os testes online, encontrados em vários sites na internet, é sempre bom ter o suporte de um profissional especializado nesta área, para ter certeza que a análise é válida. Algumas escolas já oferecem estes testes aos alunos que estão se formando, mas também é possível fazê-los com psicólogos e o jovem precisa ter em mente que o resultado é uma ajuda, não uma decisão final, a escolha é sempre dele.

Gastos: infelizmente, este momento na vida do jovem é quando ele precisa deixar os sonhos um pouco de lado e ser mais racional. Estudar envolve gastos, é preciso analisar quais as instituições de ensino superior estão oferecendo a graduação que tanto deseja, então é preciso ver as condições financeiras, se a família pode ou não ajudar, pois assim estará evitando perder tempo e dinheiro, tendo que parar futuramente por não ter mais condições de arcar com as despesas.

Local: por fim, é preciso ver onde a faculdade se encontra, se será preciso gastar com transporte público e no caso de ser em outra cidade, até se mudar para lá. Nesta hora é preciso ver também a questão da segurança, pois se o curso é a noite, saber que horas termina, como será o trajeto até chegar em casa, porque tudo isso precisa ser feito antes de definir que curso seguir, para não correr o risco de se arrepender depois.

Por Russel


Saiba o que é permitido levar e o que não é para a realização das provas do Enem.

Está chegando a hora para os alunos que estão o ano todo se preparando para a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), após muita dedicação os alunos precisam estar atentos não apenas para as questões das provas, mas também para o que pode ou não levar para a realização das questões.

Não serão permitidos:

· Lápis ou lapiseira

· Borracha

· Calculadora

· Celular e outros dispositivos eletrônicos

· Relógios

· Óculos escuros

· Bonés, chapéus e gorros

· Pen drive

· Postar fotos das provas nas redes sócias (com risco de eliminação da prova)

Para preenchimento do caderno de respostas e redação o candidato deverá responder apenas com caneta esferográfica de cor preta e de material transparente, pois outras cores não são aceitas pelo leitor óptico das respostas.

Alimentos e água serão permitidos desde que as embalagens sejam transparentes, os fiscais não permitem entrada de rótulos.

Celulares e aparelhos eletrônicos não serão permitidos, como todos os anos esses aparelhos deverão ser desligados e colocados em porta objetos, lacrados e deixados embaixo da mesa durante toda a realização da prova.

Para a realização da prova, o candidato deverá apresentar um documento original com foto, que pode ser carteira de identidade, identidade expedida pelo Ministério da Justiça (no caso de estrangeiros), carteira de trabalho, certificado de revista, passaporte ou carteira de habilitação.

Para deixar o local de prova é necessário que o candidato permaneça no mínimo duas horas após o início das provas.

Para levar o caderno de questões da prova, o candidato deverá sair apenas 30 minutos antes do final da prova.

Horários

Todos os anos é comum que os candidatos a realizar as provas do Enem sejam barrados por chegar atrasado. Outro ponto muito importante é ficar atento ao horário de abertura e fechamento dos portões para que todo o esforço não seja jogado fora.

Os portões de acesso serão abertos 12h e serão fechados 13h, de acordo com o horário de Brasília (DF). A prova deverá ter início às 13h30.

Diferente de outros anos, a prova do Enem será realizada em dois domingos consecutivos, nos dias 5 e 12 de novembro. No primeiro domingo a prova poderá ser realizada até às 19h e serão cobradas matérias de ciências humanas, redação e linguagens, no dia 12 serão cobradas matemática e ciências da natureza, a prova vai até 18h.

Locais das provas

Para se programar é importante que o candidato verifique seu local de prova e saia com antecedência de casa.

Os locais das provas estão disponíveis aqui (enem.inep.gov.br/participante) no site do Enem. Para acessar o local o candidato deverá digitar o número do CPF e a senha de cadastro – feita no ato da inscrição.

O local onde cada candidato irá realizar a prova foi separado de acordo com a localização de cada um.

Para evitar transtornos é importante que o candidato conheça seu local de prova com antecedência, visitar o local e fazer simulações do trajeto diminuem as chances de perder a prova.

Enem 2017

Este ano a prova do Enem vem acompanhada de algumas novidades, além da prova ser aplicada em dois domingos, este ano o Enem não será mais válido para conclusão do ensino médio, ou seja, as declarações não serão mais emitidas.

Além disso, as provas terão os nomes impressos nos cadernos de questões.

No ato da inscrição também era possível realizar um pedido de tempo adicional para a realização das provas.

O gabarito das provas será divulgado no dia 16 de novembro e o resultado com o desempenho individual de cada candidato está previsto para sair em janeiro de 2018. O espelho da redação está previsto para sair no mês de março de 2018.

Por Fabiane de Barros Coelho


Saiba aqui como recuperar sua senha do Enem 2017 e ver o local de prova.

Estamos próximos da realização do Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem e a partir de agora os alunos terão acesso às informações sobre o exame do ano de 2017. As inscrições ocorreram no mês de maio deste ano e quando foram se inscrever os candidatos tiveram que definir uma senha. O problema é que passados alguns meses, muitos destes candidatos se esqueceram ou perderam a senha com a qual se inscreveram e agora não conseguem acesso ao portal de informações do Enem, como local de provas e inclusive o resultado final. Ou seja, essa senha é extremamente importante.

Se você se inclui nesse grupo de inscritos que não possui mais a senha do Enem, não precisa se desesperar, pois com passos simples você poderá recuperá-la.

Como recuperar a senha do Enem 2017:

Antes de iniciar o processo de recuperação de senha, saiba que uma senha é algo particular e intransferível, que deve ser anotada assim que for cadastrada, para não existir mais o risco de perdê-la.

1º Passo: Acesse a “Página do Participante”, que pode ser localizada no endereço eletrônico http://enem.inep.gov.br/.

2º Passo: Na “Página do Participante” procure o link de apoio que está localizado no canto direito inferior da página, identificado como “Esqueci minha senha”;

3º Passo: Após clicar no link, uma página nova se abrirá e nela você precisará informar os seus dados pessoais como data de nascimento, CPF, nome da mãe e município e Estado em que reside;

4º Passo: Após colocar corretamente todos os dados, assim como foram cadastrados no ato da inscrição, informe conforme é pedido nos campos restantes, a “Nova senha” e “Confirmar senha”.

5º Passo: Confirme a alteração de senha. Verifique se todos os dados estão corretos, anote a senha registrada e clique em “Confirmar”, que pode ser localizado no final da página.

Está feito! Você já tem como acessar a Página do participante e outras páginas oficiais de programas que envolvem o Enem.

Contudo, antes de criar uma nova senha, verifique se a tecla Caps Lock não está ativada. A senha deve ter no mínimo 6 caracteres e no máximo 10. Além disso, pode ser formada por letras, maiúsculas e minúsculas e números.

O Enem 2017

O Exame Nacional do Ensino Médio do ano de 2017 está previsto para ser realizados em dois domingos de fins de semana diferentes, sendo eles o dia 05 do mês de novembro e 12 do mesmo mês. Essa é a primeira vez que uma edição do exame será em dois fins de semana, pois espera-se que assim os candidatos se cansem menos e possam se sair melhor nas provas.

O Enem é composto por 180 questões, todas de múltipla escolha e uma redação dissertativo-argumentativa. Essas questões são distribuídas em quatro áreas, sendo elas Ciências da Natureza e suas Tecnologias; Ciências Humanas e suas Tecnologias; Linguagens, Códigos e suas Tecnologias e Matemática e suas Tecnologias.

Em cada domingo os candidatos terão que responder a 90 questões, ou seja, sobre suas áreas de conhecimento. No domingo dia 12, além das 90 questões, os participantes ainda terão que escrever a redação.

O Inep, que é o instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, se encarregará de liberar o gabarito do Enem 2017 na quarta-feira, dia 15.

Já o resultado final e individual do Enem 2017 não tem uma data determinada para ser divulgado. Contudo, o Inep tem o hábito de publicar o resultado no começo do mês de janeiro, para que assim as notas possam ser utilizadas em processos seletivos de instituições de ensino superior de todo o país.

Nesse sentido, se você se inscreveu acesse a “Página do participante!” e fique por dentro de todas as informações sobre o Enem do ano de 2017. Boa sorte.

Sirlene Montes


Confira aqui o material de estudo e o que estudar para o Encceja 2017.

O Encceja (Examme Nacional de Certificação e Competência de Jovens e Adultos), através do INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas), tem como objetivo aumentar o índice de jovens e adultos com ensino médio no Brasil, por meio de uma prova de capacitação, pois há milhares de pessoas sem diploma, que tiveram que parar de estudar para cuidar de suas famílias, trabalhar e até mesmo pararam por não aguentarem ir à escola.

O programa do Encceja é voluntário e gratuito, quem mora no exterior também pode fazer. O exame pode ser feio para a conclusão do Ensino Fundamental (para quem tem no mínimo 15 anos) e do Ensino Médio (para quem tem no mínimo 18 anos).

Material para Estudo

O material para o estudo pode ser encontrado para download em diversos sites, que disponibilizam todas as matérias a serem estudadas. Quem preferir também pode baixar o material diretamente nos links abaixo:

Além dos downloads, “o INEP disponibiliza em sua página o material didático pedagógico de apoio aos participantes e professores. Composto por um volume introdutório, quatro volumes de orientações aos professores, oito volumes de orientações para o estudante, subsidiando o estudo individual.

Todos aqueles que tenham realizado o ENCCEJA Nacional em anos anteriores e não obtiveram média para aprovação na área de conhecimento poderão inscrever-se novamente.

APLICATIVO

O aplicativo do ENCCEJA é igual ao do ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio), que interage por meio de jogo de perguntas e respostas com vídeos dos principais temas. O aplicativo é gratuito e pode ser baixado para Android e iOS.

A PROVA

As provas terão base nas quatro áreas de conhecimento:

Para o Ensino Fundamental:

  • Língua Portuguesa, Língua Estrangeira Moderna, Artes, Educação Física e Redação;
  • Matemática;
  • Historia e Geografia;
  • Ciências Naturais.

E para o Ensino Médio (apenas para os brasileiros residentes no Exterior):

  • Linguagens, Códigos e suas Tecnologias e Redação;
  • Matemática e suas Tecnologias;
  • Ciências Humanas e suas Tecnologias;
  • Ciências da Natureza e suas Tecnologias.

Cada prova terá 30 questões de múltipla escolha, bastante parecida com o ENEM, porém, é menor e mais fácil, mesmo sendo base das mesmas matérias.

Para obter o certificado, é necessário tirar 100 pontos nas objetivas e 5 pontos na redação.

Fora o certificado que reconhece que o participante fez a prova e concluiu o Ensino Médio ou o Ensino Fundamental, o Encceja também poderá emitir uma declaração de proficiência, mostrando que conseguiu gabaritar uma ou mais avaliações feitas no exame.

INSCRIÇÃO DE ACORDO COM O INEP

Processo de inscrição:

– Preencha seus dados pessoais e endereço;

– Responder SIM ou NÃO para necessidade de atendimento especial;

– Responder SIM ou NÃO para necessidade de atendimento específico;

– Na próxima tela, confira as informações prestadas sobre dados pessoais, endereços e atendimentos antes de prosseguir com a inscrição;

– Indique o nível para o qual deseja a certificação, Ensino Fundamental ou Ensino Médio (Só poderá escolher uma opção)

– Indique quais provas deseja realizar;

– Informe a unidade federativa e a cidade onde realizará o exame;

– Informe a Instituição Certificadora onde vai solicitar seu certificado ou declaração;

– Na próxima tela, confira as informações prestadas sobre local de prova. Confirme para continuar;

– Responda o questionário Socioeconômico;

– Preencha suas informações de contato e crie uma senha;

– Depois de tudo respondido, verá a mensagem “Inscrição Concluída com Sucesso”.

– Imprima a confirmação.

DATAS DE REALIZAÇÃO DAS PROVAS

Nacional

Inscrições: 7 a 18 de Agosto

Dia do Exame: 22 de Outubro

Locais da Prova: Mais de 500 locais por todos os estados brasileiros

Nacional PPL (pessoas privadas de liberdade)

Adesão nas unidades: 14 a 25 de Agosto

Inscrições: 21 de Agosto a 1º de Setembro

Dia do Exame: 24 e 25 de Outubro

Exterior

Inscrições: 3 a 17 de Julho

Dia do Exame: 10 de Setembro

Exterior PPL

Inscrições: 3 a 17 de Julho

Dia do Exame: 11 a 22 de Setembro.

Vinicius Barbosa.


Confira aqui uma lista de alimentos que podem ajudar na concentração e memorização do conteúdo para as provas.

Como já sabemos, os alimentos nos dão os nutrientes que o nosso corpo necessita para funcionar. No caso das funções cerebrais, não é diferente. Algumas alterações na nossa rotina de ingestão de alimentos pode auxiliar o nosso cérebro a manter a concentração, além de melhorar a memória e ainda encurtar o envelhecimento. Outra ligação interessante é o retardamento ou ainda a prevenção de doenças degenerativas, como Parkinson e Alzheimer, que podem ser alcançados através de uma dieta rica em antioxidantes, já que essas doenças são relacionadas ao nível de radicais livres, produzido pelo nosso próprio organismo.

Com o vestibular em alta, é comum que haja uma preocupação maior em memorização e concentração. Listamos alguns alimentos que podem te ajudar a se sair bem.

1. Ovos

Ingerir ovos ajuda na memória e no aprendizado, pois possui acetilcolina, que é um neurotransmissor. A colina auxilia na formação dos neurônios e faz reparação em células cerebrais que estejam avariadas. Outros alimentos com esse componente são couve e brócolis.

2. Peixe

Sardinha e salmão são ricos em Ômega 3, ajudando na concentração e na memória, além de serem anti-inflamatórios. Esses alimentos promovem a comunicação rápida entre os neurônios.

3. Arroz

Arroz contém glucose, que é o nutriente de tipo energético que o cérebro mais usa. Além do arroz, está presente em legumes e cereais.

4. Maçã

Essa fruta ajuda as células nervosas a amadurecerem, além de estimular os mecanismos do cérebro, por ser uma grande fonte de fisetina.

5. Pasme: Chocolate!

Tem que ser puro, mas está valendo: o chocolate contém diversos estimulantes, além de produzir endorfinas em nosso corpo, nos deixando de bom humor e aumentando a concentração. De todos, o chocolate preto é o mais indicado.

6. Frutas Vermelhas

Morangos e cerejas, além das outras frutas vermelhas, contém flavonoides, que são benéficos para memória e aprendizado, pois protegem os neurônios e tem ação de reverter efeitos de déficits de memória.

Dentre outros alimentos bons para a memória e concentração, podemos citar: azeite de oliva, chá verde, frutos secos, cereais integrais e alface.

Carolina B.


Portal é disponibilizado pelo Governo e faz parte do projeto \”Hora do Enem\”.

Quem pretende participar do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) tem mais uma funcionalidade gratuita para seus estudos: o MECFlix. Esta seria uma espécie de “Netflix” preparatório, em que candidatos podem ter acesso a diversos conteúdos relacionados às disciplinas cobradas na avaliação. A iniciativa faz parte do projeto “Hora do Enem”, que oferece planos de estudos personalizados e videoaulas sobre as disciplinas do Enem, de modo também gratuito. Ambos são oferecidos pelo governo federal e Ministério da Educação (MEC).

Como começar a usar o MECFlix

Para usar o MECFlix, é preciso a acessar o site da plataforma e clicar em “cadastre-se”. Nesse caso, será necessário preencher dados como: nome, e-mail e senha. Depois basta aceitar os termos de uso da página e selecionar a opção “registrar”. Com o perfil criado, as funcionalidades já estarão disponíveis para serem usadas.

Acessando videolaulas

Na página inicial da plataforma, os usuários podem acessar videolaulas, que são organizadas conforme as seguintes categorias: “Ciências Humanas e suas Tecnologias”, “Linguagens, Códigos e suas Tecnologias” e “Matemática e suas Tecnologias”. No entanto, no topo da página também é possível localizar temas específicos, conforme a necessidade de cada pessoa. Isso ainda pode ser feito por meio de filtros de pesquisa, com temas específicos da plataforma. São mais de 1.900 videoaulas, criadas e publicadas por diversas equipes parceiras.

Funcionalidades da plataforma gratuita de estudos

Do mesmo modo que a Netflix, os usuários do MECFlix têm um perfil personalizado, em que podem salvar videoaulas de seu interesse e criar playslists. Os conteúdos disponibilizados também podem ser compartilhados com outras pessoas em redes sociais, como Facebook e Twitter. Há também uma seção em que é possível fazer comentários sobre as aulas assistidas. Segundo informações do site, após as futuras provas do Enem haverá gabaritos comentados por professores e especialistas de cada uma das áreas cobradas no exame.

Simulados Enem gratuitos online

Também haverá na plataforma simulados gratuitos online do Enem, que estarão disponíveis para alunos do 3° ano do Ensino Médio. Eles poderão realizar essas provas no período de quatro horas, nas seguintes datas: 13/08, 8/11 e 9/11.

Assim, será possível avaliar seu desempenho e se preparar melhor para as provas, que serão aplicadas nos dias 5 e 12 de novembro de 2017.

Camilla Silva


Confira aqui os principais temas de redação que podem ser cobrados no Exame do ENEM 2017.

O Exame Nacional do Ensino Médio é um dos vestibulares com maior número de inscritos, grande parte dos inscritos se preparam meses antes do dia das provas. O exame é construído em cima da linha de conhecimento, abordando Ciência Humanas (História, Geografia, Filosofia e Sociologia), Ciências da Natureza (Biologia, Química e Física) e Linguagens (Português, Literatura e Línguas Estrangeiras, inglês e espanhol).

Além dessas disciplinas o Enem cobra a Redação, assim como as outras disciplinas ela é decisiva para o aluno conquistar uma boa nota e por fim passar na tão sonhada vaga em uma Universidade Pública, conquistar uma Bolsa de Estudos no Prouni ou conseguir Financiamento pelo Fies.

Portanto, é importante que o aluno de uma atenção especial para a redação por ter grande valor ao final de tudo. Quando se fala em redação do Enem, a preocupação todos os anos é referente ao tema da redação. Alguns cursinhos preparatórios fazem vários simulados com seus alunos, normalmente com temas da atualidade, porém, a dica para economizar tempo e ter maior chance de acertar o tema da redação é estudar temas mais complexos, segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (INEP).

Os temas da redação são geralmente ligados a Diretos Humanos e Meio Ambiente, normalmente os temas são atemporais, ou seja, eles circulam no âmbito social de uma forma mais abrangente. Por exemplo, no Exame Nacional do Ensino Médio do ano de 2000, o tema abordado foi “Direitos da criança e do adolescente: como enfrentar esse desafio nacional?”, dezesseis anos depois o tema seguiu a mesma linha dos Direitos Humanos, trazendo o tema “Caminhos para combater o racismo no Brasil”.

Quando falamos em Direitos Humanos, devemos pensar em temáticas voltadas para o exercício da cidadania, ao combate contra qualquer tipo de discriminação sejam eles raciais ou religiosos. Por isso é importante ficar por dentro dos direitos dos cidadãos, importante saber o que a Constituição Federal garante para proteger esses cidadãos, é necessário também ficar por dentro da realidade brasileiro.

Nos temas ligados ao Meio Ambiente é importante ficar informado sobre o cenário ambiental no Brasil, principalmente sobre algo recorrente no Brasil, que são os conflitos de Terras Indígenas, como preservar a flora e a fauna e a sustentabilidade.

Gisele Alves de Brito


Levantamento realizado deste 2009 indica o conteúdo que mais caiu nas provas do Enem.

O Exame Nacional do Ensino Médio, o ENEM, foi criado em 1998 e em quase 20 anos de existência a prova passou por muitas modificações tanto no exame em si quanto na importância que ela adquiriu ao longo dos anos. O conteúdo cobrado é aquele ensinado durante o Ensino Médio das escolas brasileiras, mas em uma pesquisa realizada pelo Sistema Ari de Sá, SAS, em abril deste ano, mostrou quais temas são mais recorrentes nas edições entre 2009 e 2016.

Segundo a SAS os assuntos mais cobrados foram estes:

– Matemática:

  • 26,3% Geometria.
  • 12,8% Aritimética.
  • 12,1% Escala, razão e proporção.
  • 9% Funções.
  • 8,3% Porcentagem.
  • 8,3% Gráficos e Tabelas.
  • 6,8% Estatística.
  • 5,9% Probabilidade.
  • 2,6% Equações Elementares.
  • 2,5% Sequências.
  • 2,2% Análise Combinatória.
  • 1,7% Números inteiros e reais.
  • 1,1% Trigonometria.
  • 0,3% Notação Científica.
  • 0,1% Matriz.

Ciências da Natureza (Biologia, Química e Física):

– Biologia:

  • 19,4% Humanidade e ambiente.
  • 11,3% Citologia.
  • 11,3% Histologia e fisiologia (animal e humana).
  • 8,1% Fundamentos da ecologia.
  • 7,8% Biotecnologia.
  • 7,8% Microbiologia e doenças associadas (parasitologia).
  • 5,7% Cadeias e teias (fluxo de energia).
  • 5,7% Evolução.
  • 4,2% Biologia molecular (inorgânica e orgânica).
  • 4,2% Biomas.
  • 2,8% Genética Mendeliana.
  • 2,8% Botânica.
  • 2,5% Genética Molecular.
  • 2,1% Embriologia e Reprodução.
  • 1,4% Método Científico.
  • 2,9% Outros (Taxonomia/Sistemática, Zoologia, Origem da vida, Indicadores sociais, Legislação e cidadania).

– Química:

  • 24,9% Química geral.
  • 23,8% Físico-química.
  • 18,1% Química orgânica
  • 12,1% Meio ambiente.
  • 9,4% Energia.
  • 6% Água.
  • 5,7% Atomística.

– Física:

  • 30,3% Mecânica.
  • 24,6% Eletricidade e energia.
  • 19% Ondulatória.
  • 17,1% Termologia.
  • 9% Óptica.

Linguagens:

– Espanhol:

  • 57,1% Compreensão e interpretação textual.
  • 12,9% Semântica/ domínio lexical.
  • 7,2% Funções de linguagem.
  • 5,7% Leitura e interpretação de charges e tirinhas.
  • 5,7% Identificação de função do texto.
  • 4,3% Análise de texto literário e em prosa.
  • 2,9% Análise e interpretação de música e poemas.
  • 1,4% Leituras e artes.
  • 1,4% Figuras de linguagens.
  • 1,4% Diversidade cultural.

– Inglês:

  • 47,1% Leitura e interpretação de texto.
  • 14,3% Leitura e interpretação de cartuns, tirinhas e charges.
  • 12,9% Domínio lexical.
  • 10% Análise e interpretação de poemas e canções.
  • 7,1% Identificação de função de texto.
  • 5,7% Diversidade linguística.
  • 2,9% Diversidade cultural.

– Língua Portuguesa:

  • 28,8% Leitura e interpretação de texto.
  • 18,2% Estrutura textual e análise de discurso.
  • 12,3% Leitura e artes.
  • 8,3% Variação Linguística.
  • 8,3% Gênero textual.
  • 8,3% Literatura.
  • 3,7% Funções da linguagem.
  • 3.7% Gramática.
  • 2,8% Semântica.
  • 2,3% Norma culta x norma popular.
  • 2,1% Figura de linguagem.
  • 1,2% Relação intertextual.

Ciências Humanas:

– Sociologia:

  • 25,2% Mundo do trabalho.
  • 13,7% Ideologia.
  • 11,6% Cultura e indústria cultural.
  • 11,6% Meios de comunicação, tecnologia e cultura de massa.
  • 9,5% Cidadania.
  • 8,4% Movimentos sociais.
  • 7,4% Identidade de gênero.
  • 6,3% Organização científica do trabalho.
  • 4,2% Desigualdades sociais.
  • 2,1% Conflito de terra e violência.

– Filosofia:

  • 21,1% Ética e Justiça.
  • 15,3% Natureza do Conhecimento.
  • 12,9% Democracia e cidadania.
  • 12,9% Filosofia contemporânea.
  • 11,8% Filosofia moderna.
  • 10,6% Filosofia antiga.
  • 8,2% Relações de poder.
  • 2,4% Surgimento da Filosofia.
  • 2,4% Intolerância.
  • 2,4% Filosofia medieval.

– Geografia:

  • 19,1% Geografia agrária.
  • 17% Meio ambiente.
  • 14,1% Questões econômicas e globalização.
  • 11% Geografia urbana.
  • 8,1% Geopolítica.
  • 8,1% Democracia e cultura.
  • 7% Geografia física.
  • 5% Tecnologia, transportes e comunicação.
  • 4,6% Indústria.
  • 4% Energia.
  • 2% Cartografia.

– História:

  • 15,4% Idade Contemporânea.
  • 9,9% Brasil Colônia.
  • 7,5% Brasil Império.
  • 7,2% História política.
  • 5,8% Movimentos Sociais.
  • 5,8% Patrimônio Histórico – cultura e memória.
  • 5% Era Vargas.
  • 4,6% Primeira República ( 1889 – 1930)
  • 4,3% Idade Moderna.
  • 4,1% Idade Antiga.
  • 3,5% Tecnologia da informação, meios de comunicação e artes.
  • 3,5% Cidadania.
  • 3,5% Identidade cultural.
  • 3,5% Idade Média.
  • 2,9% Ditadura Militar.
  • 14,1% Outros (Brasil República, História da América, Antropologia, Identidade Nacional, Direitos Humanos, Nova República (1985), República Liberal (1945-1964), Democracia, Formação dos Estados Nacionais e Questões Indígenas).

Esse é um ótimo caminho para que os que estão se preparando para a prova tenham um plano de ensino. Claro que serão cobradas perguntas diferentes referentes a estes assuntos, mas já sabendo os temas, o estudo fica mais fácil. Lembrando que neste ano as inscrições para o ENEM começam no dia 9 de maio e se encerram no dia 19 do mesmo mês. As provas acontecem dia 5 de novembro (linguagens, ciências humanas e redação) e 12 de novembro (matemática e ciências da natureza). Se prepare bem e boa prova!

Isabela Castro.


Confira aqui algumas dicas para passar no Vestibular do ITA.

Quase todo mundo sabe que um dos vestibulares mais difíceis de se encarar, pertence a uma conceituada faculdade de engenharia, o Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), que também é considerada a melhor da área. Suas questões das provas referentes as cinco disciplinas da área de ciências exatas são tão complexas, que fazem os candidatos dormirem e acordarem ao lado dos livros, se quiserem ter alguma chance de aprovação. Nesse artigo, vamos dar algumas valiosas dicas a todos que desejam uma vaga nos cursos do ITA.

A primeira delas e não poderia ser a mais óbvia, é que o aluno estude muito. Um elevado nível de estudos nas disciplinas do vestibular é extremamente necessário para o bom desempenho nas provas. Mais um boa dica é que o candidato busque preparação específica, ou seja, um bom cursinho preparatório pode ajudar muito a sanar as dúvidas, além de ter um foco maior nas disciplinas mais exigidas no vestibular. Aproveitar a estrutura oferecida pelo cursinho, como bibliotecas ou laboratórios, também é uma ótima dica, pois esses locais geralmente são mais silenciosos e tranquilos para um longo período de concentração. Mais uma dica valiosa é praticar atividades físicas, preferencialmente ao ar livre, pois reduzem muito os altos níveis de estresse emocional em que os alunos são submetidos. Outra dica infalível é que os alunos formem um grupo de estudo, já que todos tem um mesmo objetivo comum. É melhor para trocar experiências e sanar eventuais dúvidas entre os mesmos.

Tentar resolver provas de vestibulares passados pode ser um ótima pedida também, já que o nível de dificuldade das questões é praticamente o mesmo, todos os anos. Uma das mais preciosas dicas é o descanso, principalmente aos dias que antecedem o temido vestibular. Relaxar da melhor maneira e tentar evitar todo tipo de estresse, pode ajudar muito. Manter contato com os professores também ajuda bastante, pois eles podem dar importantes dicas na hora das provas ou sobre alguma disciplina específica. Criar uma confortável rotina de estudos que pode ser seguida a risca sem desculpas para não estudar é de suma importância no processo. E a última e não menos importante, é acreditar em si próprio, sem pensamentos negativos de qualquer espécie. Boa sorte a todos no concorrido vestibular do ITA.

Rodrigo Souza de Jesus


Mudanças serão feitas nos dias de realização das provas, que passarão a ser em dias consecutivos, e no conteúdo cobrado nas provas da segunda fase.

Aos interessados nos processos seletivos da Universidade Federal de Uberlândia, a mesma, na última segunda-feira dia 06 do mês de fevereiro, fez um anúncio sobre as recentes mudanças em seu processo seletivo utilizado para o ingresso em cursos de graduação. Segundo a Universidade, as mudanças passam a valer no vestibular de 2017.

Segundo a nova determinação da UFU, o que antes era realizado em períodos distantes, as provas da primeira fase e da segunda fase serão realizadas em dias consecutivos de um determinado fim de semana.

Outra modificação relevante é o fato de que o conteúdo a ser cobrado nas provas da segunda fase sofra variações de acordo com a área do curso pretendido.

Essas modificações, embora sejam pequenas, levarão a Universidade a uma economia de cerca de R$ 500 mil.

O vestibular da Universidade está previsto para acontecer nos dias 03 e 04 do mês de junho de 2017, já com as mudanças anunciadas.

O período de inscrições deve acontecer entre os dias 3 e 17 do mês de abril e de acordo com informações da UFU, o valor da taxa de inscrição continuará o mesmo do ano de 2016.

Nesse sentido, a listagem com os nomes dos aprovados da primeira chamada deve ser disponibilizada no mês de julho, com data ainda a ser definida.

Ainda que essas modificações no processo seletivo rendem uma considerável economia, a finalidade principal das mudanças é fazer com que o processo tenha mais agilidade, otimizando o tempo e os gastos, não somente da universidade, mas acima de tudo dos candidatos.

Com a implantação dessas mudanças a realização das provas se tornará mais viável para um grande número de candidatos que não possuía condições de comparecer à universidade por dois fins de semana, no sistema que durou por 20 anos.

Nesse sentido, em um único fim de semana os candidatos realizarão a primeira e a segunda etapas, sendo que a primeira permanece com o mesmo formato dos outros anos, de questões objetivas (sete questões) sobre disciplinas que são obrigatórias, além da redação. Já a segunda fase no segundo dia de provas, vem com o novo formato, em que os candidatos farão questões de caráter dissertativo, porém, relacionadas às disciplinas que pertencem aos cursos escolhidos.

Diante disso, as mudanças no processo seletivo do vestibular da UFU 2017, serão para melhoria do processo, outras mudanças estão sendo discutidas, contudo para o vestibular de 2017 serão apenas as anunciadas.

Por Sirlene Montes


Confira aqui algumas dicas para fazer uma boa redação no Enem 2016.

Com a proximidade da realização das provas do Enem, marcado para o próximo fim de semana, estudantes de todo o Brasil ficam ansiosos e apreensivos, principalmente quando o assunto é a redação, que deve ser feita no 2º dia do exame, pois sua nota é extremamente importante.

Se você irá fazer o Enem e precisa de dicas para fazer uma boa redação e com isso alcançar uma boa nota, preste atenção nas dicas a seguir:

1º) Na hora de escrever o seu texto, não se desespere. Pense que você estudou e fez muitas leituras durante o ano todo para se preparar para esse momento. Dessa forma, pare um instante e tente se acalmar. O nervosismo só vai te atrapalhar neste momento.

2º) Se você já conhece o tema proposto, ótimo. Mas se não conhece leia os textos motivacionais e marque os pontos que você considera mais relevantes. O texto possui informações que você pode usar, lógico, com as suas palavras.

3º) Após a leitura dos textos, você precisa iniciar o seu texto, que deve conter introdução, desenvolvimento e conclusão. Na introdução você deve citar o tema com as suas palavras (não copie frases dos textos, somente ideias), mais dois argumentos que serão desenvolvidos. A introdução é como se fosse um resumo do texto.

4º) No desenvolvimento, separe dois argumentos e desenvolva um em cada parágrafo. Use conectivos e seja coerente.

5º) Na conclusão, repita o tema e elabore uma solução para a questão, é a chamada intervenção, mas pense em algo que seja realmente viável e possível.

6º) Evite repetir palavras em excesso, use sinônimos quando necessário.

7º) Caso você erre alguma palavra, apenas faça um risco horizontal sobre ela e continue escrevendo. Evite fazer rabiscos.

8º) Escreva sempre na forma impessoal. Não use a primeira pessoa do singular “eu”.

9º) Escreva em português formal , nunca use expressões populares, gírias, jargões ou frases freitas.

10º) Procure fazer a redação primeiro, pois você escreverá mais rápido, com mais facilidade, pois você não estará cansado, como quem faz a redação por último.

Na véspera da prova descanse, durma mais cedo e confira se os documentos estão corretos. E não se esqueça de levar caneta PRETA, leve duas para garantir.

Tenha uma boa redação!

Sirlene Montes


Confira aqui algumas dicas de preparação para a Prova do ENEM 2016.

Estamos em contagem regressiva para a realização das Provas do Exame Nacional Do Ensino Médio, o Enem, diante disso surgem muitas dúvidas sobre como deve ser feita a preparação para a realização do exame.

Na realidade, neste momento em termos de estudo dos conteúdos não há muito mais a fazer. Supondo que os participantes já vêm se preparando há algum tempo, o recomendado nesse momento é que o ritmo de estudo tenha uma desacelerada. Pois a ansiedade e o nervosismo já não permitem que conceitos, regras e coisas do tipo sejam fixados pela memória nesse pequeno espaço de tempo.

Dessa forma, o que o estudante pode fazer é revisar possíveis temas que podem ser cobrados na elaboração da redação. Pois na maioria das vezes os temas propostos pelo Enem são assuntos que tiveram uma relevância para o Brasil, como a questão da violência contra a mulher, a influência da mídia, publicidade infantil, enfim, assuntos debatidos no cenário nacional.

O estudante pode praticar a redação, fazendo a elaboração do texto com contagem de tempo, para assim se familiarizar com essa situação. Também é recomendado que se faça uma busca por redações nota “1000”, observando características que possam ser utilizadas na hora da prova.

Muitas vezes, por se tratar de um elevado número de questões, é comum a repetição de questões de edições antigas, por isso é válido que o participante realize as provas de outros anos. Além disso, pelo fato de o Enem ser um exame multidisciplinar em que há um diálogo interpretativo das disciplinas, a realização de exames passados pode tornar mais familiar a linguagem que o Enem apresenta.

Na internet também existem boas opções para quem ainda está buscando complementar seus estudos preparatórios para o Enem. Uma opção prática e válida é a visualização de vídeos, pois instituições de ensino, cursinhos e professores disponibilizam este tipo de vídeo para os estudantes que irão realizar as provas do Enem.

Mas o recomendado é que nessa última semana os participantes procurem descansar mais, dormindo mais cedo, sem se sobrecarregar de estudos. Além disso, procure deixar tudo preparado para que o exame seja feito de forma tranquila e que se obtenha bons resultados.

Sirlene Montes


Site oferece serviço de correção online de redações.

Dados do Ministério da Educação revelam que em 2015, 53.000 dos cerca de 8,4 milhões de inscritos no ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio) zeraram a prova da redação.

Isso sem contar os quase 500 mil inscritos que simplesmente abriram mão de realizar o teste.

Além disso, apenas 104 inscritos tiraram a nota máxima (1000), o que tem gerado grandes discussões a respeito do tema.

As desculpas para essa situação são várias: falta de interesse dos alunos, sistema de ensino precário, diculdade de entendimento do tema; além de um total desconhecimento sobre a proposto da redação; principalmente quando se trata de assuntos em destaque no cenário atual.

Pensando nisso, alguns sites resolveram dar um auxílio aos interessados em aperfeiçoar os seus conhecimentos nessa área, oferecendo um serviço de correção de redações, no momento condicionados a determinados temas.

O Serviço de Correção de Redações

Há alguns anos, profissionais com experiência em correção de redações para o ENEM, vestibulares e outras avaliações, resolveram unir-se em prol de incentivar os alunos a melhorarem o nível dos seus textos.

O sistema funciona da seguinte maneira: no serviço gratuito, o interessado envia a sua redação a sites, como: Redacaoonline.com ou Projetoredação.com.br (estes, os mais conhecidos), esta última é lida por uma comunidade de usuários que iniciam uma série de comentários, opiniões, tiram dúvidas, ensinam e aprendem; e o resultado é que o contratador do serviço terá de volta a sua redação repleta de conselhos e correções de estudantes ou pessoas comuns, que também se vêem as voltas com dificuldades em relação à redação.

A correção profissional de redações

Já nesse caso, o seu texto é enviado a profissionais (mediante uma assinatura mensal), geralmente graduados e pós-graduados em letras (muitos até com mestrado e doutorado); além de experiência prática em Enem, vestibulares e de ensino em grandes instituições.

Esses profissionais se comprometem a proceder à correção das redações, tecendo comentários sobre cada ponto do texto (que deverá ser desenvolvido ou modificado), analisando a pontuação; além de, ao final, conceder uma nota para a redação recebida, com base nos critérios estabelecidos pelo Enem.

Enfim, em tempos de crise no ensino público, essa proposta de correção profissional de redações, talvez possa ser um bom instrumento para o aperfeiçoamento de candidatos a vestibulares, como o Enem, por exemplo, em um dos maiores vilões dos estudantes de todo o país: a temível e misteriosa REDAÇÃO.

Vivaldo Pereira da Silva


Alguns filmes ensinam pessoas que querem reforçar ainda mais os seus estudos.

Sem sombra de dúvidas, os filmes têm o poder de arrebanhar um contingente impressionante de expectadores, diferentemente de qualquer outra arte.

E essa associação com o ensino pode trazer excelentes frutos, na medida em que associa dois sentidos, a visão e a audição.

Pode ser sobre história, literatura, física, biologia, não importa! O cinema, desde que reduzidos à sua capacidade, sempre terá o poder de oferecer o conteúdo dos livros didáticos, de forma mais palatável e divertida, ao unir o entretenimento com a educação.

Segue, abaixo, uma lista especialmente dedicada aos interessados em aprender com filmes, e para alunos de todos os níveis escolares que queiram reforçar ainda mais os seus estudos.

– Adeus Lênin:

Um marco do cinema e da cultura alemã, do ano de 2003, dirigido pelo alemão Wolfgang Necker, conta a história de um filho que às voltas com sua mãe que sofre um ataque cardíaco e está em coma, e por isso não presencia a queda do muro de Berlin e a queda do regime soviético; a qual era ferrenha defensora, resolve criar uma verdadeira encenação para que ela, ao acordar, ainda ache que vive sobre o regime soviético.

Melhor Filme Europeu, Prêmio Goya de Melhor filme Europeu, Prêmio Bondil de Melhor Filme Não-Americano, entre outros.

– O Nome da Rosa (1986):

Uma obra de arte inspirada no clássico do escritor italiano Umberto Eco, e dirigido pelo francês Jacques Annaud, nos insere na vida do frade franciscano Guilherme de Baskerville e seu companheiro Adson Von Melke, que recebem a incumbência de desvendar uma série de crimes misteriosos que ocorrem no interior da abadia.

Um exemplo de como aprender com filmes, cujo destaque é a impressionante reconstrução da realidade da vida medieval europeia do século XIV.

– Saul:

Ao perceber o corpo de um garoto cruelmente assassinado, busca recuperar o corpo do menino a fim de promover um enterro digno para ele.

A beleza do filme está na força e realismo com que os horrores dos campos de concentração são expostos.

Dirigido pelo húngaro de 39 anos, Lásló Nemes, é considerado um clássico do cinema, e um dos melhores filmes dos últimos anos; agraciado, inclusive, com o Oscar de melhor filme estrangeiro em 2016.

– 12 anos de escravidão:

Sucesso nos cinemas, trata-se da realidade da escravidão americana no séc. XIX. Salomon Northup, é um negro vendido como escravo em Louisiana, mesmo tento nascido livre.

Seu destino passa a ser trabalhar duro por 12 anos, da forma mais precária possível.

O mérito do filme é retratá-lo como o uma verdadeira aula de cultura, a realidade dos Estados Unidos do séc. XIX, que via-se às voltas com distúrbios racistas causados pelos estados do sul e os do norte do país.

– A separação:

Filme agraciado como o Urso de Ouro do Festival de Berlin (2010) e o Oscar de melhor filme estrangeiro (2012).

Nader (Peyman Moaadi ) e Simim (Leila Hatami) terminam separando-se pelo motivo de que Simim sempre cativou o desejo de deixar o Irã, a fim de alcançar o tão sonhado êxito profissional.

A partir daí, questões religiosas e da sociedade passam a analisar essa nova situação de uma mulher que abandona o marido e deste que se vê sozinho, indo de encontro às tradições do local.

O grande mérito do filme é ter sido alheio a discussões políticas e religiosas, preferindo enveredar pelos símbolos ocasionados por essa separação de um casal em pleo Irã.

– Coração Valente:

Uma das melhores formas de se aprender com filmes, esse longa de 1995, estrelado por Mel Gibson, mostra, como poucos, a realidade militar e as formas de combate na Escócia, ou mais precisamente, no Reino Unido em fins do período medieval.

Sob o jugo do rei Eduardo I, surge a figura de William Wallace, o guerreiro mais famosos de todos os tempos na região da Escócia, por ser o principal responsável pela independência da cultura, da política e da economia do país.

– A garota dinamarquesa:

Mais que levantar bandeiras a respeito da condição dos transgêneros, e criar polêmica através de discursos inflamados e violência, é um dos melhores exemplos de como aprender com filmes. Dirigido pelo inglês Thomas George Hooper, nos trás a história de Einar Wegener (Eddie Redmayne), um famoso pintor, casado com a também pintora (Gerda) Alícia Wikander, que tem como base o conflito de um homem que de repente descobre-se mulher.

É baseado na história real de Lili Elbe, no século 20, que foi o primeiro indivíduo a passar por uma cirurgia de troca de sexo.

Por Vivaldo Pereira da Silva


Confira aqui algumas dicas de estudo para melhorar o seu desempenho na prova do Enem.

Novembro está chegando, e com isso a contagem regressiva para as provas do Enem também. Faltando quase 3 (três) meses para as provas, os estudos já estão a todo vapor, por isso todo tempo é precioso para que todo o conteúdo seja estudado da melhor maneira.

Com o conteúdo em mãos, o estudante tem as chaves para a porta do ingresso a uma universidade para ingressar no curso desejado. Saber aproveitar o tempo e estudar da maneira certa são pontos fundamentais para mandar bem na prova e alcançar ótimas notas. Confira agora 10 (dez) dicas para estudar de maneira eficiente e para que consiga se sair bem na prova do Enem.

1 – Conheça bem o Enem e suas provas. Leia o edital sempre que for necessário para tirar alguma dúvida, pois tudo que está contido nele é muito valioso para a hora da prova.

2 – Além das horas normais na escola e/ou no cursinho pré-vestibular, tire algumas horas extras por dia para revisar os assuntos vistos nas aulas e para fazer muitos exercícios. Lembre-se exercitar é o melhor método de estudo.

3 – Concentração. Quando for estudar em casa, prefira por um local com pouco barulho e reservado, assim não há distrações e o foco fica completamente nos estudos. A distração é uma grande inimiga para quem quer estudar, por isso evite ver TV ou escutar músicas durante o estudo.

4 – Nunca estude quando estiver com sono, cansado ou indisposto. Pois, afetará a concentração, logo dificultará no aprendizado. Estude sempre quando estive bem disposto.

5 – É muito importante estudar horas extras, mas é importante também fazer intervalos. Se sua meta é de 5 horas por dia, tire intervalos durante esse período para descansar, comer algo, se distrair um pouco, assim não haverá cansaço.

6 – Planeje. Sim, um bom planejamento de estudo é muito eficiente, estabeleça as matérias e os assuntos a serem estudados por dia. A organização dos estudos é fundamental para um bom aprendizado.

7 – Leia bastante. Como todos sabem o Enem é uma prova longa e um tanto cansativa, devido a grandes textos ao longo da prova. Priorize a leitura, exercite a interpretação, assim terá muita facilidade na hora da prova.

8 – Faça exercícios de provas anteriores. Como já mencionado, os exercícios são fundamentais no aprendizado e para a prova do Enem nada melhor do quer fazer exercícios de provas anteriores, assim já ficará familiarizado com as questões.

9 – Estude com amigos. Faça um grupo de estudos, pelo menos, duas vezes na semana. Um pode tirar a dúvida do outro e assim todos saem ganhado. É uma ótima maneira de se estudar.

10 – Exercite o tempo. Como todos sabem, a prova do Enem é longa, com muitos textos e cansativa, portanto, o tempo é valioso. Faça simulados planejando o tempo que gastará em cada questão, assim terá o controle do tempo e não precisará se preocupar na hora da prova.

Estas foram algumas dicas para ajudar nos estudos. Exercite muito e estude com muita atenção para obter os melhores resultados. A prova do Enem acontecerá nos dias 5 e 6 de novembro de 2016. Bons estudos!

Camilla dos Santos Batista


Fazer a prova do Vestibular em uma sala lotada pode assustar muitas pessoas, mas seguindo algumas dicas é possível se tranquilizar e realizar uma boa avaliação.

A pressão psicológica que o Vestibular traz começa no momento em que entramos na sala e nos deparamos com vinte, trinta pessoas com o mesmo nome, pessoas que passam a impressão de que sabem tudo, etc. A sala lotada é uma armadilha para aqueles que não estão psicologicamente preparados para isso, pois são pessoas que lutam por uma mesma vaga na faculdade e não é exagero dizer que você deve derrotá-los. Outro problema que acontece em momentos como esse é nos perguntarmos se aquela pessoa com cara de inteligente sabe a questão que estamos enroscados. Você vai aprender aqui alguns macetes para se dar bem no Vestibular, mesmo em uma sala lotada.

· Durma bem: Se você é o tipo de pessoa que não consegue dormir na véspera de alguma coisa importante, cuidado, pois isso pode prejudicar e muito o seu desempenho! Tome um chá calmante, coloque uma playlist relaxante para tocar. Não se esqueça que devemos dormir oito horas por dia.

· Não coma coisas pesadas na véspera ou no dia da prova: Alimentos muito pesados podem tirar o nosso sono e, além disso, podem fazer com que tenhamos uma baita diarreia. Por isso, durante o período de prova, prefira se alimentar da forma mais saudável possível.

· Aproveite todo o tempo disponível: Fazer a prova correndo é pedir para perder a concentração e cometer erros bobos, sobretudo no gabarito. Por isso, sempre que terminar algum caderno, levante-se, beba uma água, se alongue, vá ao banheiro, coma uma barra de cereal ou um pedaço de chocolate e volte apenas quando você se sentir preparado para mais uma rodada de questões. Nunca, em hipótese alguma, faça a prova com fome, com sede ou com vontade de ir ao banheiro, pois isso vai tirar o seu foco e, além disso, vai fazer com que você resolva os exercícios correndo.

· Comece pelo conteúdo que você domina: Pode parecer bobagem, mas resolver primeiro o caderno que tem a matéria que você nunca foi bom pode acabar com o seu psicológico e, com isso, diminuir as suas chances. Por isso, comece pelas matérias que você domina e se dedique ao máximo a elas, pois isso te dará uma dose extra de confiança.

Com essas dicas, com certeza você vai superar a pressão da sala lotada e conseguirá resolver a prova tranquilamente. A ideia principal é você focar em você mesmo e na sua prova.

Por Jéssica Lima Cochete


Alguns aspectos fazem a diferença no momento de redigir uma boa redação.

De modo geral, concursos públicos, vestibulares e até mesmo processos seletivos exigem que o candidato produza uma redação, a qual pode facilmente eliminar a chance de conseguir aquela tão sonhada vaga. Por outro lado, saber como e quando utilizar determinados elementos linguísticos nessa produção textual pode ser complicado. Pensando nisso, listamos 5 dicas que podem te ajudar a produzir uma redação ou um bom texto para alcançar os seus objetivos.

1. Leia de tudo um pouco. Seja curioso!

Em alguns casos, ler pode ser um pouco chato, mas já pensou em começar a ter esse hábito encontrando assuntos que são do seu interesse? Depois, com o tempo, procure se informar sobre diversos tópicos. A leitura não irá garantir um domínio gramatical, porém será uma excelente aliada no momento de expor melhores argumentos e, consequentemente, de desenvolver o tema da redação mais facilmente. Portanto, poderá ser um caminho para expandir seu vocabulário, seus conhecimentos e enriquecer o seu texto.

2. Saiba interligar os elementos do seu texto

Para obter uma redação sem repetições de ideias e que não seja cansativa, é necessário fazer uso de elos coesivos, que podem ser pronomes, adjetivos, advérbios, elipses, etc. Por exemplo, observe a seguinte frase: “João foi à escola. João fez vários exercícios. João voltou para casa”. Essa sentença pode ser substituída por: “João foi à escola e fez vários exercícios. Após isso, voltou para casa”. A alteração deixou a frase mais fácil de ser lida, não é mesmo?

3. Observe se o seu texto é compreensível

Quando for escrever um texto, analise se ele tem coerência. Ou seja, se ele faz sentido, se qualquer pessoa conseguiria compreendê-lo. Para isso, vale verificar se não há contradições de ideias, vícios de linguagem e se cada frase de fato é uma informação valiosa. Adicione fatos interessantes e que possam sustentar a sua tese. Procure prender a atenção do seu leitor com esses dados.

4. Tenha cuidado com os aspectos gramaticais

É evidente que erros gramaticais empobrecem e penalizam qualquer texto. Para evitar esse tipo de problema, é importante ter certo domínio de ortografia, concordância verbal e nominal, pontuação, etc. O ideal não é decorar terminologias, mas sim compreender como determinados aspectos podem ser incorporados ao seu texto. Nesse caso, é possível fazer vários exercícios e simulados de língua portuguesa; há muitos deles na internet e de graça. Além disso, sempre que possível escreva, treine e peça para algum professor ler e corrigir seu texto. Há sites que oferecem esse tipo de serviço on-line.

5. Revise o seu texto

Antes de entregar a redação, procure revisá-la. Assim, observe se não há alguma frase ou trecho que pode ser alterado ou retirado, se a pontuação está correta, se as palavras estão escritas da maneira correta. Verifique, ainda, se a introdução, o desenvolvimento e conclusão estão bem executados. Não se esqueça de que esses três elementos fazem com que o leitor identifique o início, meio e fim da sua redação.

Com essas dicas, será mais fácil escrever um bom texto. Bons estudos!

Por Camilla Silva


Confira aqui algumas dicas para ir bem na prova do Enem 2016.

Em outubro será realizada mais uma edição do ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio). Assim como em anos anteriores, o número de inscritos para a prova foi alta, atingindo neste ano de 2016 a marca de 8,6 milhões de inscritos. Com isso, a concorrência para o ingresso em universidades, a partir dos programas que selecionam estudantes (como o Sisu, Prouni e Fies), deve ser novamente muito concorrido. A partir da enorme procura, cabe a todos que irão realizar o exame uma rotina de estudos, além  de planejamento, para obter bons resultados.

Com isso, o estudante deve ter certos cuidados, que podem lhe ajudar na realização do Exame:

O estudante que deseja obter bons resultados deve ser, acima de tudo, disciplinado. A disciplina é elemento fundamental  para se ter um planejamento no decorrer dos estudos. Planejamento está diretamente relacionado à organização.

Cabe ao estudante, ao decorrer dos estudos, organização, desde as disciplinas a serem estudadas à até mesmo ao controle do tempo. Saber controlar-se quanto ao tempo é fundamental, já que o exame é extenso, contendo em muitas questões textos enormes…sem contar que o participante terá poucas horas para desenvolver a prova.

A partir do ENEM, é possível concorrer a vagas em Universidades Públicas, a partir do Sisu (Sistema de Seleção Unificada). Trata-se de uma ferramenta gerenciada e administrada pelo Ministério da Educação, onde os participantes do ENEM escolhem os cursos que desejam estudar em instituições públicas. O MEC estabelece uma nota de corte e os candidatos melhores avaliados no exame são convocados para as vagas.

Já o ProUni (Programa Universidade Para Todos), também do Governo Federal, utiliza as notas do ENEM para contemplar estudantes com bolsas de estudos em Instituições de Ensino Superior particulares. A concessão da bolsa se dá em diferentes modalidades: Antes de mais nada, o candidato precisa comprovar que não possui renda mínima necessária para bancar o curso no qual escolheu. Sendo assim, a Instituição credenciada oferece bolsas de 50% a 100% a uma pequena cota de estudantes.

Diante da grande procura, cabe ao participante muitos cuidados e bastante preparo, para realizar uma boa prova e conquistar seu principal objeto: ingressar em um curso de ensino superior.  O futuro está logo ali.

Renan Pereira


Plataforma disponibiliza videoaulas gratuitas com assuntos preparatórios para o Exame Nacional do Ensino Médio.

O Enem tornou-se uma maneira de entrar na faculdade, seja usando a nota para auxiliar no desempenho do vestibular ou para concorrer às vagas destinadas ao Sisu. Seja como for, estudantes do ensino médio e pessoas que querem ter a oportunidade de fazer uma graduação estão se inscrevendo na prova, para poder conquistar a sonhada vaga.

A concorrência é grande e o sonho só é realizado se a nota no Enem for boa. Assim, é necessário estudar muito para garantir o bom desempenho. Embora diversas pessoas tenham a oportunidade de fazer um cursinho específico, isso não acontece com todos. É por isso que o Ministério da Educação criou uma plataforma totalmente gratuita para auxiliar os estudos de quem vai concorrer ao Enem.

Ela começou a operar no dia 5 de abril de 2016 e já tem mais de 90 mil inscritos. Ao todo, foram quase 700 mil acessos de pessoas que querem aproveitar a oportunidade para aprender e se dedicar aos estudos.

A maioria dos que já entrou no site têm entre 18 e 24 anos de idade. Além disso, 61% das pessoas preferiram acessar pelo computador e 68% dos acessos foram feitos pelo público feminino. O sudeste teve grande participação até o momento, sendo que São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais foram os com mais acessos. No sul o destaque fica para o estado do Paraná.

O “Hora do Enem” pode ser usado por estudantes das mais diferentes idades, independentemente de estudar em escola pública ou particular.

Além da plataforma virtual, o Hora do Enem vai transmitir, através da TV Escola e outras emissoras parceiras, programas educativos que também ajudarão nos estudos. Toda segunda-feira o estudante contará com aulas gratuitas de matemática. Já nas terças é hora de estudar ciências humanas. Quarta é dia de linguagens e quintas de ciências da natureza. Por fim, na sexta o assunto é redação.

Enquanto isso, na plataforma virtual é possível ter acesso aos planos de estudos, simulados e videoaulas. São 600 videoaulas de diferentes temas disponibilizas gratuitamente e o plano de estudo pode ser montado individualmente, garantindo a melhor adequação ao horário e às necessidades de cada estudante. Para aproveitar entre no site http://tvescola.mec.gov.br/tve/serie/hora-do-enem.

Por Milena Godoy


Os estudantes devem treinar redação utilizando alguns temas que podem ser pedidos no Enem 2016.

A redação do ENEM tem um grande peso na nota final do candidato, sendo a maior aliada quando se trata de conseguir uma vaga em uma universidade. É de extrema importância que o vestibulando treine fazer redações, principalmente de temas que podem vir a ser o tema da redação do ENEM em 2016. Confira aqui alguns temas que têm grandes chances de aparecer na prova no final do ano:

Racismo e homofobia: presentes desde sempre na sociedade brasileira, o racismo e a homofobia são cada vez mais expostos nas redes sociais e nos meios de convivência. O candidato deve ter conhecimento crítico sobre os dois temas e ser capaz de articular sobre eles, relacionando com os direitos de cada indivíduo no cenário do país.

Trabalho escravo nos dias de hoje: Embora a escravidão tenha sido abolida, ainda há muitas pessoas que trabalham em condições precárias, como escravos. O estudante pode ter em mente o trabalho na China quando o tema é mencionado, no entanto, é de extrema importância ter o conhecimento do cenário de trabalho escravo no Brasil, principalmente realizado por grandes marcas.

Terceira idade: Em países desenvolvidos o número de pessoas idosas aumenta e o número de crianças e consequentemente, jovens diminui. Isso acontece devido aos avanços na área da saúde e dos métodos contraceptivos. O Brasil, que é um país em desenvolvimento, segue essa tendência. É importante saber os problemas que esse tipo de desenvolvimento causa, pois o país precisa de recursos para cuidar da quantidade de idosos, como, por exemplo, a aposentadoria. Outro problema é a falta de pessoas mais jovens que são a mão de obra do país.  

Conceito de família: No ano passado (2015) foi aprovada na Comissão da Câmara a definição de família que diz ser família a união entre um homem e uma mulher. A definição exclui uma parte massiva da população que não segue esse padrão. O estudante precisa analisar o cenário brasileiro e articular sua opinião de acordo com a realidade das diversas famílias existentes, avaliando assim o conceito de família.

Mais Médicos: O Programa Mais Médicos tem sido um grande incentivo para a melhora do estudo e da profissionalização de pessoas que almejam se tornar médicos. Há médicos do exterior realizando trabalhos no Brasil. O vestibulando poderá articular sobre o tema de acordo com sua visão, levando em conta os resultados do Programa.

Por Isabela Palazzo


Confira aqui quais são os principais temas que os vestibulandos devem ficar de olho neste ano de 2016.

Nos vestibulares e no ENEM são cobradas questões de atualidades, no ramo político, econômico e social. É de extrema importância que o vestibulando esteja atento aos noticiários e sites que possam contribuir com o conhecimento crítico dessas atualidades. Dê uma olhada em alguns temas que você deve ficar de olho para o vestibular 2016:

Aquecimento Global: Embora muita gente possa achar que esse é um tema já saturado, ele está sempre presente nas provas exatamente por ser sempre atual. Há uma expectativa que diversos países anunciem medidas para a diminuição dos impactos na natureza, uma vez que a variação de clima e os fenômenos naturais (influenciados pelo aquecimento) podem vir a acontecer em quantidades maiores.

China: Logo no começo do ano, a retração industrial da China provocou uma queda nas bolsas de valores e desvalorização das moedas ao redor do mundo. Sendo a segunda maior potência mundial, as ações desse país são altamente influenciáveis na economia do restante do globo. No território também há disputas por liberdades individuais que merecem atenção.

Refugiados: Notícia desde o ano passado, sendo a maior tragédia humana da história após a Segunda Guerra Mundial, ainda não há solução para o problema. Há contrastes de opinião no que diz respeito a abrir as portas para os refugiados, enquanto alguns acreditam que a União Europeia deve ajudar essas pessoas, setores mais conservadores têm buscado medidas para limitar o ingresso de estrangeiros no local.

Estados Unidos: As eleições nos Estados Unidos começam em fevereiro desse ano e se estenderão até junho. É importante que o vestibulando fique atento nos candidatos (democratas e republicanos) e entenda as propostas de cada um, assim como qual diferença farão essas pessoas no poder no que diz respeito às medidas que irão tomar.

Guerra Civil na Síria: No final de janeiro desse ano, a ONU buscará medidas políticas para encerrar o conflito na região. No entanto, a guerra contribuiu para o avanço do Estado Islâmico, rivalidades no Oriente Médio e crise migratória.

Isabela Palazzo


Principais causas que ocasionam a depressão em jovens.

A depressão é um transtorno de humor, uma doença crônica que recorre de forma hormonal, genética, física ou causas externas. A doença tem crescido nos últimos anos com muito fervor e ela não atinge apenas os adultos, mas pode atingir ao público infanto-juvenil também. É por este motivo que os pais devem observar mais seus filhos a fim de perceber possíveis sintomas depressivos.

Este público está muito propício e um dos principais motivos é a vivência na escola. Estudar diversas disciplinas e desenvolver trabalhos em grupo são algumas das experiências que levam estudantes do ensino fundamental e médio a sofrer com a doença. O que para alguns parece uma tarefa simples do dia a dia, para outros as provas, trabalhos individuas e em grupo, principalmente, são consideradas como um bicho de sete cabeças. 

Até a década de 70, a depressão neste público era considerada inexistente ou rara, mas no ano de 1975, o Instituto Nacional de Saúde Mental dos EUA (NIMH), reconheceu e oficializou o caso nos pequeninos.

Os sintomas depressivos no público infanto-juvenil são insônia, fadiga, irritação, perda ou ganho de peso, diminuição da capacidade de concentração, sentimento de culpa, diminuição de apetite, isolamento, suicídio, entre outros.

O doutor Dráuzio Varela fala sobre o percentual da doença na infância e adolescência. “A depressão afeta 5% dos adolescentes e 1% das crianças. É difícil tratar essa doença sem os pais estarem cientes das causas e sintomas da enfermidade”, destacou.

As consequências da depressão, além da vivência na escola, também podem surgir por questões hormonais, genética, física ou causas externas em crianças e adolescentes. Entenda:

– Hormonal: Problemas ligados à glândula tireoide é um fator;

– Genética: A depressão pode surgir por hereditariedade (histórico familiar da doença);

– Causas externas: São fatos ocorridos na vida do indivíduo como a perda de um ente querido, notas baixas no colégio, estresse e etc.;

– Física: Infecção é um fator que leva à depressão.

Maria de Lurdes, pernambucana, 50 anos, relata: “É muito importante os pais observarem os filhos em tudo o que fazem, se estão se alimentando bem, se querem brincar ou preferem ficar no quarto isolados, pois eles não têm tanta noção sobre esta doença e suas consequências. A ajuda quem vai oferecer é o adulto ao perceber a doença”, comentou.

Caso a criança ou o adolescente desenvolva o quadro, os pais precisam urgentemente procurar ajuda de um profissional, como psicólogo ou psiquiatra dependendo do caso, que irão desenvolver tratamentos. 

Por Erika Amanda Silva de Souza


Confira aqui algumas dicas do que fazer enquanto espera a chegada da data da prova.

Final de ano é tudo igual, muitas famílias planejando férias, Natal, Ano Novo, estudantes contando os dias para jogarem os cadernos pro alto e relaxar depois de um ano puxado. Não para vestibulandos. Vestibulandos são estudantes focados no futuro, nas escolhas mais difíceis de suas vidas. Determinar, ainda tão jovem a profissão que irá exercer por toda sua vida, é uma tarefa nada fácil.

Como se isso não bastasse, ainda tem uma maratona de provas para entrar na faculdade escolhida. Muitos optam por prestar vestibulares em diversas instituições e ai lá se vão inúmeros finais de semana focados e tensos nas provas.

Enquanto essas datas não chegam, cada um cria estratégias pessoais para manter o foco no estudo, sem perder a concentração, controlando a ansiedade.

Aqui seguem algumas dicas do que fazer para ajudar nessa espera.

Alimentação saudável é fundamental. Parece corriqueira essa dica, mas muitos não a seguem e sofrem as consequências. Momentos muito ansiosos desencadeiam gastrites, dores de cabeça, cansaço intenso e estresse, a pressão psicológica deixa nosso organismo bem transtornado. Uma alimentação saudável pode ajudar seu corpo a se manter firme e forte nesse momento, principalmente forte, no dia da prova corpo e mente devem estar em sintonia total.

Para essa sintonia ser ainda melhor, água neles. Hidrate-se muito, ande com uma garrafa de água, beba sucos, água de coco, corpo bem hidrato ajuda na prevenção de inúmeras doenças e anda é um ótimo condutor de energia.

Leia um livro, mesmo um que não esteja na lista do vestibular, algum que lhe agrade e que possa ser considerado como um momento de lazer. Acredite, não é perda de tempo, ali você estará enriquecendo seu vocabulário, mantendo seu português em dia, estimulando raciocínio para a hora da redação, mas de uma maneira mais relaxante.

Pratique exercícios, isso lhe estimulará a estudar mais depois, a mandar a preguiça para bem longe.

E ai, sim, depois da prova, esqueça os cadernos, as apostilas, os livros, e relaxe. Sabendo que você fez se melhor, aguarde o resultado com pensamento positivo.

Por Vivian Schetini


Alguns cuidados e planejamento são muito importantes para a última semana que antecede as provas do Enem.

Com o Enem chegando, muitos estudantes podem ficar ansiosos e pensando o que fazer na última semana de estudos. Mas o momento não é para desespero.

Se você teve uma boa grade de estudos, respeitando os horários e separando os temas corretamente, chegou a hora de fixar alguns conhecimentos que por acaso não tenham sido absorvidos de forma efetiva.

Já que resta somente uma semana, dê atenção às disciplinas que possui maior dificuldade. Valem aulas extras, os famosos “aulões”, que são oferecidos por alguns cursos preparatórios. Os eventos costumam ser feitos em grandes auditórios ou mesmo teatros e casas de show. Os eventos são ideais para estar em contato com as disciplinas, em outro ambiente, o que pode gerar uma maior descontração, além do benefício da maior interação com outros estudantes, que podem proporcionar trocas importantes.

É hora de se preparar para o tempo de prova. Fazer simulados com o tempo exato da prova pode ajudar a ter controle na hora da prova real. Seu cérebro estará muito mais preparado se for treinado com antecedência. Alguns sites de estudos oferecem provas com conteúdos semelhantes ao do exame. Se não conseguir, vale resolver provas anteriores, só para ter uma noção do tempo gasto em cada questão.

Já sabe onde vai fazer a prova? Uma boa opção para essa última semana é visitar o local de prova e traçar os meios de transporte que te levarão até lá. Veja o tempo gasto com transporte público, as opções de horário (lembre-se que aos finais de semana os horários costumam ser irregulares), e se for de carro, verifique a possibilidade de estacionamento. Não deixe para descobrir isso na última hora.

O sono também é importante para essa reta final. Procure dormir cedo e comer alimentos leves, que não possam interferir em seu metabolismo. Dessa forma, você não terá problemas como cansaço ou esgotamento físico no dia da prova.

Para a véspera da prova, muitos cursos oferecem aulões, mas o indicado é evitar o cansaço. Prefira revisar algo em casa, dar uma última lida em algum capítulo importante e ver algum material que possa ter esquecido. Mas evite grande número de horas estudando, para evitar o nervosismo.  Antes de qualquer coisa, o Enem é um exame que mede sua capacidade de controle mental. Portanto, na véspera, evite situações desgastantes. Durma cedo e, no dia do exame, procure chegar com boa antecedência, para se acalmar e se ambientar ao local.

Ao agir com calma e com bastante planejamento, a reta final será muito mais tranquila e a prova será feita com muito mais tranquilidade.

Por Rodrigo Silva

Prova do Enem


É preciso ficar atento e se preparar para alguns questionamentos que os recrutadores podem fazer.

Terminou a graduação e está encarando o mercado de trabalho? O sucesso para uma boa entrevista de emprego vai muito além do diploma e de alguns meses de estágio. Atualmente, para se destacar no mercado corporativo o candidato precisa de outros requisitos e diferenciais. Que tal ficar por dentro deles?

– Não valorize apenas o seu diploma:

O diploma do curso de graduação é fundamental, mas ele não deve ser o seu objetivo principal. Há pessoas, por exemplo, que não sabem o porquê escolheram o curso de graduação e outras que vão desistindo ao longo do caminho.

Por que você escolheu o curso? É preciso que você tenha essa resposta dentro de si, porque ela vai ampliar o seu horizonte e o conhecimento. Tempo é um recurso valioso, por isso, além do diploma é fundamental saber o porquê das suas escolhas, porque elas irão refletir no seu caminho profissional, sobretudo durante a entrevista de emprego, em que você irá contar sobre as suas experiências.

– Currículo: ele deve ser objetivo.

O seu currículo deve ser objetivo. Por isso, prepare-o antes de levá-lo à entrevista ou enviá-lo para a empresa. Ele deve ter informações sucintas relatando os seus pontos fortes, resultados e experiências. Evite excesso de palavras e itens que sejam desnecessários. O documento deve ser coeso e objetivo.

Desta forma, durante a entrevista, o recrutador pode ir avaliando e perguntando sobre a sua trajetória profissional.

– Você sabe contar a sua história?

É fundamental que você saiba relatar sobre as suas experiências profissionais com começo, meio e fim. Ou seja, que você não se perca ao relatar as informações, principalmente, quando as perguntas da entrevista forem complexas. É fundamental que o recém-graduado tenha um pensamento analítico, crítico e saiba expor os seus argumentos e pontos de vista com as palavras certas e tenha a habilidade para contar uma história convincente.

Gostou das dicas? Deixe a sua opinião!

Por Babi


Com muita determinação, empenho e algumas dicas fica mais fácil aguentar a rotina de estudos para o vestibular.

Estudar para vestibular exige determinação e emprenho por parte do candidato. Todo ano, milhares de pessoas disputam várias vagas nas Universidades públicas e privadas. Muitos candidatos optam por estudar sozinhos, outros investem em cursinhos preparatórios e há os que rendem estudando em grupo. Veja algumas dicas de estudo para aguentar a rotina!

– Tenha um plano de estudo!

Crie um plano de estudo com metas e desafios reais, ou seja, dentro da sua realidade. No seu cronograma deve constar as matérias, as revisões, as aulas presenciais, entre outros métodos de estudo que você utiliza. Além disso, não se esqueça de separar um tempo para descanso. A sua mente precisa recuperar as energias!

– Qual é o seu método? Descubra!

É essencial descobrir o seu método de estudo: revisão, ler, fazer exercício, entre outros. Qual o estudo que funciona melhor com você? Para isso, é preciso testar todos. Por isso, crie resumos, faça vários exercícios e leia. Equilibre a sua rotina com atividades que possam melhorar a sua aprendizagem. Assim, ela vai ficar mais divertida e diferente.

– O tempo: ele é um recurso valioso.

O seu tempo pode ser conciliado com outras atividades sim. Mas lembre-se de que o estudo é a sua prioridade, por isso, dedique mais tempo a ele. Mas, reserve momentos para o lazer também. Programe no seu dia as horas de estudo e cumpra as suas metas com determinação e confiança.

– A importância do treino.

Resolva muitos exercícios e faça simulado dos outros vestibulares. Desta forma, você vai saber em que precisa melhorar e dedicar mais atenção. Uma boa dica, por exemplo, é que você pode criar um Quis rápido para testar os seus conhecimentos sobre as matérias.

– Mantenha-se atualizado.

O estudante deve estar por dentro do que acontece ao redor do mundo. Por isso, não fique alienado e leia muitos jornais, blogs, sites de notícia, entre outros. Esteja sempre atualizado e antenado, porque isso fará a diferença.  

Por Babi


Profissionais que estão entrando no mercado de trabalho, ou os que já estão atuando, podem fazer análises e encontrar o caminho certo em suas carreiras.

Como escolher a profissão certa? Essa é uma pergunta que passa pela cabeça da maior parte das pessoas que estão dando o primeiro passo para o ingresso no mercado de trabalho.  A situação não é restrita apenas a essa parte de profissionais. Muitos dos que já se encontram no mercado ainda pensam sobre o assunto. De qualquer  forma não há uma resposta exata para essa pergunta. Mas isso não é para ser desesperador. É algo que pode ser encarado como um desafio. Em primeiro lugar o profissional deve se conscientizar que mudar de ideia sobre a profissão que deseja é normal. Não deve se culpar caso ocorra isso. O lado bom é que existem algumas coisas que podem ajudar qualquer pessoa a analisar e encontrar o caminho mais certo profissionalmente falando. Vamos a algumas sugestões de como fazer isso. Confira:

– Conheças as profissões:

Imagine que a vida profissional é como um relacionamento. O primeiro passo é gostar de algo. Mas apenas isso não basta. Muitos profissionais gostam apenas de uma determinada parte da profissão e vão odiar o resto quando a conhecerem por inteiro. Analisar a profissão é muito importante. Assim a pessoa vai saber se realmente aquela carreira tem algo em comum com seu perfil profissional. Resumindo pesquise a fundo cada uma das que lhe interessam e descarte aquelas que passam muito longe daquilo que não lhe interessa.

– Conheça seu perfil pessoal e profissional:

Em qualquer aspecto da vida quanto mais se conhece sobre si mesmo mais sucesso se tem. Isso pelo simples fato de que a pessoa vai saber o que será capaz de fazer ou não, até onde conseguirá ir e assim por diante. Autoconhecimento é a palavra de ordem. Como fazer isso? Pegue uma folha e liste aquilo que lhe interessa, que lhe dá prazer, seus pontos fortes. Mas não é só isso, faça uma lista de seus defeitos também, de qualidades que ainda lhe faltam, enfim, de aspectos que podem ser trabalhados e melhorados.

Quem sabe muito sobre si mesmo vai ter mais segurança no momento de escolher uma determinada carreira.

– Examine sua “relação” com a profissão:

Hoje em dia esse ponto é um dos mais simples de se fazer. Há uma infinidade de testes vocacionais por aí ao alcance de todos. Além disso, a pessoa pode buscar orientação especializada com profissionais vocacionais e psicólogos que atuam nesse setor. Outra dica para compreender melhor se a pessoa tem ou não muita afinidade com a profissão de interesse é buscar saber tudo que diz respeito a ela. Não apenas suas descrições, mas o que o mercado reserva para o futuro, quais são as possibilidades oferecidas e assim por diante.

Esperamos que essas dicas possam ajudá-lo a ter uma direção de “por onde começar” no mercado e assim facilitar a sua escolha profissional.

Boa Sorte.

Por Denisson Soares


Setor de energia eólica está crescendo no Brasil e profissionais da área estão sendo requisitados

Estamos vivendo momentos instáveis na economia brasileira, e devido a  vários problemas enfrentados  a  energia tem  sido um dos principais pontos a serem abordados, pois nesse primeiro trimestre tivemos um aumento elevado na conta de energia.

Mas está  surgindo um  escape, ou podemos dizer que seja uma aposta, mas já está valendo desde que  tenhamos uma solução.

A energia eólica  é uma das propostas para o setor energético brasileiro nos próximos anos.

Junto com ela cresce a  demanda de  Engenheiros  Eólicos, uma  ramo pouco explorado na Engenharia, mas  com boas perspectivas de ascensão.

A energia eólica, nada mais é do que a transformação do vento em energia, como elétrica e mecânica.

Fatores como a crise hídrica dos últimos dois anos têm impulsionado o setor.

Acredita-se que em 2015 a oferta de energia eólica no Brasil deve crescer cerca de 60%, segundo a Associação Brasileira de Energia Eólica (Abeeeolica).

Regiões como  o Nordeste e o Vale do São Francisco, que  concentram grandes partes das usinas eólicas, apresentam as melhores oportunidades para quem pretende se dedicar ao setor.

Instituições como o SENAI oferecem o curso de especialização  em energia eólica voltada para  formados em nível técnico e  superior.

O curso no  SENAI possui  carga horária de 172 horas e  contemplam disciplinas como fundamentos de  geração eólica, manutenção de turbinas e  engenharia civil na construção de parques eólicos.

O engenheiro especialista poderá trabalhar em  todas as  fases de  desenvolvimento  de uma  usina eólica, desde a  pesquisa das melhores áreas para a instalação até mesmo contribuir para os processos de operação e manutenção de máquinas instaladas.

A profissão está em expansão, do mesmo modo que a fonte eólica e a perspectiva é que  cresça expressivamente  nos próximos anos.

Apesar da  formação  básica  estar  ligada  às  engenharias  tradicionais, como  Civil,  Elétrica e Ambiental, os profissionais devem ter conhecimentos específicos dos dispositivos das máquinas.

É necessário estar atento  às  tendências do setor elétrico, pois existem diversos cursos no Brasil e no exterior com  foco na energia eólica, pois o ramo está buscando profissionais qualificados.

Por André Escobar


A língua escrita utiliza-se de certos sinais gráficos para poderem expressar intensidade, emoção e pausas. Esses são elementos da oralidade que são transpostos para a modalidade por meio do que chamamos de pontuação.

Um dos grandes problemas, e que conta muito ponto, é a utilização correta da vírgula. Assim, buscamos analisar, de forma breve e objetiva, o uso dessa ferramenta.

Primeira dica em relação à vírgula, é que não separamos sujeito de predicado. Exemplos:

– Paulo comprou um carro (correto)

– Paulo, comprou um carro (errado)

Os termos repetidos também vêm separados por vírgulas. Exemplo: 

– Nada, nada, nada, nunca tinha nada.

O vocativo também vem separado por vírgulas, exemplo:

– Maria, venha cá menina!

As orações intercaladas também demandam a utilização da vírgula, exemplo:

– Não sei se eu vou à festa, respondi eu.

Os adjuntos adverbiais que iniciam as frases também utilizam a vírgula:

– Hoje, vou almoçar na fazenda

Utilizamos também a vírgula para separar datas e nomes de locais. Exemplo:

– São Paulo, 25 de dezembro de 2014.

Na elipse do verbo também se usa:

– Ela comprou um sorvete; eu, depois.

A vírgula também é utilizada para separar explicações, como:

– João, o rapaz do mercado, casou-se com Maria.

Um dos pontos que causam muita dúvida é o emprego da vírgula antes da conjunção “e”. Para usar corretamente essa pontuação, devemos ter em mente que a segunda oração do período trata-se de um sujeito ou assunto diferente da primeira, exemplo:

– A lua descia lidamente, e a noite tinha um clima agradável;

Quando temos um sujeito composto, tendo mais de três pessoas, utilizamos também:

– João, Rafael e Ricardo compraram um pequeno rancho.

– São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais são integrantes da região sudeste do Brasil.

Para quem está estudando para vestibulares ou concursos, um exercício bastante interessante de ser feito é pegar textos de revistas, jornais e livros e buscar explicação para utilização de cada vírgula, assim, você consegue aprender na prática as regras de utilização.

Por Thiago José Fernandes


Em nosso idioma há muitas palavras com som semelhantes (homófonas), porém, com escritas  diferentes (heterográficas) e que causam dúvidas a muitos estudantes e concurseiros. Assim, veremos algumas delas:

– Conserto / concerto

Conserto refere-se ao verbo consertar, no sentido de arrumar algo. Já "concerto" é uma apresentação artística de música.

– Mas / mais

O vocábulo “mas” é uma conjunção e, para não ter dúvida, eles pode ser trocado na frase pela palavra “porém”. Exemplo: ontem fui à praia, mas não entrei no mar / ontem fui à praia, porém não entre no mar.

Já o advérbio "mais" tem sentido de soma, de acrescentar: eu e mais dois amigos fomos à praia.

– Viajem / Viagem

A primeira é verbo e a segunda substantivo. Exemplo: A viagem foi maravilhosa / Que vocês viajem em paz!

– Imigrante / Emigrante

Para guardar o correto uso desses vocábulos lembrem-se de que emigrante é quem saí, imigrante é quem chega. Exemplo: Os imigrantes italianos.

–  Mau / mal

O vocábulo mau é adjetivo, portanto, é uma característica atribuída a algo ou alguém. Já "mal", grafado com a consoante "l", é um advérbio e expressa alguma circunstância, podendo, às vezes, ser advérbio de modo.

Ainda a palavra "mal" pode ser substantivo. O importante é que, quando estiver no sentido de característica, será sempre um adjetivo, sendo grafado com a vogal "u", constituindo-se no antônimo de bom.

Assento / acento

Assento é lugar onde sentamos, já "acento" refere-se a acentuação gráfica.

Coser / cozer

Coser vem de costurar e cozer de cozinhar, preparar alimentos.

Paço / passo

Paço refere-se a palácio ou imóvel oficial, já "passo" refere-se ao verbo andar.

Apreçar / Apressar

A palavra "apreçar" muitas vezes gera dúvidas quanto sua correta grafia, e a forma está correta. Apreçar tem o sentido de marcar o preço ou ajustar o preço do produto. Já "apressar" é usada no sentido de acelerar.

Cauda / calda

O vocábulo "calda" refere-se a calda de doces e sopas, já "cauda" é de animais.

Comprido / cumprido

Comprido está ligado a comprimento, longo ou curto. Já cumprido é forma de particípio do verbo cumprir.

Para se sair bem nestas questões em concurso, é sempre bom exercitar a leitura e sempre procurar conhecer os significados das palavras.

Por Thiago José Fernandes


O momento mais difícil para os estudantes é a hora de escrever uma redação. Na maioria dos concursos e vestibulares, a redação tem o mesmo peso que as questões de múltipla escolha e é neste momento, da escrita, que temos a oportunidade de mostrar nossas competências linguísticas, contudo, muitas pessoas não estão preparadas ou não se sentem preparadas o quanto gostariam.

Saber escrever é algo de extrema importância, mas, para você redigir bons textos, é essencial ter o hábito de leitura e usar todas as regras da Língua Portuguesa corretamente.

Nós sabemos que essa tarefa não é tão fácil, por isso listamos algumas dicas que podem te ajudar na hora de redigir uma redação:

– Não faça criticas sem fundamento ou sem objetivos. Se for analisar algo, se baseie em fatos e acontecimentos reais;

– Sempre apresente soluções coerentes para problemas levantados;

– Opte por uma linguagem mais simples;

Não use jargões, gírias, coloquialismo e palavrões na sua redação;

Nunca abrevie palavras: "vc", "msm","qdo", entre outras;

– Seja claro e objetivo. Não se esqueça de fazer um parágrafo para introdução, um para o desenvolvimento e um para a conclusão;

–  Se você começou a escrever um novo argumento, coloque ponto final e não vírgula;

– Não se esqueça da concordância verbal. Se o sujeito está no plural, o verbo também deverá estar;

Não repita palavras incessantemente, use sinônimos;

– Respeite o numero máximo e o mínimo de linhas estipulado;

– Capriche na letra, se você não confia na legibilidade de sua caligrafia, use a letra de fôrma;

– Escreva muitos textos antes da sua prova, isso pode te ajudar a aprimorar as técnicas de redação;

– Evite escrever períodos longos;

– Fique atento à coerência e à coesão;

– Reserve um tempo para reler o texto, pois, quando relemos nossa redação, podemos encontrar alguns erros;

–  E sempre faça essa pergunta a você mesmo: será que um leitor entenderia sobre o que estou escrevendo?

Por Raquel Alice


Estamos presenciando um momento favorável acerca de admissões de engenheiros para os empregos. Essa profissão está em alta e um relatório feito pelo Instituto de Pesquisas Econômicas aplicada (IPEA) confirma essa informação.

Tal documento afirma que o Brasil precisará até o ano de 2020 de 600 mil a 1,15 milhões de profissionais para atender as demandas das indústrias. Essa situação é a nível mundial.

A escassez desses profissionais se explica pelo fato de ocuparem outras posições no mercado de trabalho diferente de sua área. Isso ocorre por causa da acentuada competência de liderança que os profissionais de engenharia adquirem e aplicam com mais facilidade em qualquer segmento empregatício. Pois, profissionais com características de liderança, o mercado tende a absolver com maior rapidez.

Além disso, é uma carreira que contém oportunidades em outros países e, por isso, alguns estudantes procuram cursos no exterior, com expectativas de proposta de emprego em outros locais e/ou multinacionais.

A profissão exige que o candidato seja competente em aplicar tecnologias, porém, que trabalhe em equipe, item importante e cobrado pelas empresas.

O trabalho em equipe influencia na qualidade da execução das tarefas e impõe mais disciplina aos colaboradores. Além de boa relação interpessoal, que é necessário para realizar tarefas em equipe. Portanto, desenvolver a comunicação também é importante para os profissionais da engenharia.

A empregabilidade destes profissionais deve aumentar nos próximos dez anos para atender as necessidades humanas nas áreas da indústria, serviço, saúde, infra-estrutura, meio ambiente, energias e muitas outras.

Cabe às universidades e órgãos de ensino competentes na formação desses profissionais se especializarem e focarem em ministrar o melhor conteúdo e técnicas para os estudantes dessa profissão fascinante.

Por Railson Tomás de Araújo Lopes


Muitos jovens chegam num determinado momento da vida em que se sentem confusos e perdidos, ainda mais a maioria que não conta com o apoio direto dos familiares nas escolhas que farão relacionadas ao seu futuro profissional.

Sentem-se pressionados por questões financeiras a ingressar no mercado de trabalho para ajudar a família, ou, mesmo que não tenham a necessidade de ajudar a família, querem entrar no mundo do consumo e ter seu próprio dinheiro, o que torna tudo mais fácil.

Apesar dessas questões, muito jovens, independente de classe social, decidem não estudar mais. Terminam o ensino médio e arrumam um emprego e acham que a vida está definida. Triste quem pensa assim! A vida oscila, empregos se perdem e cada vez mais, somente os mais preparados conseguem se manter efetivamente ativos no mercado.

Para os que não desejam cursar uma faculdade, embora seja altamente recomendado que o façam, é importante que tenham em mente que devem ter uma profissão, senão ficarão sempre a mercê de subempregos e das oscilações do mercado, que são frequentes. Estarão sujeitos aos empregos de temporada, que pagam mal e na maioria das vezes exploram o trabalhador.

Terminou o ensino médio? Faça um curso técnico. Existem cursos nas mais diversas áreas, assim como as faculdades. Tem cursos nas áreas de humanas, exatas e de saúde. Na área de exatas você pode fazer um curso técnico de Química, caso tenha afinidade com os números. É uma boa profissão e diversos tipos de indústria contratam esses profissionais.

Caso você goste de ambiente de escritório, você pode cursar técnico em Administração. Trabalhará dentro de escritórios nos ramos mais variados das empresas.

Na área de saúde você pode cursar Técnico em Enfermagem, pois hospitais e clínicas existem no país inteiro. E tendo uma profissão de curso técnico, você será melhor remunerado, um profissional mais valorizado e com chances de sempre se manter na ativa no mercado de trabalho. E quem sabe, tome gosto pela profissão e curse uma faculdade na área.

Por Luciana Viturino


Já pensou em se tornar um Bibliotecário e ficar o dia inteiro em contato com livros? Se sim, fique atento, pois vamos dar algumas dicas valiosas a você que pretende seguir carreira como Bibliotecário. Mas saiba que você precisa gostar muito de estar em contato com livros, leitura e ambiente silencioso.

Mas, o que faz um Bibliotecário? Ele é o profissional que organiza o acervo de bibliotecas. Para tanto, ele precisa conhecer muito bem onde fica cada livro e ser bastante organizado. Além disso, ajudar a manter os livros em ótimo estado é outro fator preponderante. Mas não é só isso, o bibliotecário também pode trabalhar no ramo de pesquisa ou elaborar recursos informacionais, ações educativas e projetos de informação digital.

Para ser um Bibliotecário é necessário ter curso em Biblioteconomia, o qual tem duração de 4 anos. As principais disciplinas do curso são: história da ciência e tecnologia; linguística e documentação; comunicação e expressão; sistemas e métodos; linguagens documentárias; geração e uso de base de dados; política de informação tecnológica industrial; gerenciamento em informação empresarial; indexação e resumo. Para exercer a profissão o graduado precisa registrar-se no Conselho Regional de Biblioteconomia (CRB).

As principais características de um bibliotecário são: proatividade, capacidade de observação e organização, detalhista, interesse por diferentes culturas, boa memória, capacidade para lidar com público e dinamismo.

As principais tarefas que um Bibliotecário desenvolve é analisar livros, revistas, documentos, fotos, filmes e vídeos. Realizar arquivamento, restaurar, encadernar e zelar por eles, manter banco de dados, organizar sites de informação, prestar consultoria e assessoria com as informações necessárias, recuperação de informações, entre outros.

O mercado de trabalho está em alta, haja vista a necessidade de pessoas no setor e grande parte das ofertas encontra-se no setor público, como é o caso da Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro. Já em São Paulo, a maior parte dos Bibliotecários trabalha em bibliotecas privadas. 

Por Luciana Viturino


Você já pensou sem e tornar um Acupunturista? É isso mesmo, aquele que pratica a medicina alternativa chinesa e pratica a acupuntura. É um ótimo ramo e está em alta, haja vista os grandes benefícios que a prática tem fornecido à população. Mas você pode estar se perguntando o porquê de a acupuntura ser tão benéfica assim. Eu digo que é por que ela trabalha com estímulos específicos em determinadas regiões do corpo e assim, os neurotransmissores agem como as serotoninas e as endorfinas, o que normaliza diferentes funções do corpo.

Na maioria das vezes a acupuntura ocorre com agulhas, raios lasers ou microcorrentes elétricas. Cabe lembrar que todos os aparelhos utilizados são esterilizados e muitos profissionais da saúde afirmam que o método é excelente para complementar qualquer tipo de tratamento.

Sendo assim, você precisa ficar atento às características que um profissional precisa ter, sendo elas: sensibilidade, atenção aos detalhes, boa visão, ser detalhista, capacidade de concentração, facilidade em lidar com agulhas e objetos cortantes, interesse pela cultura oriental e pela medicina, raciocínio lógico e rápido, e firmeza nas mãos.

Mas você deve estar se perguntando: qual curso eu preciso ter para me tornar um acupunturista? Bom, para ser um profissional de acupuntura, então você precisa ser formado em uma das seguintes áreas: Medicina, Farmácia, Fisioterapia, Psicologia, entre outros e se especializar na área. Cabe ressaltar que pessoas com ensino médio completo também podem se tornar acupunturistas e para isso basta que façam o curso Técnico de Acupuntura e Medicina Tradicional Chinesa. O método é indicado para diversos casos, como dores de cabeça; processos agudos e crônicos de dor; insônia e ansiedade; dores na cervical, ombro e cotovelo; lesões nas articulações; traumatismos; tendinites; problemas digestivos; problemas pulmonares e alérgicos; lesões esportivas; pré e pós-operatório; problemas ginecológicos; estresse; lombalgias; entre várias outras funções.

Entretanto, o mercado nessa área tem crescido bastante nos últimos anos e vem ganhando cada vez mais credibilidade.  

Por Luciana Viturino


É muito comum nos dias de hoje vermos pessoas que se formam e posteriormente não se identificam com a profissão ou que não conseguem uma oportunidade na área e terminam por ter que trabalhar em outra área e esquecer o que aprendeu durante anos de faculdade, ou até mesmo por que não gostaram do curso. Se você se encontra neste caso continue lendo e veja o que fazer quando isso acontece.

A primeira coisa que você precisa ter em mente é que a idade pesa na hora de uma seleção e muitas cidades brasileiras já não contratam pessoas que possuem determinadas idades. A meu ver isso é um grande engano, pois é possível ter um funcionário altamente capaz com idade mais avançada e um funcionário jovem com pouca experiência e vice versa. Porém, o que eu tenho a dizer a você que não se identificou com o curso e está com uma idade avançada é que procure sim fazer outro curso. Contudo, tenha em mente que você precisa de duas coisas: algo que lhe dê prazer e algo que lhe dê retorno financeiro.

Claro que se você conseguir encontrar isso na mesma profissão será ótimo, mas se isso não acontecer procure outra coisa para trabalhar e ir fazendo outro curso para não ficar o resto da vida frustrado.

Nós sabemos o quando é péssimo trabalhar naquilo que não gostamos. Ainda que tenhamos de procurar uma profissão que nos dê um retorno financeiro para sobreviver precisamos verificar se possuímos um mínimo de afinidade com o que estamos fazendo. Lembre-se também que o mercado de trabalho está cada vez mais acirrado e está muito comum encontrarmos pessoas com nível superior. Mas, o importante aqui é não deixar de se atualizar com o que há de novo. Eu sei que a tecnologia tem avançado de forma extraordinária e muitas vezes acompanhar tudo isso não é tão fácil quanto parece, mas tente fazer a sua parte e o resultado virá. 

Por Luciana Viturino


Você está se preparando o vestibular? Além de estudar, é preciso saber como estudar. Dedicação, determinação e concentração são fatores de sucesso para quem almeja ingressar em uma universidade. Mas, que tal ficar por dentro de algumas dicas para turbinar a sua preparação e ir bem na prova?

Há faculdades que fazem provas duas vezes ao ano: no meio e no fim. Na maioria das vezes, o estilo das questões costumam ser o mesmo, ou seja, a banca não muda muito. Por isso, é fundamental que o estudante treine por questões de outras provas, para que possa conhecer o estilo de cobrança e saber os seus pontos fracos e fortes em cada conteúdo.

Comece a fazer a prova por questões que você domina o conteúdo, para aproveitar a sua energia inicial. Ama português? Comece o vestibular pelas questões deste conteúdo, então! Isso vai manter o seu pique, disposição e fortalecer a sua autoestima.

Terminou os assuntos que domina? Então comece a responder as questões mais simples e fáceis e vai aumentando gradualmente pelo nível de complexidade. Faça uma marcação nas questões que considerar mais difícil e retorne depois. Porém, não se esqueça do tempo. Não o gaste em excesso com uma pergunta que não esta conseguindo responder. Prossiga!

Leve um lanche leve para a prova, porque a fome vai aparecer. Inclua frutas ou barras de cereais, e evite alimentos gordurosos. Não se esqueça de levar água, para manter a hidratação.

Está indo fazer a prova? Antes de sair de casa confira se está carregando todos os documentos de identificação necessários e os materiais. Faça essa conferência mais de uma vez. Não deixe para a última hora e não gaste a sua energia com coisas desnecessárias.

Durante o vestibular, mantenha a calma, concentração e confie no seu potencial. Lembre-se de que você estudou e se esforçou o quanto pode, então vá para a prova com a certeza que deu o seu melhor.

Boa sorte! 

Por Babi


A ansiosidade é um recurso da mente que te prepara para momentos futuros, onde possivelmente você será testado e o cérebro necessitará de uma grande quantidade de processamento.

Essa preocupação com acontecimentos futuros normalmente é saudável. Saber o que está por vir e se preparar é um dos motivos da ansiosidade. Porém, esse recurso tão importante pode ser motivo para momentos de insônia, dores de cabeça e queda de produtividade. Saiba como usar a ansiedade a seu favor e não ficar com aquele branco na hora da prova.

– Prepare-se para a prova:

Por mais simples e óbvia que essa dica possa parecer, saiba que ela é  maior motivo de ansiosidade e consequentemente fracasso nos testes. Quanto você se prepara, sua mente sabe que você está preparado para o que vier, por isso, ela nem se preocupa.

Criar o hábito de estudar sempre, mesmo com testes próximos, é a maneira mais simples de resolver aquele problema. Quantas vezes você já não viu aquele colega que sempre tira notas boas falar que nem estudou. A verdade é que estudar já se tornou um hábito, logo não há preocupações nem ansiosidade.

– Descanse bem no dia anterior:

Que tal parar com aquele velho hábito de dormir até tarde? Dormir bem deixa o cérebro descansado e potencialmente mais rápido. É fato, você pode ter toda a informação de que precisa dentro de você, mas se não tiver uma mente preparada para encarar os desafios que virão, você provavelmente terá um branco na hora da prova e aquela sensação de  “eu sabia a resposta mas não lembrava”, será algo que vai lhe atormentar frequentemente.

– Seja positivo:

Por mais difícil e complexa que uma matéria possa ser, não desista. Essa parece frase de livro de autoajuda, mas é a pura verdade. Encare a prova como um desafio que você pode superar e nada mais.

Foque nas matérias e confie na sua capacidade que você será feliz em qualquer teste ou exame que fizer, afinal, se você não acreditar em si mesmo, quem vai?

Por Felipe Henrique de Souza


Vestibulares são uma passagem complicada na vida de todo e qualquer estudante que deseja ingressar no ensino superior. Falaremos aqui sobre algumas coisas importantes a se considerar quando se faz vestibular:

1- Conheça previamente o local de prova:

Saber onde a prova será realizada é essencial. Se a prova for na sua cidade vá ao local no dia anterior. Conheça as entradas, os melhores pontos de acesso e se familiarize com o trânsito da região. Preocupar-se com isso nunca é demais. É terrível chegar a um local onde não conhece, após enfrentar um trânsito terrível, tendo que entrar no local no horário indicado. É uma ótima precaução e salva muita gente de perder a prova.

Depois de se preparar o ano todo você não quer ficar de fora por isso, não é mesmo?

2- Mantenha- se hidratado:

Leve água. Se você não fizer isso terá que sair da sala para beber água, ainda mais no calor do fim do ano que temos aqui. Algumas pessoas gostam de sair da sala de prova para beber água e dar uma espairecida, se você é desses tudo bem. Mas é importante se manter hidratado. Se você não bebe água é tomado por um grande desconforto mais perto do fim da prova, o que certamente irá te atrapalhar na concentração.

3- Evite alimentos:

Você deve levar comida pra prova (de qualquer tipo) somente se você tiver algum problema que precise se alimentar com frequência ou se for para combater a tensão do momento. A maioria das pessoas discorda desse tópico, mas veja bem, você irá perder tempo comendo (na maioria das vezes), abrindo pacotes, etc e ainda por cima corre o risco de sujar seu cartão de resposta (que nunca pode ser substituído). É mais comum do que se imagina ver gente sujando a prova com chocolate e perdendo pontos importantes porque o cartão resposta ficou ilegível.

4- No dia anterior não surte:

Aproveite o dia anterior para relaxar. Nada de ficar fritando em cima da matéria. O que você teria que aprender para a prova, aprendeu ao longo do ano. Se você se sentir desconfortável em ficar parado tudo bem, pegue algumas fórmulas matemáticas ou coisas simples para decorar. Agora não é hora de aprender. Chegar no dia seguinte com a cabeça descansada é certamente uma ótima forma de melhorar as notas.

Por Nosf


Fim do ano está chegando e com ele começa a maratona de provas dos vestibulandos em busca de uma colocação nas melhores universidades do país. Um ou mais anos de preparação intensa será posto literalmente à prova em várias etapas nos próximos dias. Na reta final os estudantes intensificam as horas de estudam, dormem menos, a ansiedade atrapalha, a pressão deles próprios e da família aumenta. Enfim, o que fazer para lidar com tudo isso de forma pratica e eficiente? O que fazer para conseguir tirar o maior proveito desse momento e, claro, passar no tão sonhado vestibular?

 A primeira dica é tentar manter a tranquilidade, sabemos que é difícil, mas temos que tentar. Reze, medite, corra na praia, separe algumas horas para a academia. Não importa como, cada pessoa tem uma personalidade diferente e por isso cada um precisa descobrir seu próprio meio de relaxar.

Concentre-se em estudar aquilo que sabe. Sim, aquilo que sabe, vai garantir nota máxima nas questões que você se identifica. Todas as matérias são importantes e os vestibulandos precisam estudar tudo, mas na reta final talvez seja mais interesse ter foco em algumas questões que possam garantir pontos.

O pior erro é o exagero, não adianta aumentar as horas de estudos, é interessante manter as horas de sono, isso ajudará sua mente a "buscar" as informações quando você precisar delas.
Entender as fórmulas é uma dica a longo prazo. Fica mais fácil aplicar algo que você entende o porquê, do que algo que você decorou. Tabela periódica, por exemplo, estará lá, mas se você souber onde estão os principais elementos, poderá ganhar tempo.

Para finalizar, escolha um ou outro dia, sem exageros, para confraternizar com os amigos, deixar a cabeça leve e relaxada pode ajudar, afinal você estudou o ano todo, e por isso não é agora que precisa correr contra o tempo.

Outra dica importante é em relação à alimentação. Coma alimentos leves, devagar, e beba muita água. E claro, boa sorte.

Por Vivian de Oliveira Schetini Sixel


O Teatro e a Produção Cênica basicamente envolvem diversos seguimentos. O profissional poderá desenvolver seus trabalhos na interpretação de peças, montagem e direção das mesmas. É uma área de atuação para pessoas que tem certa liberdade e se sentem a vontade para expressar sentimentos, ideais e histórias por meio do corpo e da voz.

Há a possibilidade também do profissional que atua nesse seguimento seguir uma sólida carreira como ator. O que inclui as mais variadas formas de produção, como o teatro, a televisão, filmes e comerciais.

Os profissionais que contam com licenciatura na área poderão trabalhar como professores de aulas de teatro voltados para alunos de nível fundamental e médio além de poder ministrar cursos livres.

Os profissionais licenciados nessa área encontram maiores oportunidades de emprego em escolas da rede pública e também privadas. Entretanto, vale destacar o fato de que a disciplina em si não é obrigatória para o ensino fundamental ou médio.

Sendo por isso, categorizados como cursos extracurriculares. Esse fato dificulta um pouco a popularização da função. Entretanto, nos últimos anos, diversas instituições tem reconhecido o fato e integrado em sua grade curricular cursos relativos a essa área.

Como citado no início, há diversas áreas onde o profissional pode atuar. Porém, há uma diferença que convém destacar. Quem possui a licenciatura na área geralmente irá atuar em setores que envolvem teatro, cinema, televisão, publicidade, dublagem e etc. Aqueles que contam com o bacharelado ou ainda são tecnólogos, tem habilitação para formar grupos de teatros e realizarem todas as etapas de produção de peças próprias.

Nesse último caso, as chances de diversificação das funções são maiores, já que o profissional poderá se destacar trabalhando na criação de textos, como ator, produtor e diretor entre diversas outras.

Segundo informações do Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversões do Estado de São Paulo os profissionais ganham em média R$ 440 por cada apresentação. Já o MEC informa que o salário por uma carga horária de 40 horas por semana pode chegar a R$ 1.567,00.

Por Denisson A. Soares


O curso de nível superior em Administração é atualmente a graduação mais oferecida no Brasil. Para se ter ideia dessa amplitude, são cerca de 1.822 instituições que trabalham essa área de conhecimento.

Outro detalhe que também chama a atenção é que, em termos de matrículas, ele também é campeão. Em média são 800.000 por ano. Esses números apresentados pela Administração podem ser justificados pelo fato de que o curso é bastante generalista e, claro que, junto a isso, há o fato de que o profissional formado nessa área de conhecimento é um dos mais requisitados no mercado. Fato que independe do segmento ou do tamanho da empresa.

A cada ano o curso de bacharelado em Administração é o que mais forma profissionais. A área é muito concorrida e um dos principais motivos para isso é o fato de que o mercado para o profissional em administração também está crescendo junto com outros setores do mercado.

O Administrador passa a ser uma peça fundamental em diversas áreas. No caso das grandes corporações, esse profissional encontra mais chances nas áreas de recursos humanos, gestão financeira e planejamento estratégico, dentre outras.

Entre outras possibilidades que envolvem esse profissional está o fato de que o mesmo pode atuar como empreendedor ou ainda prestar serviços de auditoria e consultoria para diversas empresas.

Apesar de haver uma grande oferta de oportunidades de emprego para a profissão em todo o país, as regiões sul e sudeste são as que mais vagas oferecem.

É bom destacar o fato de que muitos dos profissionais formados em administração acabam participando de algum programa de trainee sendo efetivado ao final do mesmo.

De acordo com informações do Conselho Federal de Administração, o salário inicial para a carreira é de, em média, R$ 2.100,00.

Confira algumas áreas onde o administrador pode trabalhar: Administração de Empresas, Administração Esportiva, Administração Hospitalar, Administração Hoteleira, Administração Financeira, Administração Pública e etc.

Como é possível perceber, são diversos os âmbitos de atuação o que dá ao profissional o privilégio de poder “escolher” aquela área que mais lhe agrada.

Por Denisson A. Soares


É muito comum nos dias de hoje encontrarmos pessoas que possuem enorme dificuldade ao memorizar determinado assunto, seja pela quantidade excessiva de informações, seja por outras questões como a concentração. Desta forma, vamos abordar neste artigo algumas técnicas que farão com que você memorize grande parte dos assuntos que necessita com grande rapidez e eficácia.

A princípio, o fator que merece destaque encontra-se na organização e disposição para estudar da maneira correta. Com isso o estudante precisa ter uma noção da quantidade de matérias que precisam ser estudadas, mas também não precisa se desesperar, pois todos passam por essa etapa. Alguns especialistas recomendam ao candidato separar os assuntos que exigem estudo ou revisão. Após isso, é importante dividir o número de páginas pelos dias e horas disponíveis até a chegada da prova. Essa forma de estudos permite ao estudante ter uma noção mais realista sobre as disciplinas exigidas no certame e faz com que ele tenha uma noção do tempo que levará para aprender determinado assunto.

Em seguida temos de enfatizar que não basta que o participante apenas leia, pois isso faz dele um aluno passivo e monótono. Desta forma, uma boa técnica é fazer o fichamento de todo o conteúdo, ou seja, a cada parágrafo que você ler, tente fazer uma síntese das palavras chaves e com o término da leitura, tente explicar a si mesmo a essência do texto, levando em consideração a síntese realizada.

Cabe salientar que a repetição é o principal aliado na hora de guardar conceitos e a resolução de exercícios, bem como de simulados tem de fazer parte da rotina do estudante. Os macetes não podem ser decorados antes de o aluno compreender a teoria da matéria. Por fim, o estudante precisa ter uma boa alimentação, excelente noite de sono e horas de lazer a fim de conseguir memorizar todos os conceitos até o dia da prova. 

Por Luciana Viturino


Entrar numa universidade é o sonho de uma grande parcela de jovens que está concluindo este ano ou já terminou o ensino médio.

As formas de ingresso ao tão desejado curso de ensino superior nunca é fácil. São necessários dias, meses, de estudo e de aulas para conseguir uma vaga em cursos tanto da rede pública quanto nas instituições particulares. Muitos jovens acreditam que o simples fato de se matricular num curso pré-Enem ou pré-Vestibular será suficiente para chegar à nota de aprovação, isso é um grave engano que muitas pessoas cometem e elas só vão se dar conta que “pisaram na bola” quando o nome não aparecer na lista dos aprovados. Se você não quer ser uma delas, não terá escolha, terá que se dedicar e estudar muito, pois as dificuldades são muitas e depende de você e da sua força de vontade.

Algumas dicas sempre são válidas na hora de estruturar os estudos e garantir que o ganho de conhecimento seja o necessário para conquistar a sua vaga na universidade.

Durante os estudos, cada curiosidade, dado relevante, informação, devem ser anotadas. Isso poderá lhe ajudar no momento que esteja respondendo as questões da prova, às vezes só lembrar de um fato que tenha lhe chamado a atenção, pode trazer a resposta correta à tona e você garante um ponto a mais na prova. Anotar todas as dúvidas que surgirem durante sua leitura também é importante porque depois poderá esclarecê-las com os seus professores ou procurando-as na internet. Mencionando os professores, pense que eles são os seus maiores aliados nos estudos, se tiver dificuldade em realizar algum cálculo ou ficou com lacunas nas disciplinas, peça que eles esclareçam, isso fortalecerá a sua autoconfiança e poderá relacionar os assuntos com maior facilidade. Essa sinergia entre os temas interdisciplinares é ótima para você buscar respostas, relacionar faz parte da racionalidade, assim, quando você entende o contexto de uma pergunta, você poderá estar encontrando a resposta de outra.

Por último e não menos importante, não deixe os seus estudos para depois, vá estudando e usando o tempo livre para fazer as provas anteriores ou ler sobre atualidades, o tempo que você dedica aos seus estudos refletirá na sua nota, então não perca tempo.

Depois que adquirir uma rotina de estudos tenha certeza que terá muito mais disposição e motivação para estudar e conseguir, finalmente, o seu nome no listão.

Por Melina Menezes





CONTINUE NAVEGANDO: