Confira aqui o material de estudo e o que estudar para o Encceja 2017.

O Encceja (Examme Nacional de Certificação e Competência de Jovens e Adultos), através do INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas), tem como objetivo aumentar o índice de jovens e adultos com ensino médio no Brasil, por meio de uma prova de capacitação, pois há milhares de pessoas sem diploma, que tiveram que parar de estudar para cuidar de suas famílias, trabalhar e até mesmo pararam por não aguentarem ir à escola.

O programa do Encceja é voluntário e gratuito, quem mora no exterior também pode fazer. O exame pode ser feio para a conclusão do Ensino Fundamental (para quem tem no mínimo 15 anos) e do Ensino Médio (para quem tem no mínimo 18 anos).

Material para Estudo

O material para o estudo pode ser encontrado para download em diversos sites, que disponibilizam todas as matérias a serem estudadas. Quem preferir também pode baixar o material diretamente nos links abaixo:

Além dos downloads, “o INEP disponibiliza em sua página o material didático pedagógico de apoio aos participantes e professores. Composto por um volume introdutório, quatro volumes de orientações aos professores, oito volumes de orientações para o estudante, subsidiando o estudo individual.

Todos aqueles que tenham realizado o ENCCEJA Nacional em anos anteriores e não obtiveram média para aprovação na área de conhecimento poderão inscrever-se novamente.

APLICATIVO

O aplicativo do ENCCEJA é igual ao do ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio), que interage por meio de jogo de perguntas e respostas com vídeos dos principais temas. O aplicativo é gratuito e pode ser baixado para Android e iOS.

A PROVA

As provas terão base nas quatro áreas de conhecimento:

Para o Ensino Fundamental:

  • Língua Portuguesa, Língua Estrangeira Moderna, Artes, Educação Física e Redação;
  • Matemática;
  • Historia e Geografia;
  • Ciências Naturais.

E para o Ensino Médio (apenas para os brasileiros residentes no Exterior):

  • Linguagens, Códigos e suas Tecnologias e Redação;
  • Matemática e suas Tecnologias;
  • Ciências Humanas e suas Tecnologias;
  • Ciências da Natureza e suas Tecnologias.

Cada prova terá 30 questões de múltipla escolha, bastante parecida com o ENEM, porém, é menor e mais fácil, mesmo sendo base das mesmas matérias.

Para obter o certificado, é necessário tirar 100 pontos nas objetivas e 5 pontos na redação.

Fora o certificado que reconhece que o participante fez a prova e concluiu o Ensino Médio ou o Ensino Fundamental, o Encceja também poderá emitir uma declaração de proficiência, mostrando que conseguiu gabaritar uma ou mais avaliações feitas no exame.

INSCRIÇÃO DE ACORDO COM O INEP

Processo de inscrição:

– Preencha seus dados pessoais e endereço;

– Responder SIM ou NÃO para necessidade de atendimento especial;

– Responder SIM ou NÃO para necessidade de atendimento específico;

– Na próxima tela, confira as informações prestadas sobre dados pessoais, endereços e atendimentos antes de prosseguir com a inscrição;

– Indique o nível para o qual deseja a certificação, Ensino Fundamental ou Ensino Médio (Só poderá escolher uma opção)

– Indique quais provas deseja realizar;

– Informe a unidade federativa e a cidade onde realizará o exame;

– Informe a Instituição Certificadora onde vai solicitar seu certificado ou declaração;

– Na próxima tela, confira as informações prestadas sobre local de prova. Confirme para continuar;

– Responda o questionário Socioeconômico;

– Preencha suas informações de contato e crie uma senha;

– Depois de tudo respondido, verá a mensagem “Inscrição Concluída com Sucesso”.

– Imprima a confirmação.

DATAS DE REALIZAÇÃO DAS PROVAS

Nacional

Inscrições: 7 a 18 de Agosto

Dia do Exame: 22 de Outubro

Locais da Prova: Mais de 500 locais por todos os estados brasileiros

Nacional PPL (pessoas privadas de liberdade)

Adesão nas unidades: 14 a 25 de Agosto

Inscrições: 21 de Agosto a 1º de Setembro

Dia do Exame: 24 e 25 de Outubro

Exterior

Inscrições: 3 a 17 de Julho

Dia do Exame: 10 de Setembro

Exterior PPL

Inscrições: 3 a 17 de Julho

Dia do Exame: 11 a 22 de Setembro.

Vinicius Barbosa.


Confira aqui algumas dicas de preparação para a Prova do ENEM 2016.

Estamos em contagem regressiva para a realização das Provas do Exame Nacional Do Ensino Médio, o Enem, diante disso surgem muitas dúvidas sobre como deve ser feita a preparação para a realização do exame.

Na realidade, neste momento em termos de estudo dos conteúdos não há muito mais a fazer. Supondo que os participantes já vêm se preparando há algum tempo, o recomendado nesse momento é que o ritmo de estudo tenha uma desacelerada. Pois a ansiedade e o nervosismo já não permitem que conceitos, regras e coisas do tipo sejam fixados pela memória nesse pequeno espaço de tempo.

Dessa forma, o que o estudante pode fazer é revisar possíveis temas que podem ser cobrados na elaboração da redação. Pois na maioria das vezes os temas propostos pelo Enem são assuntos que tiveram uma relevância para o Brasil, como a questão da violência contra a mulher, a influência da mídia, publicidade infantil, enfim, assuntos debatidos no cenário nacional.

O estudante pode praticar a redação, fazendo a elaboração do texto com contagem de tempo, para assim se familiarizar com essa situação. Também é recomendado que se faça uma busca por redações nota “1000”, observando características que possam ser utilizadas na hora da prova.

Muitas vezes, por se tratar de um elevado número de questões, é comum a repetição de questões de edições antigas, por isso é válido que o participante realize as provas de outros anos. Além disso, pelo fato de o Enem ser um exame multidisciplinar em que há um diálogo interpretativo das disciplinas, a realização de exames passados pode tornar mais familiar a linguagem que o Enem apresenta.

Na internet também existem boas opções para quem ainda está buscando complementar seus estudos preparatórios para o Enem. Uma opção prática e válida é a visualização de vídeos, pois instituições de ensino, cursinhos e professores disponibilizam este tipo de vídeo para os estudantes que irão realizar as provas do Enem.

Mas o recomendado é que nessa última semana os participantes procurem descansar mais, dormindo mais cedo, sem se sobrecarregar de estudos. Além disso, procure deixar tudo preparado para que o exame seja feito de forma tranquila e que se obtenha bons resultados.

Sirlene Montes


Site oferece serviço de correção online de redações.

Dados do Ministério da Educação revelam que em 2015, 53.000 dos cerca de 8,4 milhões de inscritos no ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio) zeraram a prova da redação.

Isso sem contar os quase 500 mil inscritos que simplesmente abriram mão de realizar o teste.

Além disso, apenas 104 inscritos tiraram a nota máxima (1000), o que tem gerado grandes discussões a respeito do tema.

As desculpas para essa situação são várias: falta de interesse dos alunos, sistema de ensino precário, diculdade de entendimento do tema; além de um total desconhecimento sobre a proposto da redação; principalmente quando se trata de assuntos em destaque no cenário atual.

Pensando nisso, alguns sites resolveram dar um auxílio aos interessados em aperfeiçoar os seus conhecimentos nessa área, oferecendo um serviço de correção de redações, no momento condicionados a determinados temas.

O Serviço de Correção de Redações

Há alguns anos, profissionais com experiência em correção de redações para o ENEM, vestibulares e outras avaliações, resolveram unir-se em prol de incentivar os alunos a melhorarem o nível dos seus textos.

O sistema funciona da seguinte maneira: no serviço gratuito, o interessado envia a sua redação a sites, como: Redacaoonline.com ou Projetoredação.com.br (estes, os mais conhecidos), esta última é lida por uma comunidade de usuários que iniciam uma série de comentários, opiniões, tiram dúvidas, ensinam e aprendem; e o resultado é que o contratador do serviço terá de volta a sua redação repleta de conselhos e correções de estudantes ou pessoas comuns, que também se vêem as voltas com dificuldades em relação à redação.

A correção profissional de redações

Já nesse caso, o seu texto é enviado a profissionais (mediante uma assinatura mensal), geralmente graduados e pós-graduados em letras (muitos até com mestrado e doutorado); além de experiência prática em Enem, vestibulares e de ensino em grandes instituições.

Esses profissionais se comprometem a proceder à correção das redações, tecendo comentários sobre cada ponto do texto (que deverá ser desenvolvido ou modificado), analisando a pontuação; além de, ao final, conceder uma nota para a redação recebida, com base nos critérios estabelecidos pelo Enem.

Enfim, em tempos de crise no ensino público, essa proposta de correção profissional de redações, talvez possa ser um bom instrumento para o aperfeiçoamento de candidatos a vestibulares, como o Enem, por exemplo, em um dos maiores vilões dos estudantes de todo o país: a temível e misteriosa REDAÇÃO.

Vivaldo Pereira da Silva


Confira aqui algumas dicas de estudo para melhorar o seu desempenho na prova do Enem.

Novembro está chegando, e com isso a contagem regressiva para as provas do Enem também. Faltando quase 3 (três) meses para as provas, os estudos já estão a todo vapor, por isso todo tempo é precioso para que todo o conteúdo seja estudado da melhor maneira.

Com o conteúdo em mãos, o estudante tem as chaves para a porta do ingresso a uma universidade para ingressar no curso desejado. Saber aproveitar o tempo e estudar da maneira certa são pontos fundamentais para mandar bem na prova e alcançar ótimas notas. Confira agora 10 (dez) dicas para estudar de maneira eficiente e para que consiga se sair bem na prova do Enem.

1 – Conheça bem o Enem e suas provas. Leia o edital sempre que for necessário para tirar alguma dúvida, pois tudo que está contido nele é muito valioso para a hora da prova.

2 – Além das horas normais na escola e/ou no cursinho pré-vestibular, tire algumas horas extras por dia para revisar os assuntos vistos nas aulas e para fazer muitos exercícios. Lembre-se exercitar é o melhor método de estudo.

3 – Concentração. Quando for estudar em casa, prefira por um local com pouco barulho e reservado, assim não há distrações e o foco fica completamente nos estudos. A distração é uma grande inimiga para quem quer estudar, por isso evite ver TV ou escutar músicas durante o estudo.

4 – Nunca estude quando estiver com sono, cansado ou indisposto. Pois, afetará a concentração, logo dificultará no aprendizado. Estude sempre quando estive bem disposto.

5 – É muito importante estudar horas extras, mas é importante também fazer intervalos. Se sua meta é de 5 horas por dia, tire intervalos durante esse período para descansar, comer algo, se distrair um pouco, assim não haverá cansaço.

6 – Planeje. Sim, um bom planejamento de estudo é muito eficiente, estabeleça as matérias e os assuntos a serem estudados por dia. A organização dos estudos é fundamental para um bom aprendizado.

7 – Leia bastante. Como todos sabem o Enem é uma prova longa e um tanto cansativa, devido a grandes textos ao longo da prova. Priorize a leitura, exercite a interpretação, assim terá muita facilidade na hora da prova.

8 – Faça exercícios de provas anteriores. Como já mencionado, os exercícios são fundamentais no aprendizado e para a prova do Enem nada melhor do quer fazer exercícios de provas anteriores, assim já ficará familiarizado com as questões.

9 – Estude com amigos. Faça um grupo de estudos, pelo menos, duas vezes na semana. Um pode tirar a dúvida do outro e assim todos saem ganhado. É uma ótima maneira de se estudar.

10 – Exercite o tempo. Como todos sabem, a prova do Enem é longa, com muitos textos e cansativa, portanto, o tempo é valioso. Faça simulados planejando o tempo que gastará em cada questão, assim terá o controle do tempo e não precisará se preocupar na hora da prova.

Estas foram algumas dicas para ajudar nos estudos. Exercite muito e estude com muita atenção para obter os melhores resultados. A prova do Enem acontecerá nos dias 5 e 6 de novembro de 2016. Bons estudos!

Camilla dos Santos Batista


Plataforma disponibiliza videoaulas gratuitas com assuntos preparatórios para o Exame Nacional do Ensino Médio.

O Enem tornou-se uma maneira de entrar na faculdade, seja usando a nota para auxiliar no desempenho do vestibular ou para concorrer às vagas destinadas ao Sisu. Seja como for, estudantes do ensino médio e pessoas que querem ter a oportunidade de fazer uma graduação estão se inscrevendo na prova, para poder conquistar a sonhada vaga.

A concorrência é grande e o sonho só é realizado se a nota no Enem for boa. Assim, é necessário estudar muito para garantir o bom desempenho. Embora diversas pessoas tenham a oportunidade de fazer um cursinho específico, isso não acontece com todos. É por isso que o Ministério da Educação criou uma plataforma totalmente gratuita para auxiliar os estudos de quem vai concorrer ao Enem.

Ela começou a operar no dia 5 de abril de 2016 e já tem mais de 90 mil inscritos. Ao todo, foram quase 700 mil acessos de pessoas que querem aproveitar a oportunidade para aprender e se dedicar aos estudos.

A maioria dos que já entrou no site têm entre 18 e 24 anos de idade. Além disso, 61% das pessoas preferiram acessar pelo computador e 68% dos acessos foram feitos pelo público feminino. O sudeste teve grande participação até o momento, sendo que São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais foram os com mais acessos. No sul o destaque fica para o estado do Paraná.

O “Hora do Enem” pode ser usado por estudantes das mais diferentes idades, independentemente de estudar em escola pública ou particular.

Além da plataforma virtual, o Hora do Enem vai transmitir, através da TV Escola e outras emissoras parceiras, programas educativos que também ajudarão nos estudos. Toda segunda-feira o estudante contará com aulas gratuitas de matemática. Já nas terças é hora de estudar ciências humanas. Quarta é dia de linguagens e quintas de ciências da natureza. Por fim, na sexta o assunto é redação.

Enquanto isso, na plataforma virtual é possível ter acesso aos planos de estudos, simulados e videoaulas. São 600 videoaulas de diferentes temas disponibilizas gratuitamente e o plano de estudo pode ser montado individualmente, garantindo a melhor adequação ao horário e às necessidades de cada estudante. Para aproveitar entre no site http://tvescola.mec.gov.br/tve/serie/hora-do-enem.

Por Milena Godoy


Muito se tem falado e refletido sobre a questão dos pais no cotidiano de seus filhos na escola. Quais os pontos positivos e negativos dessa parceria? 

Dentro da sala de aula, os filhos estão à mercê dos cuidados do professor e da companhia de seus colegas; entretanto, a família não sabe e tampouco pode controlar o que é transmitido para seus filhos como verdades absolutas. As crianças, muitas vezes, são alvos de bullying ou são as próprias praticantes, e a família só fica sabendo do fato quando a escola entra em contato, porém, pode ser tarde demais para os complexos criados em cima da criança. Ok, a solução para isso tudo seria manter os alunos sob vigilância de seus familiares, certo?!

Vamos por partes. Quando a família de uma criança decide matriculá-la em uma determinada escola, ela não deve levar em consideração pura e simplesmente a proximidade da instituição em relação à sua casa. Ali será o lugar onde o filho passará a maior parte do seu dia, portanto, é fundamental que se saiba, a priori, o que ele encontrará por ali. Independente de valores religiosos, morais, éticos e/ou sociais, todos nós compactuamos mais com certos valores e menos com outros; logo, não será do meu interesse matricular meu filho em uma escola que vai contra os meus ideais e eu, como responsável legal da criança, devo saber quais ideais são esses antes de cogitar a matrícula.

Quanto ao bullying, infelizmente não se pode esperar que a família do colega de classe tenha se preocupado com os mesmos valores educacionais que você, de modo que fizesse com que a criança sentisse necessidade de tirar sarro da outra. Não será, todavia, com a presença de um familiar na aula que as causas e as consequências do bullying pararão. Veja bem, estamos tratando de idade pré-escolar; o bullying não se limita a essa pouca idade. Tendo ciência de que seus filhos não encontrarão pessoas com os mesmos princípios éticos, é de extrema responsabilidade da família trabalhar a maturidade, a segurança, a autoestima e a sobrecarga emocional de seus filhos.


A língua escrita utiliza-se de certos sinais gráficos para poderem expressar intensidade, emoção e pausas. Esses são elementos da oralidade que são transpostos para a modalidade por meio do que chamamos de pontuação.

Um dos grandes problemas, e que conta muito ponto, é a utilização correta da vírgula. Assim, buscamos analisar, de forma breve e objetiva, o uso dessa ferramenta.

Primeira dica em relação à vírgula, é que não separamos sujeito de predicado. Exemplos:

– Paulo comprou um carro (correto)

– Paulo, comprou um carro (errado)

Os termos repetidos também vêm separados por vírgulas. Exemplo: 

– Nada, nada, nada, nunca tinha nada.

O vocativo também vem separado por vírgulas, exemplo:

– Maria, venha cá menina!

As orações intercaladas também demandam a utilização da vírgula, exemplo:

– Não sei se eu vou à festa, respondi eu.

Os adjuntos adverbiais que iniciam as frases também utilizam a vírgula:

– Hoje, vou almoçar na fazenda

Utilizamos também a vírgula para separar datas e nomes de locais. Exemplo:

– São Paulo, 25 de dezembro de 2014.

Na elipse do verbo também se usa:

– Ela comprou um sorvete; eu, depois.

A vírgula também é utilizada para separar explicações, como:

– João, o rapaz do mercado, casou-se com Maria.

Um dos pontos que causam muita dúvida é o emprego da vírgula antes da conjunção “e”. Para usar corretamente essa pontuação, devemos ter em mente que a segunda oração do período trata-se de um sujeito ou assunto diferente da primeira, exemplo:

– A lua descia lidamente, e a noite tinha um clima agradável;

Quando temos um sujeito composto, tendo mais de três pessoas, utilizamos também:

– João, Rafael e Ricardo compraram um pequeno rancho.

– São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais são integrantes da região sudeste do Brasil.

Para quem está estudando para vestibulares ou concursos, um exercício bastante interessante de ser feito é pegar textos de revistas, jornais e livros e buscar explicação para utilização de cada vírgula, assim, você consegue aprender na prática as regras de utilização.

Por Thiago José Fernandes


Em nosso idioma há muitas palavras com som semelhantes (homófonas), porém, com escritas  diferentes (heterográficas) e que causam dúvidas a muitos estudantes e concurseiros. Assim, veremos algumas delas:

– Conserto / concerto

Conserto refere-se ao verbo consertar, no sentido de arrumar algo. Já "concerto" é uma apresentação artística de música.

– Mas / mais

O vocábulo “mas” é uma conjunção e, para não ter dúvida, eles pode ser trocado na frase pela palavra “porém”. Exemplo: ontem fui à praia, mas não entrei no mar / ontem fui à praia, porém não entre no mar.

Já o advérbio "mais" tem sentido de soma, de acrescentar: eu e mais dois amigos fomos à praia.

– Viajem / Viagem

A primeira é verbo e a segunda substantivo. Exemplo: A viagem foi maravilhosa / Que vocês viajem em paz!

– Imigrante / Emigrante

Para guardar o correto uso desses vocábulos lembrem-se de que emigrante é quem saí, imigrante é quem chega. Exemplo: Os imigrantes italianos.

–  Mau / mal

O vocábulo mau é adjetivo, portanto, é uma característica atribuída a algo ou alguém. Já "mal", grafado com a consoante "l", é um advérbio e expressa alguma circunstância, podendo, às vezes, ser advérbio de modo.

Ainda a palavra "mal" pode ser substantivo. O importante é que, quando estiver no sentido de característica, será sempre um adjetivo, sendo grafado com a vogal "u", constituindo-se no antônimo de bom.

Assento / acento

Assento é lugar onde sentamos, já "acento" refere-se a acentuação gráfica.

Coser / cozer

Coser vem de costurar e cozer de cozinhar, preparar alimentos.

Paço / passo

Paço refere-se a palácio ou imóvel oficial, já "passo" refere-se ao verbo andar.

Apreçar / Apressar

A palavra "apreçar" muitas vezes gera dúvidas quanto sua correta grafia, e a forma está correta. Apreçar tem o sentido de marcar o preço ou ajustar o preço do produto. Já "apressar" é usada no sentido de acelerar.

Cauda / calda

O vocábulo "calda" refere-se a calda de doces e sopas, já "cauda" é de animais.

Comprido / cumprido

Comprido está ligado a comprimento, longo ou curto. Já cumprido é forma de particípio do verbo cumprir.

Para se sair bem nestas questões em concurso, é sempre bom exercitar a leitura e sempre procurar conhecer os significados das palavras.

Por Thiago José Fernandes


Muitos jovens chegam num determinado momento da vida em que se sentem confusos e perdidos, ainda mais a maioria que não conta com o apoio direto dos familiares nas escolhas que farão relacionadas ao seu futuro profissional.

Sentem-se pressionados por questões financeiras a ingressar no mercado de trabalho para ajudar a família, ou, mesmo que não tenham a necessidade de ajudar a família, querem entrar no mundo do consumo e ter seu próprio dinheiro, o que torna tudo mais fácil.

Apesar dessas questões, muito jovens, independente de classe social, decidem não estudar mais. Terminam o ensino médio e arrumam um emprego e acham que a vida está definida. Triste quem pensa assim! A vida oscila, empregos se perdem e cada vez mais, somente os mais preparados conseguem se manter efetivamente ativos no mercado.

Para os que não desejam cursar uma faculdade, embora seja altamente recomendado que o façam, é importante que tenham em mente que devem ter uma profissão, senão ficarão sempre a mercê de subempregos e das oscilações do mercado, que são frequentes. Estarão sujeitos aos empregos de temporada, que pagam mal e na maioria das vezes exploram o trabalhador.

Terminou o ensino médio? Faça um curso técnico. Existem cursos nas mais diversas áreas, assim como as faculdades. Tem cursos nas áreas de humanas, exatas e de saúde. Na área de exatas você pode fazer um curso técnico de Química, caso tenha afinidade com os números. É uma boa profissão e diversos tipos de indústria contratam esses profissionais.

Caso você goste de ambiente de escritório, você pode cursar técnico em Administração. Trabalhará dentro de escritórios nos ramos mais variados das empresas.

Na área de saúde você pode cursar Técnico em Enfermagem, pois hospitais e clínicas existem no país inteiro. E tendo uma profissão de curso técnico, você será melhor remunerado, um profissional mais valorizado e com chances de sempre se manter na ativa no mercado de trabalho. E quem sabe, tome gosto pela profissão e curse uma faculdade na área.

Por Luciana Viturino


O desespero no último ano do ensino médio e posterior ingresso na universidade é característica marcante do jovem estudante brasileiro, que na maioria das vezes passou a vida toda não levando a educação muito a sério, logo, ao se deparar com o último ano do ensino médio percebe que tem pouco tempo para transformar uma má formação, ou uma formação medíocre em uma educação apta a ingressar em uma universidade, sempre, claro, buscando a uma universidade pública, o que leva a outra característica do brasileiro jovem, uma obrigação praticamente de entrar em uma instituição assim.

Entretanto, ao não conseguir atingir a pontuação necessária, em sua maioria, recorre aos cursinhos particulares em busca de recuperar o tempo perdido e conseguir aprender o suficiente para entrar na faculdade. Tornam-se uma máquina de decorar e repetir tudo que o cursinho ensina, regras para decorar coisas que deveriam ser aprendidas são usadas aos montes.

A realidade é que isso é um erro muito comum do brasileiro, "deixar para última hora", quem nunca fez isso? Mas você, que ainda é mais jovem e está ingressando no ensino médio, pare para pensar que sua formação começa desde agora, começa desde o ensino fundamental na verdade e não é fazendo um ano de cursinho que você recuperará o tempo perdido, você pode até passar na tão sonhada faculdade pública, mas na hora que finalmente começar os estudos acadêmicos, sentirá falta de muito estudo que deveria ter feito na época de escola e colegial. 

Não seria melhor fazer uma preparação decente? Aprender as coisas de maneira clara e contínua? Sem métodos que facilitariam um estudo que deve sim, ser demorado? Essa é uma questão que deve ser levantada acerca da educação brasileira. Nossos jovens não são educados, eles são criados para decorar coisas e passar nos vestibulares, e quando se deparam com algumas tarefas na faculdade onde precisam pensar e precisam pesquisar e desenvolver certo raciocínio não conseguem, pois sua formação foi medíocre.

Não jogue fora seu tempo, estude de verdade e se prepare para uma boa formação acadêmica futura.

Por Matheus Noronha Sturari


É muito comum nos dias de hoje encontrarmos pessoas que possuem enorme dificuldade ao memorizar determinado assunto, seja pela quantidade excessiva de informações, seja por outras questões como a concentração. Desta forma, vamos abordar neste artigo algumas técnicas que farão com que você memorize grande parte dos assuntos que necessita com grande rapidez e eficácia.

A princípio, o fator que merece destaque encontra-se na organização e disposição para estudar da maneira correta. Com isso o estudante precisa ter uma noção da quantidade de matérias que precisam ser estudadas, mas também não precisa se desesperar, pois todos passam por essa etapa. Alguns especialistas recomendam ao candidato separar os assuntos que exigem estudo ou revisão. Após isso, é importante dividir o número de páginas pelos dias e horas disponíveis até a chegada da prova. Essa forma de estudos permite ao estudante ter uma noção mais realista sobre as disciplinas exigidas no certame e faz com que ele tenha uma noção do tempo que levará para aprender determinado assunto.

Em seguida temos de enfatizar que não basta que o participante apenas leia, pois isso faz dele um aluno passivo e monótono. Desta forma, uma boa técnica é fazer o fichamento de todo o conteúdo, ou seja, a cada parágrafo que você ler, tente fazer uma síntese das palavras chaves e com o término da leitura, tente explicar a si mesmo a essência do texto, levando em consideração a síntese realizada.

Cabe salientar que a repetição é o principal aliado na hora de guardar conceitos e a resolução de exercícios, bem como de simulados tem de fazer parte da rotina do estudante. Os macetes não podem ser decorados antes de o aluno compreender a teoria da matéria. Por fim, o estudante precisa ter uma boa alimentação, excelente noite de sono e horas de lazer a fim de conseguir memorizar todos os conceitos até o dia da prova. 

Por Luciana Viturino


Entrar numa universidade é o sonho de uma grande parcela de jovens que está concluindo este ano ou já terminou o ensino médio.

As formas de ingresso ao tão desejado curso de ensino superior nunca é fácil. São necessários dias, meses, de estudo e de aulas para conseguir uma vaga em cursos tanto da rede pública quanto nas instituições particulares. Muitos jovens acreditam que o simples fato de se matricular num curso pré-Enem ou pré-Vestibular será suficiente para chegar à nota de aprovação, isso é um grave engano que muitas pessoas cometem e elas só vão se dar conta que “pisaram na bola” quando o nome não aparecer na lista dos aprovados. Se você não quer ser uma delas, não terá escolha, terá que se dedicar e estudar muito, pois as dificuldades são muitas e depende de você e da sua força de vontade.

Algumas dicas sempre são válidas na hora de estruturar os estudos e garantir que o ganho de conhecimento seja o necessário para conquistar a sua vaga na universidade.

Durante os estudos, cada curiosidade, dado relevante, informação, devem ser anotadas. Isso poderá lhe ajudar no momento que esteja respondendo as questões da prova, às vezes só lembrar de um fato que tenha lhe chamado a atenção, pode trazer a resposta correta à tona e você garante um ponto a mais na prova. Anotar todas as dúvidas que surgirem durante sua leitura também é importante porque depois poderá esclarecê-las com os seus professores ou procurando-as na internet. Mencionando os professores, pense que eles são os seus maiores aliados nos estudos, se tiver dificuldade em realizar algum cálculo ou ficou com lacunas nas disciplinas, peça que eles esclareçam, isso fortalecerá a sua autoconfiança e poderá relacionar os assuntos com maior facilidade. Essa sinergia entre os temas interdisciplinares é ótima para você buscar respostas, relacionar faz parte da racionalidade, assim, quando você entende o contexto de uma pergunta, você poderá estar encontrando a resposta de outra.

Por último e não menos importante, não deixe os seus estudos para depois, vá estudando e usando o tempo livre para fazer as provas anteriores ou ler sobre atualidades, o tempo que você dedica aos seus estudos refletirá na sua nota, então não perca tempo.

Depois que adquirir uma rotina de estudos tenha certeza que terá muito mais disposição e motivação para estudar e conseguir, finalmente, o seu nome no listão.

Por Melina Menezes





CONTINUE NAVEGANDO: