O Instituto Politécnico de Leiria (IPLeiria) oferta bolsas de estudo para brasileiros realizarem graduação em Portugal.

Diversas universidades de Portugal aceitam, atualmente, o ingresso do aluno brasileiro, usando a nota do ENEM. O Instituto Politécnico de Leiria (IPLeiria) é uma dessas instituições que estão oferecendo bolsas para graduação em Portugal.

As bolsas de estudo oferecidas são parciais, ou seja, de 50% do valor total, que é de 3 mil euros (com exceção dos cursos da área de saúde que são de 4 mil euros), voltadas para cursos de graduação, que são chamados de “licenciatura” em Portugal. São direcionados aos estudantes brasileiros que possuem certificado de conclusão de Ensino Médio e que tenham feito o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), nos últimos 5 anos, acertando, pelo menos, a metade das questões do exame.

São oferecidos 49 cursos de graduação pela instituição, em diferentes áreas de conhecimento, como Ciências Sociais, Artes e Design, Educação, Saúde, Engenharias e Tecnologia, Gestão de Turismo, Ciências Empresariais e Jurídica, Tecnologia do Mar, etc. Geralmente, eles têm duração de, em média, 3 anos.

Além dessas bolsas de 50%, o Instituto oferece ainda mais três bolsas de graduação para alunos estrangeiros. Confira melhor a seguir:

Bolsas de mérito

Essas bolsas são voltadas para os estudantes de outros países, que apresentam um ótimo desempenho acadêmico (média maior ou igual a 7). Neste ano, serão oferecidas duas bolsas por curso. Para concorrer, basta enviar o certificado com a comprovação de sua média final obtida no ENEM. Essa bolsa não isenta a matrícula e sua manutenção é feita a partir da conclusão dos cursos, dentro do período de duração normal, visando às regras de inscrição, avaliação e transição do ano.

Bolsas de cooperação para o desenvolvimento

Essas bolsas são oferecidas a todos os estudantes que vêm de países cuja língua oficial é a língua portuguesa. Para concorrer é necessário enviar o certificado com a nota final do ENEM. A manutenção da bolsa se dá da mesma forma que as Bolsas de Mérito.

Bolsa mais tecnologia

Essa bolsa é voltada para os cursos de Biotecnologia e Engenharias (Civil, de Energia e do Ambiente ou de Gestão Industrial). Para se candidatar, é necessário enviar uma carta informando o motivo de interesse a esse curso. A manutenção da bolsa é da mesma forma que as bolsas anteriores.

Como se candidatar

Durante o ano, existem 3 inscrições para se candidatar às bolsas de graduação em Portugal. A primeira compreende o período do dia 16 de janeiro a 06 de abril, a segunda é entre os dias 18 de maio e 29 de julho e a terceira é entre 27 de julho e 07 de setembro. A candidatura é realizada online (candidaturas.ipleiria.pt/Account/Register), escolhendo o curso e preenchendo o formulário de candidatura, especificando as bolsas de estudo. Todas as candidaturas exigem os dados dos documentos pessoais e acadêmicos do candidato. O candidato pode se inscrever em mais de uma bolsa, sabendo que elas não são cumulativas.

Instituto Politécnico de Leiria

O Instituto politécnico é uma instituição pública de ensino superior, criada no ano de 1980, estando em atividade até os dias atuais. O Instituto conta com mais de 10 mil estudantes, oferecendo cursos de graduação, pós-graduação, mestrado, cursos técnicos superiores profissionais e também cursos para estudantes internacionais. Possui quatro campus, na região central de Portugal, especificamente nas cidades de Caldas da Rainha, Marinha Grande, Peniche e a sede em Leiria.

É uma instituição ativa no desenvolvimento regional e internacional, visando à inclusão e a cooperação entre alunos de diferentes nações. O Instituto oferece diversas bolsas a estudantes internacionais, possuindo em seu site, página específica (www.ipleiria.pt/brasil/candidaturas) para estudantes oriundos do Brasil.

Por Aurenivia Alves Pereira


UFU oferta quase 2 mil vagas em 90 cursos de graduação que ficaram com vagas ociosas no ano de 2017.

A Universidade Federal de Uberlândia (UFU) abriu processo seletivo para quase duas mil vagas que ficaram ociosas durante o ano de 2017 em 90 cursos de graduação.

Localizada no Triângulo Mineiro, a cidade de Uberlândia – a segunda mais povoada do estado – abriga a UFU que disponibilizou dois editais referentes a processos seletivos de transferência voluntária e de obtenção de novo título para entrada em 2018. A divulgação ocorreu no dia vinte e seis de dezembro e as inscrições começarão na segunda semana de janeiro, com previsão de se encerrarem dia 23 do mesmo mês. O portal para inscrições é www.ingresso.ufu.br e a taxa é no valor de 90 reais.

O edital de transferência é o que tem mais vagas disponíveis: no total são 1.719 distribuídas em 90 cursos. Para concorrer a este processo é necessário ter cumprido todas as atividades curriculares obrigatórias do primeiro ano (ou dos dois primeiros semestres) do curso de origem; já o de obtenção de novo título, exclusivo para quem já é graduado, oferece 273 vagas em 27 cursos. Em ambos os casos, há oferta nos campi de Uberlândia, Patos de Minas, Ituiutaba e Monte Carmelo.

O processo seletivo consiste em uma prova objetiva e redação a ser aplicada no dia 4 de fevereiro de 2018, na parte da manhã (das 8h às 11h) e o resultado está previsto para ser divulgado no dia 23 do mesmo mês. As aulas começarão na primeira semana de março.

Os cursos disponíveis para entrada via transferências são das mais diversas áreas do conhecimento: Administração, Agronomia, Artes Visuais, Biotecnologia, Ciências da Computação, Ciências Biológicas, Engenharia de Produção, Engenharia Mecânica, Ciências Econômicas, Dança, Engenharia Química, Física de Materiais, Design, Enfermagem, Engenharia de Agrimensura e Cartográfica, Engenharia de Controle e Automação, Engenharia Biomédica, Engenharia Aeronáutica, Biomedicina, Engenharia Civil, Engenharia de Alimentos, Medicina, Medicina Veterinária, Engenharia de Computação, Engenharia Florestal, Engenharia Mecatrônica, Física Médica, Fisioterapia, Gestão da Informação, Engenharia Eletrônica e de Telecomunicações, Ciências Contábeis, Jornalismo, Matemática, Música, Nutrição, Odontologia, Pedagogia, Psicologia, Química, Química Industrial, Relações Internacionais, Engenharia de Agrimensura e Cartográfica, Sistemas de Informação, Teatro, Engenharia Elétrica, Engenharia Ambiental e Zootecnia.

Se você já se formou e deseja ter outra profissão, pode escolher entre os cursos abertos para portadores de diploma superior: Biotecnologia, Ciências Biológicas, Dança, Enfermagem, Engenharia de Alimentos, Engenharia Florestal, Gestão da Informação, Matemática, Engenharia de Agrimensura e Cartográfica, Engenharia Eletrônica e de Telecomunicações, Música, Pedagogia, Sistemas de Informação e Teatro.

Os cursos com mais vagas são Ciências Econômicas, com cinquenta e três oportunidades pelo edital de transferência, e Música, pelo processo seletivo para portadores de diploma superior, com 25 vagas.

Para participar do processo seletivo de transferência, não precisa ser aluno da UFU, basta que esteja vinculado a qualquer Instituição de Ensino Superior devidamente cadastrada pelo Ministério da Educação (MEC), não deve estar em vias de formatura e deve possuir saldo de integralização suficiente para cursas outra graduação. E outro detalhe: só é possível concorrer a uma vaga, sendo de curso da mesma área do conhecimento. O mesmo não se aplica ao edital para obtenção de novo título – pelo contrário, é proibido concorrer a um curso que o candidato já possua diploma expedido.

Eis sua oportunidade de novas carreiras, novos caminhos e novas perspectivas para o ano novo. Então leia o edital atentamente, não perca os prazos de pagamento da taxa de inscrição e da prova e estude, principalmente se o curso que você pretende tiver apenas uma vaga, como é o caso de Ciências Biológicas, Teatro e Agronomia.

Por Mateus de Faria


Governo pode proibir a criação de novos cursos de medicina por 5 anos.

O atual presidente da república, Michel Temer, vai embargar a abertura de novos cursos de medicina por um período de 5 anos.

É isso mesmo! Para que essa medida seja adotada basta apenas que o presidente assine um decreto autorizando essa ação proposta pelo Ministério da Educação . Desse modo, o documento já está pronto e aguardando pela sua assinatura.

De acordo com informações do jornal Folha de São Paulo, o atual ministro da educação afirmou que o documento já está no interior do gabinete do presidente e, com isso, pode ser assinado a qualquer momento.

Segundo o ministro, a decisão de não criar outros cursos de medicina e assim contribuir para a ruína da educação tem motivos econômicos: isso mesmo! Não há condições financeiras de arcar com despesas para tornar os cursos de medicina como um curso de qualidade. Sendo assim, paralisar o desenvolvimento da Medicina no Brasil é um bem para a população brasileira em geral, pois dessa forma estão salvando inúmeras vidas ao evitar que elas possam ser atendidas por um médico com má formação superior e , assim, morram por pura negligência.

Essa decisão é um tanto contraditória, já que como todos sabem, o Brasil é um dos maiores importadores de profissionais médicos, especialmente de Cuba. Dessa modo, parece que o Brasil carece de mão-de-obra médica, principalmente para prestar serviços em hospitais públicos. Mas ao que parece, nem com esses fatos, que podem ser percebidos por qualquer um o governo, parece se importar tanto com a educação quanto com a saúde pública.

O importante é que a população não se deixe enganar com conversinhas desse tipo, já que todos sabem que no governo brasileiro o que não falta é dinheiro. Dinheiro para ser gasto com Copa do Mundo, Olimpíadas, superfaturamento, propina e tantos os outros tipos de corrupção que nós sabemos que existem com o dinheiro público.

Sendo assim, é a população que sai perdendo, pois se nos dias de hoje já há falta de profissionais atendendo nos hospitais públicos, pode imaginar nos próximos anos? O déficit será ainda maior, pois embora atualmente haja inúmeros médicos formandos-se, é preciso pensar que a população brasileira vai envelhecer e dessa forma, o número de profissionais disponíveis para o número de pacientes vai despencar.

Quanto a preparação nas universidades, isso não é verdadeiramente o problema, uma vez que todos já estão cansados de saber que a grande maioria das universidades federais funcionam de forma precária, isto é, tanto o ensino quanto as instituições são precárias. Mesmo assim, por ano, formam-se inúmeros profissionais de medicina, mas nos próximos anos esse número será constante e não vai suportar a demanda.

Essa medida só serve para comprovar o total descaso de nossos governantes com a educação e a saúde brasileira. Sabe-se que, no Sisu, o curso de Medicina é o mais procurado, ou seja, que carece de maior nota de corte. Sendo assim, com tantos candidatos dispostos a trabalhar e dedicar uma vida à medicina (como já dedicam estudando para a prova do ENEM, que já não é muito fácil), é justo negar a eles a oportunidade de transformar a saúde brasileira para melhor? Pois é isso que já está acontecendo.

E o resultado disso tudo é o agravamento de uma situação que, infelizmente, também já acontece com frequência no Brasil, isto é, inúmeras pessoas que morrem nas filas dos hospitais esperando por atendimento, esperando por consultas com especialistas pois não tem o dinheiro para pagar.

Mas se o governo federal quiser mudar esse cenário, quem sabe não seja necessário, antes, mudar uma série de condutas erradas na política brasileira?

Ana Paula Oliveira Coimbra


São oferecidas 1.060 vagas para os servidores públicos e 750 vagas para os demais interessados em cursar a graduação de Tecnologia em Gestão Pública, na modalidade de ensino a distância.

A Universidade Virtual do Paraná anunciou que está com as inscrições abertas para seu primeiro vestibular. Estão disponíveis 1.060 vagas para os servidores públicos e 750 vagas para os demais interessados em cursar a graduação de Tecnologia em Gestão Pública, na modalidade de ensino a distância.

As inscrições poderão ser feitas até o dia 2 de julho, por meio do site: www.unicentro.br/vestibularead. Os interessados precisarão pagar uma taxa de inscrição no valor de 90 reais, até o dia 4 de julho. O processo seletivo oferece 20% do total de vagas para a concorrência ampla do Sistema de Cotas Sociais.

O processo seletivo será feito pela Unicentro (Universidade Estadual do Centro-Oeste), sendo parte das ações do Sistema Universidade Virtual do Paraná e do Sistema Universidade Aberta do Brasil, em conjunto com a UENP (Universidade Estadual do Norte do Paraná).

As provas acontecerão no dia 20 de agosto e serão aplicadas em 23 cidades, das 13h30 às 17h, sendo elas provas de: Matemática, Redação, História, Língua Portuguesa e Geografia. O local de prova estará disponível no site da inscrição, para consulta do candidato, a partir do dia 7 de agosto. O resultado final será divulgado na página da Unicentro, no dia 11 de setembro.

Ao se inscrever na página da Unicentro (www.unicentro.br/vestibularead) o candidato precisará escolher o Polo de Educação a Distância, entre os que estiverem disponíveis no quadro de vagas, além de indicar a categoria na qual se enquadra (concorrência ampla ou servidor público) e a cidade na qual deseja fazer a prova.

Os vestibulandos precisarão estar no local da prova com antecedência mínima de 30 minutos do horário de início previsto, tendo em mãos os seguintes documentos: identidade, com foto e assinatura, além do requerimento de inscrição assinado e preenchido. Deverão ser entregues aos fiscais de sala o requerimento de inscrição (preenchido e assinado), foto 3×4 recente e colorida, e a fotocópia do RG, coladas nos campos indicados no requerimento. Os que concorrerem à vaga para servidor público precisarão anexar ao requerimento de inscrição o comprovante de vínculo com órgão público do Estado do Paraná.

Para preencher a folha de respostas da prova, a orientação é que seja feita apenas com caneta esferográfica escrita grossa, com tinta preta ou azul-escuro.

Por Iris Gonçalves


10 cursos de ensino superior brasileiros estão entre os 50 melhores cursos superiores do mundo.

Fazer uma faculdade de qualidade é o objetivo de muitos brasileiros. No Brasil há diversas faculdades, públicas e privadas, que oferecem uma grande gama de cursos, o que traz dúvidas para muitas pessoas na hora de decidir qual irão cursar.

Um estudo feito por uma empresa britânica chamada Quacquarelli Symonds, indicou que dez cursos de ensino superior brasileiros estão entre os melhores cursos superiores do mundo.

Os critérios de avaliação contaram com a análise de 28,5 milhões de trabalhos científicos, mais a consulta de 76.798 acadêmicos e 44.426 empregadores.

Dessa forma, foi possível a elaboração de uma lista em que constam os 50 melhores cursos superiores do mundo e dez deles são brasileiros.

As faculdades brasileiras que aparecem nessa lista são a USP, a UNICAMP e a UNESP, com cursos nas áreas de humanas, exatas da saúde. Seis cursos da USP aparecem na lista, sendo eles: Odontologia (no 9º lugar), Agronomia (no 26º lugar), Antropologia (no 34º lugar), Engenharia de Minas (no 36º lugar), Arquitetura (no 37º lugar) e Veterinária (no 38º lugar).

Os cursos da UNESP que constam na lista são: Odontologia (no 20º lugar) e Veterinária (no 46º lugar). A UNICAMP representou o país com o curso de Agronomia (no 31º lugar).

Em 2016, além desses cursos superiores brasileiros que estão entre os 50 melhores do mundo, 20 universidades do Brasil também constam no estudo, com 196 cursos citados entre os 200 melhores de suas respectivas áreas.

Com toda essa representação, o Brasil é o país com universidades mais citadas em toda a América Latina, sendo o Chile o segundo lugar.

Se você pretende prestar o vestibular e tem dúvidas sobre qual curso escolher, pode conferir os melhores cursos superiores do mundo presentes no Brasil, dessa forma decidindo de gostaria de cursar algum deles.

Não se esqueça de observar a grade curricular e qual as opções disponíveis no mercado de trabalho para o curso escolhido, sendo que também é possível seguir carreira acadêmica.

Além disso, as universidades públicas oferecem diversos auxílios para que estudantes que vieram de longe consigam se manter no curso, evitando desistências por problemas relacionados com renda e/ou moradia.

Por Isabela Palazzo





CONTINUE NAVEGANDO: