Saiba aqui o que é e o que não é permitido levar no dia da Prova do Enem 2017.

Quem for fazer o Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem, precisa ficar atento aos materiais que deverá levar no dia do exame. Além disso, é fundamental saber também o que não é permitido durante a aplicação da prova.

Sendo assim, se pintou uma dúvida sobre os itens citados, nós te damos todas as dicas necessárias para não errar. Vamos a elas.

O que é preciso levar no Enem?

O estudante precisa apresentar, no dia da prova, um documento oficial com foto para a sua identificação. Essa pode ser tanto a carteira de trabalho, carteira de motorista, carteira de reservista, carteira de identidade ou, por fim, o passaporte.

Muita atenção, pois não se enquadra entre a documentação oficial, a carteira de estudante. Além disso, também não serão aceitos cópias ou documentos autenticados.

Para os candidatos que tiveram os seus documentos roubados ou perdidos, devem apresentar um boletim de ocorrência que tenha sido expedido por um órgão policial no período máximo de 90 dias, contando do primeiro domingo em que foi aplicado o Enem. Ou seja, no dia 5 de novembro.

Não é obrigatória a impressão do cartão para comprovação de inscrição, localizada na página do Enem. Porém, é recomendado que cada estudante leve o seu para que tenha acesso mais fácil a alguns dados, como local e sala do exame.

As pessoas que precisarem comprovar a sua presença na prova, por motivos de apresentação no trabalho, por exemplo, deverão levar a sua declaração de comparecimento impressa, colhendo após a assinatura do coordenador na data da prova. O formulário é disponibilizado na página do participante.

Em relação aos lanches, esses são permitidos. Porém, os alimentos industrializados, como iogurte, biscoitos e salgadinhos, devem estar em embalagens lacradas. Haverá uma vistoria desses antes que cada aluno ingresse na sala do exame.

Material aceito no Enem

Para a realização das provas, da redação e para o preenchimento do cartão de respostas, o participante deverá usar uma caneta esferográfica com tinta preta. Sua fabricação deve ser em material transparente.

Não é aceita outra cor de tinta, devido à impossibilidade de leitura óptica da mesma no cartão de respostas.

Quais os itens proibidos no Enem?

Para a realização do Enem, está vetada a utilização de celular ou de qualquer aparelho eletrônico (tablets, pen drives, ipods, mp3 ou similares, alarmes, relógios, gravadores e muito mais). Sendo assim, cada pessoa deverá colocar o seu aparelho em um porta-objetos, ficando esse embaixo da cadeira até o fim das provas. É importante ressaltar que esse possuirá um lacre especial, impossibilitando que seja violado.

Em relação aos demais materiais, o candidato não poderá usar também: lapiseiras, lápis, borrachas, manuais, livros, chaves, anotações, impressos, boné, viseira, chapéu, óculos escuros, gorro, fones de ouvido ou transmissores, e outros similares. Além disso, é proibido portar armas, sejam elas de qualquer espécie, mesmo que o usuário possua um documento de porte.

O estudante que estiver com algum desses objetos, precisará colocá-los também no porta-objetos, juntamente com o seu celular.

Atenção para o Enem 2017

Pela primeira vez, o Enem utilizará neste ano a prova personalizada, sendo ela com cadernos de questões e caderno de respostas com identificação de nome e número da inscrição do participante. Sendo assim, ao receber a sua prova, cada candidato precisará verificar se o caderno de questões e o de respostas possuem a mesma quantidade de itens, não havendo erros no nome ou defeito gráfico.

O aluno tem a autorização de deixar o local da prova no tempo de duas horas após o início do exame. Para sair com o caderno de questões, isso somente é possível nos últimos 30 minutos antes do término das avaliações.

Sobre o Enem 2017

Na edição de 2017 do Enem, a escolha foi de aplicar os exames nos dois primeiros domingos de novembro, nos dias 5 e 12, respectivamente. No primeiro domingo, as provas terão duração de cinco horas e meia, sendo finalizadas, portanto, às 19h. Nessa, serão aplicados os exames de Linguagens, de Códigos e suas Tecnologias, de Ciências Humanas e suas Tecnologias e, por último, a redação do Enem 2017.

Já no segundo domingo, a duração será de quatro horas e meia, com fim às 18h. Nesse, acontecerão as provas de Matemática e suas Tecnologias e de Ciências da Natureza e suas Tecnologias.

Kellen Kunz


MEC libera Manual de Redação do Enem 2017. Documento também ganhou uma vesão em LIBRAS.

Já estamos na segunda quinzena do mês de outubro de 2017 e mais uma vez estamos próximo das datas previstas para a realização das provas do Exame Nacional do Ensino Médio, o conhecido Enem. De acordo com dados recentes do Inep, que é o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, milhões de pessoas se inscreveram para realizar o exame neste ano de 2017.

Quem se inscreveu para realizar o Enem de 2017 já pode ter acesso ao Manual de Redação, que foi liberado na última da última segunda-feira, dia 16 do mês de outubro. A grande novidade deste ano está no fato de o documento também ser disponibilizado na versão de Libras, que é a Língua Brasileira de Sinais (Libras).

Ao acessar a cartilha do participante o candidato obterá informações importantes sobre as características que a redação realizada no Enem deve possuir. Além disso, nesse manual o estudante terá acesso à metodologia utilizada para avaliar o texto dissertativo, onde explica com detalhes as cinco competências que são consideradas no momento em que os textos são corrigidos.

Na redação do Enem o estudante pode tirar desde a nota zero até nota mil, o que vai depender da qualidade de seus argumentos e se o texto atende à metodologia que se aplica a sua correção.

É interessante que o candidato realmente leia a cartilha, pois além de conhecer o método de avaliação do Enem, ainda poderá visualizar redações de edições passadas que apresentaram problemas, seja no modelo usado, nos termos ou na inconsistência de ideias e assim poder estabelecer comparações com a maneira correta de produzir o texto.

Embora a maioria dos estudantes alegue que é praticamente impossível zerar a redação do Enem, isso acontece, comprometendo totalmente o aproveitamento da nota de seu candidato.

Assim, a cartilha vai pontar os motivos que podem levar ao temido “zero” na redação. Lembrando que para esta edição e 2017 o número de motivos aumentou. Por isso é tão importante ler a cartilha e ficar atento.

Conheça abaixo os motivos que podem levar o candidato a zerar a sua redação do Enem 2017:

– Fugir totalmente do tema;

– Desrespeitar a estrutura que um texto dissertativo-argumentativo deve possuir;

– Escrever menos de sete linhas;

– Copiar integralmente ou parcialmente os textos motivadores que estão presentes no caderno de prova;

– Desenhar ou usar impropérios;

-Apresentar argumentos desconectados do tema;

– Colocar nome, assinatura, rubrica ou ainda apelido em local que não seja próprio para a assinatura do inscrito;

– Apresentar todo o texto redigido em língua estrangeira;

– Desrespeitar os direitos humanos;

– Apresentar folha de redação em branco;

As redações produzidas no Enem são corrigidas por dois professores, contudo, quando as opiniões de ambos divergem em relação a produção textual que estão avaliando, um terceiro professor é chamado para auxiliar na correção.

Assim como são apresentados modelos de redação com erros que podem comprometer a nota dos candidatos, o Manual de Redação também traz modelos de redação que tiraram nota mil.

Ao produzirem estes textos os candidatos cumpriram todas as exigências que são estipuladas nas competências apresentadas no manual.

Nesse sentido, se você é um candidato ao Enem 2017 e durante todo o ano vem se preparando para realizar as provas e inclusive a redação, não deixe de acessar o Manual de Redação do ano de 2017, pois com certeza nela existem informações que serão muito úteis na hora em que você irá produzir o seu texto.

Uma dica aos candidatos é reservar um bom tempo para a redação, para que assim seja possível fazer um texto coeso e coerente evitando os erros que podem diminuir a sua nota. Boa sorte.

Sirlene Montes


Saiba aqui mais detalhes sobre as inscrições para bolsas remanescentes do Prouni 2017/2.

Se você perdeu o período de inscrições no Programa Universidade para Todos da última edição de 2017, o MEC abriu mais um período de inscrições, desta vez para as bolsas remanescentes da segunda edição do programa. As inscrições, que foram abertas na última segunda-feira, dia 31 do mês de julho, terminam no dia 25 do mês de agosto e podem ser realizadas somente via internet, por meio do endereço http://prouniremanescentes.mec.gov.br/. Não deixe para a última hora, faça a sua inscrição.

O MEC comunica que os estudantes que ainda não estejam frequentando cursos de graduação e que desejam realizar com ajuda do ProUni realizem suas inscrições no programa até o dia 25 de agosto. Todavia, para quem já está matriculado em curso de graduação, as inscrições podem ser realizadas até a data do dia 30 do mês de outubro.

De acordo com as informações do Ministério da Educação, neste ano de 2017 foram disponibilizadas o total de 147.492 vagas, sendo que desse montante 52% não foram preenchidas, o que corresponde a 77 mil bolsas que se tornaram remanescentes para o segundo semestre de 2017.

Se você ainda não conhece o ProUni (Programa Universidade para Todos),saiba que ele é um programa criado pelo Ministério da Educação no ano de 2014, com o objetivo principal de conceder bolsas de estudo em universidades que pertencem ao setor privado, podendo estas ser integrais ou parciais.

Quem pode se inscrever no Programa Universidade para Todos?

O programa é voltado para estudantes que não possuam nenhum diploma em curso de nível superior e que tenham realizado o Exame Nacional do Ensino Médio, na edição do ano de 2016. Sendo necessário que o candidato tenha obtido uma nota igual ou superior a 450 pontos no Enem, além de não ter zerado a Redação.

Outro quesito importante está relacionado a renda familiar do candidato. Segundo os critérios do programa, o candidato precisa possuir uma renda bruta familiar per capita de no máximo um salário e meio, considerando o salário mínimo brasileiro. Esse critério é válido para bolsas de 100% do valor do curso.

Já para bolsas de 50%, em que o aluno paga a metade, a renda familiar bruta per capita pode ser de até três salários mínimos mensais.

Além disso, o candidato precisa possuir ensino médio completo que tenha sido cursado em escolas da rede pública de ensino ou que o tenham cursado em escolas particulares na condição de bolsistas.

As bolsas do ProUni também são voltadas para pessoas com deficiências ou professores da rede pública de ensino, que estejam em exercício de suas profissões, que podem concorrer a bolsas em cursos de licenciatura como Normal Superior ou Pedagogia, não sendo necessário a comprovação de renda mensal.

Nesse sentido, os interessados em conseguir uma vaga em um curso universitário de Universidades Privadas (que estejam inscritas no Programa), em que possam se graduar com a ajuda de bolsas de estudos, sendo elas parciais ou totais, a recomendação é de que a inscrição não seja realizada na última hora, considerando o fato da possibilidade de uma lentidão ou travamento do sistema, em decorrência de muitos acessos.

Ainda não existem informações oficiais sobre a data em que o resultado será publicado. Tampouco o prazo para apresentação e documentação comprovatória de informações prestadas na inscrição. Contudo, após o encerramento das inscrições o MEC deve se manifestar através do site do Programa.

Se você é jovem e desenha construir uma carreira de sucesso em alguma profissão, não perca essa oportunidade.

O ProUni desde a sua criação já formou milhares de jovens em renomadas Universidades que oferecem formações de qualidade, possibilitando a esses novos profissionais um futuro com garantias de qualidade, contribuindo assim para o desenvolvimento profissional e pessoal de cada um, sem falar do desenvolvimento do país, que só tende a crescer com o aumento de profissionais graduados.

Sirlene Montes


Confira aqui a lista de aprovados no FIES 2017 para o 2º semestre.

Para os estudantes que se encontram na expectativa do resultado de mais uma edição do Programa de Financiamento Estudantil, o popular Fies, o resultado já foi divulgado. A lista com os nomes dos pré-selecionados está disponível desde a última segunda-feira, dia 31 do mês de julho e os inscritos cujos nomes estiverem constando nessa lista devem fazer a conclusão da inscrição no prazo que vai do dia 1º do mês de agosto até o dia 8 do mês de setembro, através do endereço http://sisfies.mec.gov.br/.

De acordo com informações do Ministério da Educação (MEC), nesta edição do segundo semestre do ano de 2017 do Fies, foram disponibilizados o total de 75 mil contratos para a promoção do financiamento de cursos superiores a serem realizados em instituições de ensino superior privadas.

No total, para o ano de 2017, o Programa de Financiamento Estudantil disponibilizou 225 mil vagas. Sendo que na primeira edição o número de contratos era de 150 mil. Contudo, esse total não chegou a ser preenchido, contabilizando 34 mil oportunidades que não foram preenchidas nesta primeira edição.

Para quem não conhece o Programa de Financiamento Estudantil, veja algumas características importantes:

– O Fies é um programa criado pelo Governo Federal que possibilita a estudantes de renda familiar baixa, realizarem cursos de graduação em universidades do setor privado, de modo que estes estudantes possam pagar o valor do curso após a sua graduação e ainda pagam de forma parcelada, onde as parceladas contam com juros de 6,5% ao ano. Sendo que após a sua graduação, ainda existe um período de 18 meses para que o financiamento comece a ser pago pelo inscrito no programa. O Governo Federal, por meio deste programa, realiza financiamentos de 50% a 100% das mensalidades.

– Podem se inscrever no programa pessoas que tenham realizado o Exame Nacional do Ensino Médio, o popular Enem, em uma das edições a partir do ano de 2010 e que tenham obtido no exame uma nota igual ou superior a 450 pontos, além de não terem zerado a Redação.

– Outro requisito é a renda familiar per capita do candidato, que não pode ultrapassar o total de três salários mínimos para cada membro da família.

– Dependendo do curso realizado o estudante precisa pagar a cada três meses uma taxa de R$ 150,00.

– É importante para a manutenção do contrato que o inscrito siga as regras, que podem ser conferidas no edital (disponível no site citado acima).

Para quem está em dúvidas sobre como foi realizada a classificação dos inscritos do Fies 2017/2, o MEC esclarece que foi considerada a média aritmética das notas obtidas no Enem, de acordo também com o curso pretendido.

Já para a lista de espera, segundo informações no edital, ela está prevista para ser feita a partir do dia 1º do mês de agosto, terminando no dia 3 do mês de setembro .É importante que o inscrito esteja atualizado junto ao site do programa para saber dessas e outras informações importantes.

Desse modo, se encerram o processo de inscrição e seleção para novos contratos neste ano de 2017. Já para o ano de 2018, o MEC, há pouco mais de um mês, anunciou algumas modificações no programa que passam a valer a partir do ano de 2018. Contudo, quem se inscreveu e foi selecionado neste ano de 2017, poderá realizar seu curso de acordo com o regulamento antigo.

Dentre as mudanças previstas para o Fies de 2018 estão incluídas uma modalidade de financiamento com juros zero e a disponibilidade de 300 mil contratos novos.

O Programa e Financiamento Estudantil é sem dúvidas muito importante para estudantes de todo o Brasil, pois possibilita aos jovens de baixa renda a realização de um curso universitário que com toda certeza muda a vida desses jovens e contribui para um país melhor.

Sirlene Montes


Portal é disponibilizado pelo Governo e faz parte do projeto \”Hora do Enem\”.

Quem pretende participar do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) tem mais uma funcionalidade gratuita para seus estudos: o MECFlix. Esta seria uma espécie de “Netflix” preparatório, em que candidatos podem ter acesso a diversos conteúdos relacionados às disciplinas cobradas na avaliação. A iniciativa faz parte do projeto “Hora do Enem”, que oferece planos de estudos personalizados e videoaulas sobre as disciplinas do Enem, de modo também gratuito. Ambos são oferecidos pelo governo federal e Ministério da Educação (MEC).

Como começar a usar o MECFlix

Para usar o MECFlix, é preciso a acessar o site da plataforma e clicar em “cadastre-se”. Nesse caso, será necessário preencher dados como: nome, e-mail e senha. Depois basta aceitar os termos de uso da página e selecionar a opção “registrar”. Com o perfil criado, as funcionalidades já estarão disponíveis para serem usadas.

Acessando videolaulas

Na página inicial da plataforma, os usuários podem acessar videolaulas, que são organizadas conforme as seguintes categorias: “Ciências Humanas e suas Tecnologias”, “Linguagens, Códigos e suas Tecnologias” e “Matemática e suas Tecnologias”. No entanto, no topo da página também é possível localizar temas específicos, conforme a necessidade de cada pessoa. Isso ainda pode ser feito por meio de filtros de pesquisa, com temas específicos da plataforma. São mais de 1.900 videoaulas, criadas e publicadas por diversas equipes parceiras.

Funcionalidades da plataforma gratuita de estudos

Do mesmo modo que a Netflix, os usuários do MECFlix têm um perfil personalizado, em que podem salvar videoaulas de seu interesse e criar playslists. Os conteúdos disponibilizados também podem ser compartilhados com outras pessoas em redes sociais, como Facebook e Twitter. Há também uma seção em que é possível fazer comentários sobre as aulas assistidas. Segundo informações do site, após as futuras provas do Enem haverá gabaritos comentados por professores e especialistas de cada uma das áreas cobradas no exame.

Simulados Enem gratuitos online

Também haverá na plataforma simulados gratuitos online do Enem, que estarão disponíveis para alunos do 3° ano do Ensino Médio. Eles poderão realizar essas provas no período de quatro horas, nas seguintes datas: 13/08, 8/11 e 9/11.

Assim, será possível avaliar seu desempenho e se preparar melhor para as provas, que serão aplicadas nos dias 5 e 12 de novembro de 2017.

Camilla Silva


Confira aqui a lista com as piores faculdades do Brasil, segundo o MEC.

Quem tem interesse em fazer um curso de graduação pode conferir a lista divulgada pelo Ministério da Educação (MEC) com as piores instituições de ensino superior do Brasil. A relação, recentemente divulgada, contempla faculdades de todas as regiões que obtiveram péssima avaliação do governo federal.

Mais de 2 mil universidades, tanto privadas quanto públicas, foram avaliadas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP). Dessa análise sobre a qualidade do ensino superior, 313 não ultrapassaram nota 2 do Índice Geral de Cursos (IGC).

Com desempenho insatisfatório, entre 1 e 2 no referido índice, o resultado reflete o ano de 2015. A escala varia de 1 a 5, sendo as notas de 3 a 5, consideradas satisfatórias. O IGC é calculado anualmente pelo MEC e é resultado da ponderação média entre conceitos de avaliação dos cursos de pós-graduação, o Conceito Preliminar de Curso (CPC) dos últimos 3 anos e a distribuição dos alunos dos cursos de graduação e pós.

Veja o desempenho por região:

  • Nordeste – A Escola de Engenharia de Agrimensura no estado da Bahia obteve IGC de 0,83. Já em Pernambuco, a instituição com pior desempenho foi a Faculdade de Ciências Agrárias de Araripina com 0,74.
  • Norte – No Amazonas, o Centro Universitário Luterano de Manaus só alcançou 1,93 na escala do MEC. Enquanto que no Acre, o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFAC) ficou com pontuação de apenas 1,94. No estado do Tocantins, as instituições com piores notas são a Faculdade Integrada de Araguatins (Faiara) com 0,91; o Centro Universitário UNIRG com 1,81 e a universidade estadual UNITINS com 1,44 de IGC.
  • Sul – A Faculdade de Tecnologia de Cruzeiro do Oeste, no estado do Paraná, é a faculdade com pior nota na região, com 0,91.
  • Sudeste – No estado do Espírito Santo, a Faculdade Cândido Mendes de Vitória teve 0,75 de nota. Enquanto que no Rio de Janeiro, o Centro Universitário Conservatório Brasileiro de Música ficou com 1,85. Já em Minas Gerais, a Escola Superior em Meio Ambiente obteve IGC de apenas 0,22 como pontuação. Em São Paulo, a Faculdade de Música Carlos Gomes teve 0,93; o Centro Universitário Paulistano – UNIPAULISTANA ficou com 1,67; a Faculdade de Tecnologia FATEP alcançou 0,93 e o Instituto Superior de Educação Vera Cruz obteve 0,88.
  • Centro-oeste – Em Goiás, o Instituto Unificado de Ensino Superior Objetivo e a Faculdade Jataiense tiveram respectivamente 1,91 e 0,99 no IGC.

Veja a lista completa aqui.

Melisse V.


Interessados poderão se inscrever a partir do dia 8 de maio de 2017. Taxa de participação será de R$ 82.

A edição deste ano do Exame Nacional do Ensino Médio, o ENEM, começa na próxima segunda-feira, dia 08 de maio e podem ser feitas até o dia 19 de maio de 2017. As inscrições só podem ser feitas apenas pela internet, como em todos os anos anteriores.

O ENEM é hoje o principal meio de acesso a maioria das faculdades do Brasil. Muitas dessas instituições aboliram o antigo vestibular, já que existe um consenso de que a prova seria um meio mais justo de entrada para as universidades brasileiras.

Neste ano, houve algumas mudanças significativas em relação ao teste. O primeiro seria que as provas seriam aplicadas em dois domingos seguidos (dias de 05 de maio e 12 de maio), e não mais sábado e domingo, como nas edições passadas. A outra mudança realizada foi o aumento da taxa de inscrição, que de R$ 68 reais passou para R$ 82 reais. Aliás, a taxa de inscrição deve ser paga até 24 de maio, o boleto pode ser pago em casas lotéricas, unidades dos Correios e agências bancárias.

Uma coisa que não mudou foi à isenção do pagamento da taxa para as pessoas que não possuem condições de quitar essa dívida. Para isto, o candidato no ato de inscrição deve solicitar essa opção e comprovar sua renda de acordo com o que for solicitado no ato de inscrição. Em relação às provas, a primeira vai durar 05 horas e 30 minutos e os conteúdos cobrados vão ser: Ciências Humanas (Sociologia, Filosofia, Geografia e História), Linguagens (Língua Portuguesa, Língua Portuguesa ou Língua Espanhola) e a Redação. Já no dia 12 serão cobradas matérias como: Matemática e Ciências da Natureza (Biologia, Química e Física), neste dia a prova terá duração de 4 horas e 30 minutos. Lembrando que para cada dia será um total de 90 questões.

O resultado do ENEM de 2017 vai ser divulgado no dia 19 de janeiro do próximo ano. Lembrando que as notas também servem para outros programas de ingresso oferecidos pelo governo para o ingresso de faculdades, que são o Programa Universidade para Todos, PROUNI e o Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior, FIES. Então fique atento aos prazos e não deixe para a última hora, pois o site pode ficar sobrecarregado e você não conseguir realizar a inscrição. E claro, se prepare muito bem para a prova e acompanhe as notícias nacionais e internacionais, pois elas podem te ajudar na redação.

Para mais informações acesse: http://enem.inep.gov.br/participante/#!/inicial. Uma excelente preparação e uma ótima prova!

Isabela Castro.


Levantamento realizado deste 2009 indica o conteúdo que mais caiu nas provas do Enem.

O Exame Nacional do Ensino Médio, o ENEM, foi criado em 1998 e em quase 20 anos de existência a prova passou por muitas modificações tanto no exame em si quanto na importância que ela adquiriu ao longo dos anos. O conteúdo cobrado é aquele ensinado durante o Ensino Médio das escolas brasileiras, mas em uma pesquisa realizada pelo Sistema Ari de Sá, SAS, em abril deste ano, mostrou quais temas são mais recorrentes nas edições entre 2009 e 2016.

Segundo a SAS os assuntos mais cobrados foram estes:

– Matemática:

  • 26,3% Geometria.
  • 12,8% Aritimética.
  • 12,1% Escala, razão e proporção.
  • 9% Funções.
  • 8,3% Porcentagem.
  • 8,3% Gráficos e Tabelas.
  • 6,8% Estatística.
  • 5,9% Probabilidade.
  • 2,6% Equações Elementares.
  • 2,5% Sequências.
  • 2,2% Análise Combinatória.
  • 1,7% Números inteiros e reais.
  • 1,1% Trigonometria.
  • 0,3% Notação Científica.
  • 0,1% Matriz.

Ciências da Natureza (Biologia, Química e Física):

– Biologia:

  • 19,4% Humanidade e ambiente.
  • 11,3% Citologia.
  • 11,3% Histologia e fisiologia (animal e humana).
  • 8,1% Fundamentos da ecologia.
  • 7,8% Biotecnologia.
  • 7,8% Microbiologia e doenças associadas (parasitologia).
  • 5,7% Cadeias e teias (fluxo de energia).
  • 5,7% Evolução.
  • 4,2% Biologia molecular (inorgânica e orgânica).
  • 4,2% Biomas.
  • 2,8% Genética Mendeliana.
  • 2,8% Botânica.
  • 2,5% Genética Molecular.
  • 2,1% Embriologia e Reprodução.
  • 1,4% Método Científico.
  • 2,9% Outros (Taxonomia/Sistemática, Zoologia, Origem da vida, Indicadores sociais, Legislação e cidadania).

– Química:

  • 24,9% Química geral.
  • 23,8% Físico-química.
  • 18,1% Química orgânica
  • 12,1% Meio ambiente.
  • 9,4% Energia.
  • 6% Água.
  • 5,7% Atomística.

– Física:

  • 30,3% Mecânica.
  • 24,6% Eletricidade e energia.
  • 19% Ondulatória.
  • 17,1% Termologia.
  • 9% Óptica.

Linguagens:

– Espanhol:

  • 57,1% Compreensão e interpretação textual.
  • 12,9% Semântica/ domínio lexical.
  • 7,2% Funções de linguagem.
  • 5,7% Leitura e interpretação de charges e tirinhas.
  • 5,7% Identificação de função do texto.
  • 4,3% Análise de texto literário e em prosa.
  • 2,9% Análise e interpretação de música e poemas.
  • 1,4% Leituras e artes.
  • 1,4% Figuras de linguagens.
  • 1,4% Diversidade cultural.

– Inglês:

  • 47,1% Leitura e interpretação de texto.
  • 14,3% Leitura e interpretação de cartuns, tirinhas e charges.
  • 12,9% Domínio lexical.
  • 10% Análise e interpretação de poemas e canções.
  • 7,1% Identificação de função de texto.
  • 5,7% Diversidade linguística.
  • 2,9% Diversidade cultural.

– Língua Portuguesa:

  • 28,8% Leitura e interpretação de texto.
  • 18,2% Estrutura textual e análise de discurso.
  • 12,3% Leitura e artes.
  • 8,3% Variação Linguística.
  • 8,3% Gênero textual.
  • 8,3% Literatura.
  • 3,7% Funções da linguagem.
  • 3.7% Gramática.
  • 2,8% Semântica.
  • 2,3% Norma culta x norma popular.
  • 2,1% Figura de linguagem.
  • 1,2% Relação intertextual.

Ciências Humanas:

– Sociologia:

  • 25,2% Mundo do trabalho.
  • 13,7% Ideologia.
  • 11,6% Cultura e indústria cultural.
  • 11,6% Meios de comunicação, tecnologia e cultura de massa.
  • 9,5% Cidadania.
  • 8,4% Movimentos sociais.
  • 7,4% Identidade de gênero.
  • 6,3% Organização científica do trabalho.
  • 4,2% Desigualdades sociais.
  • 2,1% Conflito de terra e violência.

– Filosofia:

  • 21,1% Ética e Justiça.
  • 15,3% Natureza do Conhecimento.
  • 12,9% Democracia e cidadania.
  • 12,9% Filosofia contemporânea.
  • 11,8% Filosofia moderna.
  • 10,6% Filosofia antiga.
  • 8,2% Relações de poder.
  • 2,4% Surgimento da Filosofia.
  • 2,4% Intolerância.
  • 2,4% Filosofia medieval.

– Geografia:

  • 19,1% Geografia agrária.
  • 17% Meio ambiente.
  • 14,1% Questões econômicas e globalização.
  • 11% Geografia urbana.
  • 8,1% Geopolítica.
  • 8,1% Democracia e cultura.
  • 7% Geografia física.
  • 5% Tecnologia, transportes e comunicação.
  • 4,6% Indústria.
  • 4% Energia.
  • 2% Cartografia.

– História:

  • 15,4% Idade Contemporânea.
  • 9,9% Brasil Colônia.
  • 7,5% Brasil Império.
  • 7,2% História política.
  • 5,8% Movimentos Sociais.
  • 5,8% Patrimônio Histórico – cultura e memória.
  • 5% Era Vargas.
  • 4,6% Primeira República ( 1889 – 1930)
  • 4,3% Idade Moderna.
  • 4,1% Idade Antiga.
  • 3,5% Tecnologia da informação, meios de comunicação e artes.
  • 3,5% Cidadania.
  • 3,5% Identidade cultural.
  • 3,5% Idade Média.
  • 2,9% Ditadura Militar.
  • 14,1% Outros (Brasil República, História da América, Antropologia, Identidade Nacional, Direitos Humanos, Nova República (1985), República Liberal (1945-1964), Democracia, Formação dos Estados Nacionais e Questões Indígenas).

Esse é um ótimo caminho para que os que estão se preparando para a prova tenham um plano de ensino. Claro que serão cobradas perguntas diferentes referentes a estes assuntos, mas já sabendo os temas, o estudo fica mais fácil. Lembrando que neste ano as inscrições para o ENEM começam no dia 9 de maio e se encerram no dia 19 do mesmo mês. As provas acontecem dia 5 de novembro (linguagens, ciências humanas e redação) e 12 de novembro (matemática e ciências da natureza). Se prepare bem e boa prova!

Isabela Castro.


Saiba aqui o que é e como funciona a modalidade de Treineiro do Enem 2017.

Todo estudante brasileiro sabe que vai chegar um momento em que será preciso realizar o Enem, que é o Exame Nacional do Ensino Médio, que é atualmente um exame muito importante, pois por meio dele milhares e milhares de jovens conseguiram oportunidades em universidades pública e privadas de todo o Brasil.

O primeiro Enem que aconteceu no país foi no ano de 1998, quando foi criado para fazer uma avaliação do desempenho dos alunos que cursavam os anos finais do ensino médio. Com o passar dos anos, o Exame Nacional do Ensino Médio foi sofrendo diversas modificações até se tornar o que ele é hoje, ou seja, até ele ser a principal forma de ingresso em diversas universidades do país.

Qualquer estudante que esteja matriculado e que frequente o ensino médio, seja da rede publica de ensino ou da rede particular, pode realizar o Enem. Porém, os estudantes que ainda não estiverem cursando o 3º ano do ensino médio e que forem menores que 18 anos, realizam o exame na condição de treineiros.

Ou seja, alunos do 1º e 2º anos do Ensino médio podem fazer as provas do Enem para avaliarem seus conhecimentos e conhecerem o sistema de provas do exame, pois a nota obtida por esses alunos não pode ser utilizada na inscrição de nenhum programa que dê acesso a cursos de ensino superior, como o Prouni, Sisu e Fies.

Dessa forma, para que não ocorra nenhum tipo de confusão, os treineiros recebem suas notas somente depois de 60 dias em que o resultado é liberado para os demais alunos, aqueles maiores de 18 anos e que estão no 3º ano do Ensino Médio ou que já o concluíram.

Somente no ano passado, de um total de 8,6 milhões de inscritos, foram contabilizados 1.344.060 participantes na condição de treineiros, representando assim 16% do total de inscritos no Enem.

Agora, para quem possui mais de 18 anos, contudo não possui ensino médio concluído ou que não estejam matriculados, não se incluem nessa condição de treineiros. Para estes casos, a realização do Enem e sua respectiva nota servirá para a obtenção de Certificado de Competências de Jovens e Adultos, que em outras palavras é o certificado de conclusão do ensino médio.

Sirlene Montes


MEC anuncia prorrogação do prazo para renovação do FIES 2017.

O Ministério da Educação (MEC) prorrogou o prazo para a renovação dos contratos do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) até dia 31 de maio. Portanto, os estudantes terão mais um mês para renovar o benefício para o primeiro semestre deste ano. A decisão foi publicada no último dia (28), em portaria do Diário Oficial da União (DOU).

Segundo o Ministério, a expectativa é que 1,3 milhão de contratos serão renovados. A renovação é realizada pelo site: http://sisfiesportal.mec.gov.br/.

O aditamento começou em 16 de janeiro de 2017 e segue até final de maio.

Pré-requisitos

Estudante de curso superior matriculado em instituições privadas, com renda familiar per capita de até 2,5 salários mínimos. É exigido ainda participação no Enem a partir da edição de 2010, sendo que é preciso ter obtido nota superior a 450 pontos e não ter zerado a Redação, além se enquadrar em outras normas do Fies.

Como cadastrar

O estudante deve acessar o Sistema de Seleção do FIES (FIES Seleção), informar dados pessoais e cadastrar um email e senha para acesso ao site. Além de informar também o curso e a instituição de ensino. E seguida, mais três etapas: inscrição no SisFies, Validação das Informações e Contratação do Financiamento. Mais detalhes no portal do MEC, no menu "Como se inscrever".

Novas Regras do Fies

Desde o segundo semestre de 2015, as regras do Fies mudaram. Somente podem participar do Fies candidatos que não tenha formação superior. Além disso é preciso ter realizado a prova do Enem a partir de 2010 e ter obtido no mínimo 450 pontos e não ter zerado a redação. A taxa de juros sofreu reajuste e passou a 6,5% ao ano, para todos os cursos de graduação.

Prioridades

O governo decidiu dar prioridade na inscrição do Fies a algumas áreas, são elas: Engenharia, Licenciaturas/Pedagogia/ Normal Superior (Formação de professores) e área da saúde.

E ainda, estudantes de três regiões do Brasil terão prioridade para se inscreverem no Fies, dos estados: Norte, Nordeste e Centro Oeste (exceto Distrito Federal).

No portal do MEC os interessados têm acesso a informações completas do Fies, como por exemplo, o passo a passo para inscrição, perguntas frequentes, simulação de financiamento, tipos de fiador, abatimento, renegociação e outros.

Daniella Dutra


Confira aqui as principais mudanças realizadas para o Enem 2017.

O MEC (Ministério da Educação) divulgou no início deste mês os detalhes de uma série de mudanças que serão aplicadas durante a organização e realização do Enem 2017 (Exame Nacional do Ensino Médio).

De acordo com as informações divulgadas, as provas deste ano serão realizadas em dois domingos seguidos, não sendo mais em apenas um único fim de semana. Com isso, as provas estão prevista para os dias 5 e 12 de novembro.

Já o edital que irá tratar de todas as nuances do exame está previsto para ser liberado no dia 10 de abril de 2017. O período de inscrições permanecerá em aberto entre os dias 08 e 19 de maio.

Os resultados serão divulgados em 19 de janeiro de 2018.

Veja outras mudanças

Sem notas por Escola

O MEC informou que não irá mais divulgar dados do exame relativos as escolas. Isso quer dizer que não serão noticiadas informações sobre as notas e o desempenho de cada escola.

Provas personalizadas

Os cadernos de questões serão personalizados, trazendo a identificação com o nome e número de inscrição. Os cartões de resposta serão encartados dentro da prova.

Redação

A redação, nas edições anteriores era aplicada na segunda fase. Agora ele deverá ser realizada no primeiro dia de prova, assim como as provas de ciências humanas e suas tecnologias, códigos e suas tecnologias e linguagem. A duração será de 5 horas e 30 minutos.

Isenção

Antes a isenção era conseguida a partir de uma autodeclaração de baixa renda. A partir deste ano será feita uma conferência de informações no CadÚnico. Caso os dados não correspondam o candidato poderá perder o benefício.

Apresentação de atestado

Se o candidato obteve o benefício da isenção da taxa e vier a faltar em um dos dias da prova sem nenhuma justificativa, ou seja, não apresentaram o atestado, poderão ficar sem o benefício no próximo ano.

O Enem não servirá mais como certificado de nível médio

A partir de 2017 o Enem não irá mais ser usado como certificado para o ensino médio. Segundo o MEC o exame não é estruturado para analisar e fazer esse tipo de graduação.

A certificação em si voltará a ser como antes. Isso quer dizer que será realizada pelo Enceja.

Para maiores informações acesse www.mec.gov.br.

Por Denisson Soares


Enem deste ano irá acontecer em dois domingos consecutivos.

O MEC, Ministério da Educação, realizou o anúncio de algumas mudanças no ENEM, o Exame Nacional do Ensino Médio. que este ano de 2017 irá acontecer em dois domingos seguidos, sendo dia 5 e dia 12 do mês de novembro. Anteriormente o exame era realizado em apenas um final de semana. As inscrições para realização do mesmo estarão abertas a partir do dia 8 até o dia 19 do mês de maio.

Tal medida tomada irá beneficiar os candidatos sabatistas, os quais integram religiões que acabam guardando o dia de sábado. Até o ano de 2016, os mesmos necessitavam ficar esperando em uma sala específica, das 13 horas, que é o horário de início da avaliação até o momento em que o sol se punha e então realizam as avaliações do período noturno do sábado.

Os candidatos que possuem interesse em realizar o exame precisarão fazer o pagamento de uma taxa de inscrição, para que sua participação seja de fato efetivada. Há também a isenção do pagamento desta taxa, para os alunos que estão concluindo o ensino médio em instituições públicas de ensino e também os concorrentes que são de baixa renda. Os candidatos isentos que realizar a prova e também não justificarem sua ausência irão perder o benefício para o ano de 2018, se os mesmos desejarem realizar a prova novamente.

Outra alteração no exame é o fato de os cadernos de avaliação serem identificados, possuindo o numero de inscrição e o nome do concorrente na própria capa. As alterações foram realizadas tendo como base uma consulta pública executada pelo ministério da educação.

De acordo com informações prestadas pelo Ministério da Educação, o documento de edital, que possui todas informações que irão reger o exame nacional será divulgado ainda antes do 10 do próximo mês.

Se você possui interesse em ingressar em alguma instituição de ensino seja publica ou particular (através do Prouni) ou ainda está concluindo o ensino ou deseja utilizar o exame para adquirir seu diploma de nível médio, não perca o período de inscrição, que ocorre no mês de maio.

FILIPE R SILVA


Objetivo é realizar mudanças e buscar uma melhora na qualidade dos cursos.

Como resultado de baixas colocações no Conceito Preliminar de Curso, o chamado CPC, pelo menos 917 cursos deverão sofrer medidas cautelares por parte do Ministério da Educação. Tais medidas têm como principal objetivo uma melhor qualidade de ensino e evolução dos cursos com desempenho ruim no CPC. O CPC é uma avaliação realizada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira e visa analisar a qualidade de ensino de cursos de ensino superior.

Vários parâmetros são levados em consideração neste tipo de avaliação, dentre as quais: formação dos professores, desempenho dos estudantes e estrutura do curso em questão. O principal objetivo desta última edição do CPC foi detectar problemas relacionados a cursos das áreas de Ciências Sociais e Humanas, além de Cursos Tecnológicos, nas áreas de Negócios, Apoio Escolar, Lazer e Produção Cultural.

Os conceitos 1 e 2, em relação a uma escala que vai até 5 (a maior nota), são considerados insatisfatórios pelo CPC. Com isso, todo e qualquer curso de instituições de ensino superior que tenham registrado conceitos baixos serão punidos gravemente. A punição varia desde a suspensão de provas de seleção até mesmo o encerramento do curso em questão.

Os cursos com índices ruins nas avaliações anteriores e que continuaram com conceitos insatisfatórios no último CPC serão divulgados através de uma lista elaborada pelo MEC. Tal lista deve ser divulgada dentro de um mês.

Um detalhe importante é que as penalidades também passarão a ser aplicadas nas instituições que não conseguiram êxito quanto à avaliação no Índice Geral de Curso, o IGC. Esta avaliação é realizada pelo Inep e tem como principal objetivo fazer uma análise da formação na graduação bem como na pós-graduação.

Segundo dados divulgados nesta quarta-feira, 08 de março, no mínimo 312 instituições acabaram com conceitos 1 e 2, desempenhos insatisfatórios, e devem ser punidas.

Além disso, segunda destaca Paulo Barone, Secretário de Educação Superior do MEC, após a divulgação dos resultados é aberto um processo administrativo. Com isso, tanto a instituição como os responsáveis do curso em questão podem apresentar suas respectivas defesas.

Tanto o MEC quanto o Inep já destacaram que os Indicadores de Qualidade de Educação Superior irão passar por mudanças em relação a sua metodologia até o ano de 2018.

Por Bruno Henrique


Mudanças no ENEM só acontecerão a partir de 2019.

Para todos os estudantes que cursam o ensino médio e pretendem fazer o Exame Nacional do Ensino Médio ( ENEM), temos uma ótima notícia para acalmar os ânimos. O Ministro da Educação, Mendonça Filho, anunciou que a reforma do ensino médio de todo o país não vai provocar nenhuma mudança significativa de conteúdo nas duas próximas edições do Enem. A informação foi dada ontem pelo ministro, na entrevista coletiva em Brasília, logo após a cerimônia que sancionou a nova lei.

Mendonça Filho reforça que é inevitável que o Enem não tenha mudanças e será necessária a adequação da realidade do novo ensino no Brasil. Ainda segundo o Ministro, algumas mudanças mais substanciais tanto no formato, quanto em todo o conteúdo, serão feitas a partir de 2019 e até lá, todos os estudantes podem ficar tranquilos.

De acordo com o Ministério da Educação e Cultura (MEC), as escolas brasileiras terão o prazo de dois anos para se adaptarem as novas regras e mudanças feitas no ensino médio no Brasil. O MEC ainda reforça que todas as alterações na mudança do maior exame da rede educacional do Brasil, depende de muitas outras coisas, inclusive do resultado de uma consulta pública, que é bastante complexa e demorada.

A Assessoria de Imprensa do MEC informou, em dezembro passado, que a publicação de todo o conteúdo do edital do Enem 2017 deveria ser publicada em fevereiro. Estima-se que a divulgação do edital seja adiada por motivo da prorrogação do prazo da consulta pública até o dia de hoje, 17. A Medida Provisória (MP) 746 do dia 22 de setembro de 2016 teve aprovação pela Câmara dos Deputados no final de dezembro e teve aprovação no Senado, no dia 8 desse mês. Em suma, a reforma do ensino médio vai aumentar a carga horária escolar de todas as escolas brasileiras, além da implantação de instituições de ensino em período integral, que dividirá o ensino médio em Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e mais cinco áreas exclusivas, que vão permitir que as escolas contratem professores que não possuem diploma em licenciatura para poderem lecionar conteúdo técnico e profissionalizante, além de diversas outras mudanças, como inclusão e exclusão de algumas disciplinas na grade escolar dos alunos.

Rodrigo Souza de Jesus


Ministério da Educação irá divulgar o resultado do Prouni na próxima semana. Segunda chamada deverá ser divulgada no final de fevereiro.

Alunos que concluíram o ensino médio e estão interessados em conquistar a tão sonhada vaga no ensino superior, devem ficar atentos aos resultados de bolsas concedidas pelo Prouni 2017 – Programa Universidade Para Todos, que existe há 12 anos.

Segundo informações publicadas pelo Ministério da Educação (MEC), a partir de 6 de fevereiro será divulgada a lista oficial sobre as distribuição das bolsas para a primeira chamada. O edital completo pode ser acessado aqui: http://prouniportal.mec.gov.br/legislacao/legislacao-2017.

Lembrando que o Prouni autoriza bolsas de estudo para alunos que fizeram o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) de 2016 e com situação econômica, a qual a renda familiar seja de até três salários mínimos. Outro requisito é ter estudado em escola pública ou como bolsista na rede particular de ensino. No dia 31 de janeiro e até o dia 3 de fevereiro, os estudantes poderão se inscrever no programa e aguardar os resultados nos dias posteriores.

As bolsas podem ser parciais ou integrais. No caso, o resultado final dos selecionados para a primeira chamada será no dia 6 de fevereiro (inscrição e matrícula até o dia 13/02) e a segunda chamada será divulgada no dia 20 de fevereiro (inscrição e matrícula até o dia 24/02).

A lista de espera deve ser informada no início de março. É importante ainda ressaltar que a classificação do candidato está muito ligada ao desempenho dele no Enem. Em 2016, quase 204 mil bolsas de ensino foram ofertadas no programa e cerca de 1, 6 milhão de pessoas se inscreveram no programa na edição passada. No primeiro ano de implantação, em 2005, o Prouni ofertou mais de 228 mil bolsas, segundo dados do MEC.

Serviço/ Informações:

Estágio Prouni – Febraban

Estudantes contemplados pelo programa Prouni podem participar de seleção para estágio em bancos associados à Febraban (Federação Brasileira de Bancos). Se trata de uma parceria entre o MEC e a federação, a qual prevê que cerca de 10% vagas de estágio sejam reservadas para bolsistas do Prouni.

Os estudantes que estiverem interessados em participar desse programa podem acessar o portal: http://www.febrabanoportunidades.com.br. Na página há informações sobre os processos seletivos em andamento, além de seção para cadastro de currículo.

Por Letícia Veloso


MEC altera regras do Sisu para flexibilizar exigências das instituições de ensino.

A partir do primeiro semestre de 2017, serão postas em prática novas regras do MEC para a seleção dos estudantes pelo SISU (Sistema de Seleção Unificada) para as universidades. A pedido das próprias universidades, no dia 5 de janeiro, quinta-feira, foram adotadas medidas que flexibilizam os requisitos para a entrada dos calouros nas instituições que utilizam o ENEM como forma de ingresso no ensino superior.

No site do Sisu, os vestibulandos concorrem a vagas em universidades estaduais e federais, utilizando sua nota do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), podendo disputa-las na ampla concorrência ou através do sistema de cotas para alunos de escola pública e para os estudantes pretos, pardos e indígenas.

Nos últimos anos, a seleção para as vagas tinha como critério, definido por cada universidade, um peso e nota mínima para cada uma das provas do Enem, de acordo com o curso almejado pelo participante. A mudança será relativa ao cálculo das notas mínimas necessárias para aprovação. As instituições poderão não só continuar seguindo esse critério de peso e nota específica para cada prova, como podem também optar por decidir uma média nas provas para aprovar os estudantes. Há também a opção de a universidade combinar ambas estratégias para a aprovação dos vestibulandos.

Dessa forma, um estudante que não conseguiu obter a nota mínima exigida em uma das provas do Enem, se teve uma boa nota nas demais provas, terá a chance de atingir uma média total mínima que possibilite com que ele seja aprovado na universidade ou fique nas listas de chamada.

De acordo com as informações do MEC, a nota do Enem será divulgada no dia 19 de janeiro. Os estudantes que prestaram o Enem 2016 poderão utilizar suas notas para se inscreverem no Sisu e concorrer a vagas em universidades estaduais e federais. É importante lembrar que há listas de chamada e mesmo que um estudante não seja chamado na primeira lista, dependendo do curso e instituição há a possibilidade de ser aprovado nas próximas listas.

Fique atento ao site do MEC para tirar dúvidas, procurar informações e não perder os prazos de inscrição no Sisu.

Isabela Palazzo


Senadores deverão votar sobre o Projeto de Reforma do Ensino Médio no início de fevereiro de 2017.

Como já era esperado, a polêmica Reforma do Ensino Médio, anunciada ainda no ano passado, está se aproximando de uma resolução. O projeto é o primeiro a passar pelo Senado em 2017. A votação está prevista para acontecer assim que o Senado retornar as suas atividades no dia 02 do mês de fevereiro.

Desde que foi anunciado, o projeto de Reforma do Ensino Médio tem despertado muita polêmica e recebido inúmeras críticas de especialistas da educação. Tanto que até o momento já passam de 500 emendas.

Até mesmo os estudantes fizeram protestos contra a reforma, ocupando instituições de ensino, no fim do ano passado.

A proposta do governo federal surgiu em setembro de 2016 e já foi apresentada como Medida Provisória, diante disso, se ela for aprovada pelo poder Executivo ela imediatamente entra em vigor.

Porém, para que ela se torne definitiva como lei, deve ser analisada por uma comissão do Congresso Nacional, passando assim para a Câmara dos Deputados e finalmente passar e ser aprovada pelo Senado, tudo isso dentro de um prazo de 120 dias, pois corre o risco de ficar inválida. Dessa forma, para ser validada a REM está na reta final, faltando apenas o aval dos Senadores, que devem votar até o dia 02 de março de 2017, quando o prazo vence.

Dentre vários pontos abordados pela Medida Provisória está a inserção de 257.400 jovens do ensino médio em programas de ensino integral, até o ano de 2018.

Em 2017 serão abertas o equivalente a 148.061 vagas em escolas públicas de todo o país, nessa modalidade de ensino integral.

Com isso, espera-se retirar os jovens que ficam pelas ruas, que evadem da escola e que em certos casos acabam se ocupando de atividades indevidas.

Contudo, o que gerou mais críticas foi o fato de os conteúdos pragmáticos serem modificados, ou melhor, diminuídos, em razão da manutenção de outras áreas como matemática, linguagens, ciências da natureza, formação técnica profissional e ciências humanas. Para isso, algumas disciplinas que até então fazem parte do currículo escolar serão suprimidas, deixando de serem obrigatórias como educação física, ensino de artes, sociologia e filosofia.

Com a implantação da MP, o governo pretende ampliar a carga horária anual que atualmente é de 800 horas passando a 1.400 horas.

E com a aprovação do projeto no dia 02 de fevereiro, a intenção do governo é começar o ano letivo de 2017 já com as novas mudanças.

Sirlene Montes


Governo Federal pode lançar Medida Provisória que altera o Ensino Médio no Brasil.

Ao que tudo indica, deve ser anunciado pelo Governo Federal, nessa quinta-feira, dia 22 de setembro de 2016, uma nova Medida Provisória, que acarretará em mudanças no ensino médio em todo o Brasil.

Tratado como uma reestruturação do ensino, de forma que o aluno seja colocado em primeiro lugar, uma das ideias dessa mudança tem ligação com o pensamento e foco voltados para o futuro. Isso porque há uma resolução nova nesse plano: a de que o estudante tenha, além das disciplinas básicas de um currículo, acesso a outras matérias de interesse dele, partindo da concepção de que a grade precisa focar nos cursos superiores e técnicos, como forma de colaborar na formação e escolha de cada um.

O objetivo dessa nova medida e reforma é, principalmente, tornar o ensino médio mais atrativo para quem o está cursando. Atualmente, o nível médio é composto de três anos de estudo, 5 horas diárias de aula e 13 matérias que são obrigatórias. A previsão, portanto, é de que se diminuam as disciplinas, por meio de uma divisão em 4 grupos dessas. Seriam elas: ciências da natureza, ciências humanas, matemática e linguagens.

Sendo assim, conforme o Ministério da Educação, no primeiro ano e na primeira parte do segundo ano, o currículo seria praticamente o mesmo. A partir desse momento, todavia, o aluno já poderia focar e direcionar os seus interesses e prioridades, pensando no que pretende cursar no ensino técnico ou superior. De uma maneira simplificada, portanto, o estudante poderia escolher os assuntos que mais gostaria de aprofundar ou conhecer, de forma a pensar no seu futuro profissional.

A escolha por uma medida provisória foi feita uma vez que, para aprovação da lei pelo Congresso, o processo poderia ser muito demorado. Sendo assim, a ideia é que, já em 2017, esse plano seja colocado em prática, necessitando urgentemente de uma preparação docente para essas mudanças.

O Ideb 2015

Apesar das críticas em relação às alterações na Educação Brasileira, é preciso saber que essa flexibilização vem como uma possível solução e reforma educacional após os baixos índices de desempenho registrados no Índice de Desenvolvimento da Educação, o Ideb 2015. Conforme esse, o ensino médio está em uma das piores situações na comparação às séries iniciais e também as finais da educação fundamental. Isso porque a meta do ano passado era de 4,3, porém, o índice ficou em 3,7.

Além disso, outro dado interessante se refere à taxa de reprovação e de abandono dos matriculados no ensino fundamental e médio. No ensino fundamental, a taxa de reprovação é de 8,2%, sendo que no ensino médio essa é de 11,5%. Já em relação ao abandono, no ensino fundamental somente 1,9% dos alunos desistem, número muito inferior aos 6,8% registrados pelo Ministério da Educação (MEC) no nível médio.

Kellen Kunz


Confira aqui todas as informações sobre o Prouni 2016.

O ProUni (Programa de Universidade para Todos) abriu suas inscrições para o segundo semestre de 2016 na última terça-feira (07). O prazo para os alunos que desejam fazer sua inscrição será até às 23h59min do dia 10 de junho.

As inscrições deverão ser feitas exclusivamente no http://siteprouni.mec.gov.br e para se inscrever o aluno precisa ter participado do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) de 2015, ter média acima de 450 pontos no exame e não ter zerado na redação.

Ao iniciar a inscrição, o candidato deverá informar o número de inscrição e a senha usada no Enem (aos alunos que não lembrarem de seus dados, o número de inscrição e senha podem ser recuperadas através do site do Enem), além de cadastrar o CPF (Cadastro de Pessoa Física). O aluno ainda terá direito a escolher duas opções de curso que desejar.

O resultado da primeira chamada será divulgado no dia 13, através do site do ProUni e os alunos aprovados terão do dia 13 de junho ao dia 20 do mesmo mês para comprovar os dados fornecidos e realizar a matrícula. Já o resultado da segunda chamada será divulgado no dia 27 de junho e os alunos aprovados poderão comprovar os dados e realizar a matrícula entre os dias 27 de junho a 1 de julho.

Os alunos que não foram aprovados na primeira e segunda chamada poderão participar da Lista de Espera e o prazo para participarem será do dia 8 até 11 de julho e a entrega da documentação deverá ser realizada nos dias 18 e 19 de julho de 2016.

O edital está disponível aqui e para mais informações e cadastro é só acessar o site do ProUni.

Sobre o ProUni

O Programa de Universidade para Todos (ProUni) é um programa do Ministério da Educação que foi criado em 2004 pelo Governo Federal para oferecer bolsas de estudos parciais e integrais em instituições particulares de ensino superior.

O processo seletivo é composto por duas fases: processo regular e processo remanescente. Podem participar os estudantes que não possuem diploma do ensino superior; estudantes que saíram de escolas públicas ou bolsistas em escolas particulares; além de estudantes com deficiência.

Rebecca Vieira


Os candidatos pré-selecionados podem realizar as inscrições no Fies até o dia 23 de agosto.

O MEC, Ministério da Educação, divulgou no dia 12 a lista dos candidatos que foram pré-selecionados no Fies, Fundo de Financiamento Estudantil. A consulta pode ser realizada através do site oficial do programa.

A princípio, a previsão era que o resultado fosse divulgado no dia 10, porém uma liminar da 15ª Vara Federal da Seção Judiciária do Distrito Federal fez com que a divulgação fosse suspensa. O Ministério da Educação só pode divulgar os resultados depois que a Justiça Federal suspendesse a liminar e com isso foi possível dar continuidade a seleção de estudantes. A liminar foi concedida favorecendo a Anima Educação, pois a instituição questionou a quantidade e a distribuição de vagas, assim o prazo foi suspenso. Prontamente o MEC prestou os esclarecimentos necessários e a liminar foi suspensa.

Com esse atraso, o cronograma do Fies foi prorrogado em um dia. Os candidatos que foram pré-selecionados devem acessar os Sisfies para que a inscrição seja concluída e a contratação do financiamento seja efetivada. O prazo para realizar esse procedimento é do dia 14 até o dia 23 de agosto.

O programa oferecerá um total de 61,5 mil vagas. O Fies permite que os estudantes consigam financiar os cursos de graduação e instituições particulares de ensino superior. O aluno começa a pagar o financiamento em no máximo três anos depois de ter concluído o curso.

De acordo com a renda familiar, os estudantes pagam uma porcentagem da mensalidade mensalmente, além disso, todo aluno beneficiado pelo Fies conta com 5% do valor normal da mensalidade.

Nessa edição do programa de financiamento que as novas regras entraram em vigor. Com essas regras, o número maior de vagas será para as regiões Nordeste, Norte e Centro-Oeste, com exceção de Brasília. Os cursos de formação de professores, saúde e engenharia têm prioridade. Os cursos com nota de avaliação do MEC entre 4 e 5 também têm preferência.

Por Jéssica Posenato





CONTINUE NAVEGANDO: