MEC libera Manual de Redação do Enem 2017. Documento também ganhou uma vesão em LIBRAS.

Já estamos na segunda quinzena do mês de outubro de 2017 e mais uma vez estamos próximo das datas previstas para a realização das provas do Exame Nacional do Ensino Médio, o conhecido Enem. De acordo com dados recentes do Inep, que é o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, milhões de pessoas se inscreveram para realizar o exame neste ano de 2017.

Quem se inscreveu para realizar o Enem de 2017 já pode ter acesso ao Manual de Redação, que foi liberado na última da última segunda-feira, dia 16 do mês de outubro. A grande novidade deste ano está no fato de o documento também ser disponibilizado na versão de Libras, que é a Língua Brasileira de Sinais (Libras).

Ao acessar a cartilha do participante o candidato obterá informações importantes sobre as características que a redação realizada no Enem deve possuir. Além disso, nesse manual o estudante terá acesso à metodologia utilizada para avaliar o texto dissertativo, onde explica com detalhes as cinco competências que são consideradas no momento em que os textos são corrigidos.

Na redação do Enem o estudante pode tirar desde a nota zero até nota mil, o que vai depender da qualidade de seus argumentos e se o texto atende à metodologia que se aplica a sua correção.

É interessante que o candidato realmente leia a cartilha, pois além de conhecer o método de avaliação do Enem, ainda poderá visualizar redações de edições passadas que apresentaram problemas, seja no modelo usado, nos termos ou na inconsistência de ideias e assim poder estabelecer comparações com a maneira correta de produzir o texto.

Embora a maioria dos estudantes alegue que é praticamente impossível zerar a redação do Enem, isso acontece, comprometendo totalmente o aproveitamento da nota de seu candidato.

Assim, a cartilha vai pontar os motivos que podem levar ao temido “zero” na redação. Lembrando que para esta edição e 2017 o número de motivos aumentou. Por isso é tão importante ler a cartilha e ficar atento.

Conheça abaixo os motivos que podem levar o candidato a zerar a sua redação do Enem 2017:

– Fugir totalmente do tema;

– Desrespeitar a estrutura que um texto dissertativo-argumentativo deve possuir;

– Escrever menos de sete linhas;

– Copiar integralmente ou parcialmente os textos motivadores que estão presentes no caderno de prova;

– Desenhar ou usar impropérios;

-Apresentar argumentos desconectados do tema;

– Colocar nome, assinatura, rubrica ou ainda apelido em local que não seja próprio para a assinatura do inscrito;

– Apresentar todo o texto redigido em língua estrangeira;

– Desrespeitar os direitos humanos;

– Apresentar folha de redação em branco;

As redações produzidas no Enem são corrigidas por dois professores, contudo, quando as opiniões de ambos divergem em relação a produção textual que estão avaliando, um terceiro professor é chamado para auxiliar na correção.

Assim como são apresentados modelos de redação com erros que podem comprometer a nota dos candidatos, o Manual de Redação também traz modelos de redação que tiraram nota mil.

Ao produzirem estes textos os candidatos cumpriram todas as exigências que são estipuladas nas competências apresentadas no manual.

Nesse sentido, se você é um candidato ao Enem 2017 e durante todo o ano vem se preparando para realizar as provas e inclusive a redação, não deixe de acessar o Manual de Redação do ano de 2017, pois com certeza nela existem informações que serão muito úteis na hora em que você irá produzir o seu texto.

Uma dica aos candidatos é reservar um bom tempo para a redação, para que assim seja possível fazer um texto coeso e coerente evitando os erros que podem diminuir a sua nota. Boa sorte.

Sirlene Montes


Cesgranrio e Fundação Getúlio Vargas também serão responsáveis por corrigir os textos.

A Fundação para o Vestibular da Universidade Estadual Paulista (Vunesp) está indicada para os processos de aplicação e correção da prova discursiva, a qual valerá 20% da nota integral do exame.

A participação da Vunesp será em conjunto com a Fundação Cesgranrio e a Fundação Getúlio Vargas, na aplicação e correção das provas do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) para o ano de 2017.

A Fundação Getúlio Vargas, assim como a Cesgranrio, ficarão encarregadas pelas provas de:

  • Linguagens

  • Matemática

  • Ciências Humanas

  • Ciências da Natureza

A correção das provas de redação dos candidatos também será feita pela Vunesp.

Trabalhos recentes da Fundação para o Vestibular da Universidade Estadual Paulista

A Vunesp teve sua participação recente em outros processos de avaliações escolares como no Saresp / SP (Sistema de Avaliação de Rendimento Escolar do Estado de São Paulo), também no SisPAE (Sistema de Avaliação Educacional do Estado do Pará), além do Revalida (Exame Nacional de Revalidação de Diplomas dos Médicos) e na Anasen, que é a Avaliação Nacional de forma Seriada dos Estudantes dos cursos de Medicina.

Aplicação do ENEM 2017

O Exame Nacional do Ensino Médio a ser realizado ainda no ano de 2017 terá sua aplicação nos dias 05 e 12 de novembro, serão dois domingos. Desta vez a redação será aplicada no primeiro domingo, ou seja no dia 05 de novembro.

A avaliação nacional já conta com um número que supera os 6,7 milhões de inscritos confirmados. Porém, é o menor se considerado o período desde o ano de 2013, quando 7,2 milhões de candidatos se inscreveram para as provas.

De qualquer forma, o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) indica que os números apresentados ainda deverão subir mais até o final do prazo, isto com vistas na possibilidade de que outras novas inscrições advindas por vias de decisões judiciais ou recursos possam ser confirmadas.

Para ficar informado sobre o ENEM ou até mesmo fazer a inscrição basta acessar o site oficial do Enem, no qual estarão dispostas todas as demais informações ou dúvidas que possam surgir.

O Exame Nacional do Ensino Médio é uma excelente oportunidade que pessoas do país inteiro tem para buscar um curso superior e assim qualificar o currículo.

Boa Sorte!

Por Silvano Andriotti


Confira aqui os principais temas de redação que podem ser cobrados no Exame do ENEM 2017.

O Exame Nacional do Ensino Médio é um dos vestibulares com maior número de inscritos, grande parte dos inscritos se preparam meses antes do dia das provas. O exame é construído em cima da linha de conhecimento, abordando Ciência Humanas (História, Geografia, Filosofia e Sociologia), Ciências da Natureza (Biologia, Química e Física) e Linguagens (Português, Literatura e Línguas Estrangeiras, inglês e espanhol).

Além dessas disciplinas o Enem cobra a Redação, assim como as outras disciplinas ela é decisiva para o aluno conquistar uma boa nota e por fim passar na tão sonhada vaga em uma Universidade Pública, conquistar uma Bolsa de Estudos no Prouni ou conseguir Financiamento pelo Fies.

Portanto, é importante que o aluno de uma atenção especial para a redação por ter grande valor ao final de tudo. Quando se fala em redação do Enem, a preocupação todos os anos é referente ao tema da redação. Alguns cursinhos preparatórios fazem vários simulados com seus alunos, normalmente com temas da atualidade, porém, a dica para economizar tempo e ter maior chance de acertar o tema da redação é estudar temas mais complexos, segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (INEP).

Os temas da redação são geralmente ligados a Diretos Humanos e Meio Ambiente, normalmente os temas são atemporais, ou seja, eles circulam no âmbito social de uma forma mais abrangente. Por exemplo, no Exame Nacional do Ensino Médio do ano de 2000, o tema abordado foi “Direitos da criança e do adolescente: como enfrentar esse desafio nacional?”, dezesseis anos depois o tema seguiu a mesma linha dos Direitos Humanos, trazendo o tema “Caminhos para combater o racismo no Brasil”.

Quando falamos em Direitos Humanos, devemos pensar em temáticas voltadas para o exercício da cidadania, ao combate contra qualquer tipo de discriminação sejam eles raciais ou religiosos. Por isso é importante ficar por dentro dos direitos dos cidadãos, importante saber o que a Constituição Federal garante para proteger esses cidadãos, é necessário também ficar por dentro da realidade brasileiro.

Nos temas ligados ao Meio Ambiente é importante ficar informado sobre o cenário ambiental no Brasil, principalmente sobre algo recorrente no Brasil, que são os conflitos de Terras Indígenas, como preservar a flora e a fauna e a sustentabilidade.

Gisele Alves de Brito


Confira aqui algumas dicas para fazer uma boa redação no Enem 2016.

Com a proximidade da realização das provas do Enem, marcado para o próximo fim de semana, estudantes de todo o Brasil ficam ansiosos e apreensivos, principalmente quando o assunto é a redação, que deve ser feita no 2º dia do exame, pois sua nota é extremamente importante.

Se você irá fazer o Enem e precisa de dicas para fazer uma boa redação e com isso alcançar uma boa nota, preste atenção nas dicas a seguir:

1º) Na hora de escrever o seu texto, não se desespere. Pense que você estudou e fez muitas leituras durante o ano todo para se preparar para esse momento. Dessa forma, pare um instante e tente se acalmar. O nervosismo só vai te atrapalhar neste momento.

2º) Se você já conhece o tema proposto, ótimo. Mas se não conhece leia os textos motivacionais e marque os pontos que você considera mais relevantes. O texto possui informações que você pode usar, lógico, com as suas palavras.

3º) Após a leitura dos textos, você precisa iniciar o seu texto, que deve conter introdução, desenvolvimento e conclusão. Na introdução você deve citar o tema com as suas palavras (não copie frases dos textos, somente ideias), mais dois argumentos que serão desenvolvidos. A introdução é como se fosse um resumo do texto.

4º) No desenvolvimento, separe dois argumentos e desenvolva um em cada parágrafo. Use conectivos e seja coerente.

5º) Na conclusão, repita o tema e elabore uma solução para a questão, é a chamada intervenção, mas pense em algo que seja realmente viável e possível.

6º) Evite repetir palavras em excesso, use sinônimos quando necessário.

7º) Caso você erre alguma palavra, apenas faça um risco horizontal sobre ela e continue escrevendo. Evite fazer rabiscos.

8º) Escreva sempre na forma impessoal. Não use a primeira pessoa do singular “eu”.

9º) Escreva em português formal , nunca use expressões populares, gírias, jargões ou frases freitas.

10º) Procure fazer a redação primeiro, pois você escreverá mais rápido, com mais facilidade, pois você não estará cansado, como quem faz a redação por último.

Na véspera da prova descanse, durma mais cedo e confira se os documentos estão corretos. E não se esqueça de levar caneta PRETA, leve duas para garantir.

Tenha uma boa redação!

Sirlene Montes


Site oferece serviço de correção online de redações.

Dados do Ministério da Educação revelam que em 2015, 53.000 dos cerca de 8,4 milhões de inscritos no ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio) zeraram a prova da redação.

Isso sem contar os quase 500 mil inscritos que simplesmente abriram mão de realizar o teste.

Além disso, apenas 104 inscritos tiraram a nota máxima (1000), o que tem gerado grandes discussões a respeito do tema.

As desculpas para essa situação são várias: falta de interesse dos alunos, sistema de ensino precário, diculdade de entendimento do tema; além de um total desconhecimento sobre a proposto da redação; principalmente quando se trata de assuntos em destaque no cenário atual.

Pensando nisso, alguns sites resolveram dar um auxílio aos interessados em aperfeiçoar os seus conhecimentos nessa área, oferecendo um serviço de correção de redações, no momento condicionados a determinados temas.

O Serviço de Correção de Redações

Há alguns anos, profissionais com experiência em correção de redações para o ENEM, vestibulares e outras avaliações, resolveram unir-se em prol de incentivar os alunos a melhorarem o nível dos seus textos.

O sistema funciona da seguinte maneira: no serviço gratuito, o interessado envia a sua redação a sites, como: Redacaoonline.com ou Projetoredação.com.br (estes, os mais conhecidos), esta última é lida por uma comunidade de usuários que iniciam uma série de comentários, opiniões, tiram dúvidas, ensinam e aprendem; e o resultado é que o contratador do serviço terá de volta a sua redação repleta de conselhos e correções de estudantes ou pessoas comuns, que também se vêem as voltas com dificuldades em relação à redação.

A correção profissional de redações

Já nesse caso, o seu texto é enviado a profissionais (mediante uma assinatura mensal), geralmente graduados e pós-graduados em letras (muitos até com mestrado e doutorado); além de experiência prática em Enem, vestibulares e de ensino em grandes instituições.

Esses profissionais se comprometem a proceder à correção das redações, tecendo comentários sobre cada ponto do texto (que deverá ser desenvolvido ou modificado), analisando a pontuação; além de, ao final, conceder uma nota para a redação recebida, com base nos critérios estabelecidos pelo Enem.

Enfim, em tempos de crise no ensino público, essa proposta de correção profissional de redações, talvez possa ser um bom instrumento para o aperfeiçoamento de candidatos a vestibulares, como o Enem, por exemplo, em um dos maiores vilões dos estudantes de todo o país: a temível e misteriosa REDAÇÃO.

Vivaldo Pereira da Silva


Alguns aspectos fazem a diferença no momento de redigir uma boa redação.

De modo geral, concursos públicos, vestibulares e até mesmo processos seletivos exigem que o candidato produza uma redação, a qual pode facilmente eliminar a chance de conseguir aquela tão sonhada vaga. Por outro lado, saber como e quando utilizar determinados elementos linguísticos nessa produção textual pode ser complicado. Pensando nisso, listamos 5 dicas que podem te ajudar a produzir uma redação ou um bom texto para alcançar os seus objetivos.

1. Leia de tudo um pouco. Seja curioso!

Em alguns casos, ler pode ser um pouco chato, mas já pensou em começar a ter esse hábito encontrando assuntos que são do seu interesse? Depois, com o tempo, procure se informar sobre diversos tópicos. A leitura não irá garantir um domínio gramatical, porém será uma excelente aliada no momento de expor melhores argumentos e, consequentemente, de desenvolver o tema da redação mais facilmente. Portanto, poderá ser um caminho para expandir seu vocabulário, seus conhecimentos e enriquecer o seu texto.

2. Saiba interligar os elementos do seu texto

Para obter uma redação sem repetições de ideias e que não seja cansativa, é necessário fazer uso de elos coesivos, que podem ser pronomes, adjetivos, advérbios, elipses, etc. Por exemplo, observe a seguinte frase: “João foi à escola. João fez vários exercícios. João voltou para casa”. Essa sentença pode ser substituída por: “João foi à escola e fez vários exercícios. Após isso, voltou para casa”. A alteração deixou a frase mais fácil de ser lida, não é mesmo?

3. Observe se o seu texto é compreensível

Quando for escrever um texto, analise se ele tem coerência. Ou seja, se ele faz sentido, se qualquer pessoa conseguiria compreendê-lo. Para isso, vale verificar se não há contradições de ideias, vícios de linguagem e se cada frase de fato é uma informação valiosa. Adicione fatos interessantes e que possam sustentar a sua tese. Procure prender a atenção do seu leitor com esses dados.

4. Tenha cuidado com os aspectos gramaticais

É evidente que erros gramaticais empobrecem e penalizam qualquer texto. Para evitar esse tipo de problema, é importante ter certo domínio de ortografia, concordância verbal e nominal, pontuação, etc. O ideal não é decorar terminologias, mas sim compreender como determinados aspectos podem ser incorporados ao seu texto. Nesse caso, é possível fazer vários exercícios e simulados de língua portuguesa; há muitos deles na internet e de graça. Além disso, sempre que possível escreva, treine e peça para algum professor ler e corrigir seu texto. Há sites que oferecem esse tipo de serviço on-line.

5. Revise o seu texto

Antes de entregar a redação, procure revisá-la. Assim, observe se não há alguma frase ou trecho que pode ser alterado ou retirado, se a pontuação está correta, se as palavras estão escritas da maneira correta. Verifique, ainda, se a introdução, o desenvolvimento e conclusão estão bem executados. Não se esqueça de que esses três elementos fazem com que o leitor identifique o início, meio e fim da sua redação.

Com essas dicas, será mais fácil escrever um bom texto. Bons estudos!

Por Camilla Silva


Os estudantes devem treinar redação utilizando alguns temas que podem ser pedidos no Enem 2016.

A redação do ENEM tem um grande peso na nota final do candidato, sendo a maior aliada quando se trata de conseguir uma vaga em uma universidade. É de extrema importância que o vestibulando treine fazer redações, principalmente de temas que podem vir a ser o tema da redação do ENEM em 2016. Confira aqui alguns temas que têm grandes chances de aparecer na prova no final do ano:

Racismo e homofobia: presentes desde sempre na sociedade brasileira, o racismo e a homofobia são cada vez mais expostos nas redes sociais e nos meios de convivência. O candidato deve ter conhecimento crítico sobre os dois temas e ser capaz de articular sobre eles, relacionando com os direitos de cada indivíduo no cenário do país.

Trabalho escravo nos dias de hoje: Embora a escravidão tenha sido abolida, ainda há muitas pessoas que trabalham em condições precárias, como escravos. O estudante pode ter em mente o trabalho na China quando o tema é mencionado, no entanto, é de extrema importância ter o conhecimento do cenário de trabalho escravo no Brasil, principalmente realizado por grandes marcas.

Terceira idade: Em países desenvolvidos o número de pessoas idosas aumenta e o número de crianças e consequentemente, jovens diminui. Isso acontece devido aos avanços na área da saúde e dos métodos contraceptivos. O Brasil, que é um país em desenvolvimento, segue essa tendência. É importante saber os problemas que esse tipo de desenvolvimento causa, pois o país precisa de recursos para cuidar da quantidade de idosos, como, por exemplo, a aposentadoria. Outro problema é a falta de pessoas mais jovens que são a mão de obra do país.  

Conceito de família: No ano passado (2015) foi aprovada na Comissão da Câmara a definição de família que diz ser família a união entre um homem e uma mulher. A definição exclui uma parte massiva da população que não segue esse padrão. O estudante precisa analisar o cenário brasileiro e articular sua opinião de acordo com a realidade das diversas famílias existentes, avaliando assim o conceito de família.

Mais Médicos: O Programa Mais Médicos tem sido um grande incentivo para a melhora do estudo e da profissionalização de pessoas que almejam se tornar médicos. Há médicos do exterior realizando trabalhos no Brasil. O vestibulando poderá articular sobre o tema de acordo com sua visão, levando em conta os resultados do Programa.

Por Isabela Palazzo


A língua escrita utiliza-se de certos sinais gráficos para poderem expressar intensidade, emoção e pausas. Esses são elementos da oralidade que são transpostos para a modalidade por meio do que chamamos de pontuação.

Um dos grandes problemas, e que conta muito ponto, é a utilização correta da vírgula. Assim, buscamos analisar, de forma breve e objetiva, o uso dessa ferramenta.

Primeira dica em relação à vírgula, é que não separamos sujeito de predicado. Exemplos:

– Paulo comprou um carro (correto)

– Paulo, comprou um carro (errado)

Os termos repetidos também vêm separados por vírgulas. Exemplo: 

– Nada, nada, nada, nunca tinha nada.

O vocativo também vem separado por vírgulas, exemplo:

– Maria, venha cá menina!

As orações intercaladas também demandam a utilização da vírgula, exemplo:

– Não sei se eu vou à festa, respondi eu.

Os adjuntos adverbiais que iniciam as frases também utilizam a vírgula:

– Hoje, vou almoçar na fazenda

Utilizamos também a vírgula para separar datas e nomes de locais. Exemplo:

– São Paulo, 25 de dezembro de 2014.

Na elipse do verbo também se usa:

– Ela comprou um sorvete; eu, depois.

A vírgula também é utilizada para separar explicações, como:

– João, o rapaz do mercado, casou-se com Maria.

Um dos pontos que causam muita dúvida é o emprego da vírgula antes da conjunção “e”. Para usar corretamente essa pontuação, devemos ter em mente que a segunda oração do período trata-se de um sujeito ou assunto diferente da primeira, exemplo:

– A lua descia lidamente, e a noite tinha um clima agradável;

Quando temos um sujeito composto, tendo mais de três pessoas, utilizamos também:

– João, Rafael e Ricardo compraram um pequeno rancho.

– São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais são integrantes da região sudeste do Brasil.

Para quem está estudando para vestibulares ou concursos, um exercício bastante interessante de ser feito é pegar textos de revistas, jornais e livros e buscar explicação para utilização de cada vírgula, assim, você consegue aprender na prática as regras de utilização.

Por Thiago José Fernandes


O momento mais difícil para os estudantes é a hora de escrever uma redação. Na maioria dos concursos e vestibulares, a redação tem o mesmo peso que as questões de múltipla escolha e é neste momento, da escrita, que temos a oportunidade de mostrar nossas competências linguísticas, contudo, muitas pessoas não estão preparadas ou não se sentem preparadas o quanto gostariam.

Saber escrever é algo de extrema importância, mas, para você redigir bons textos, é essencial ter o hábito de leitura e usar todas as regras da Língua Portuguesa corretamente.

Nós sabemos que essa tarefa não é tão fácil, por isso listamos algumas dicas que podem te ajudar na hora de redigir uma redação:

– Não faça criticas sem fundamento ou sem objetivos. Se for analisar algo, se baseie em fatos e acontecimentos reais;

– Sempre apresente soluções coerentes para problemas levantados;

– Opte por uma linguagem mais simples;

Não use jargões, gírias, coloquialismo e palavrões na sua redação;

Nunca abrevie palavras: "vc", "msm","qdo", entre outras;

– Seja claro e objetivo. Não se esqueça de fazer um parágrafo para introdução, um para o desenvolvimento e um para a conclusão;

–  Se você começou a escrever um novo argumento, coloque ponto final e não vírgula;

– Não se esqueça da concordância verbal. Se o sujeito está no plural, o verbo também deverá estar;

Não repita palavras incessantemente, use sinônimos;

– Respeite o numero máximo e o mínimo de linhas estipulado;

– Capriche na letra, se você não confia na legibilidade de sua caligrafia, use a letra de fôrma;

– Escreva muitos textos antes da sua prova, isso pode te ajudar a aprimorar as técnicas de redação;

– Evite escrever períodos longos;

– Fique atento à coerência e à coesão;

– Reserve um tempo para reler o texto, pois, quando relemos nossa redação, podemos encontrar alguns erros;

–  E sempre faça essa pergunta a você mesmo: será que um leitor entenderia sobre o que estou escrevendo?

Por Raquel Alice





CONTINUE NAVEGANDO: