Prazo para os candidatos efetuarem o pagamento da taxa de participação se encerra nos próximos dias. Confira aqui mais informações.

Você se inscreveu para o Enem 2016? Quem é aluno de escola pública e está no último ano do ensino médio conta com isenção da taxa de inscrição. Os demais puderam pedir isenção ou terão que pagar a taxa até o dia 25 de maio, ou seja, faltam dois dias. O pagamento pode ser feito nas agências dos Correios, Casas Lotéricas ou na agência bancária de sua preferência.

O último dia de inscrição foi 20 de maio. Até o término, mais de 8 milhões e duzentas mil pessoas preencheram a ficha no site do Inep. Para que a inscrição seja confirmada, os não isentos devem quitar o boleto com a taxa. Só depois do prazo é que o número exato de participantes confirmados no Exame Nacional do Ensino Médio vai poder ser divulgado pelo Inep.

As provas já têm data para acontecerem. Nos dias 5 e 6 de novembro todos os inscritos deverão se dirigir ao lugar informado pela equipe do Inep para a avaliação. No primeiro dia, a prova tem duração de 4 horas e 30 minutos e abordará questões de ciências humanas e de ciências da natureza. No segundo dia o tempo é um pouco maior, de 5 horas e 30 minutos, com questões sobre matemática, linguagens e códigos e suas tecnologias. Além das perguntas de múltipla escolha, o candidato terá que fazer uma redação.

O horário a ser seguido é sempre o de Brasília. Os portões vão ser abertos para os candidatos às 12 horas e serão fechados às 13 horas. A prova começa apenas às 13 horas. O gabarito oficial será liberado pelo Inep apenas no dia 9 de novembro de 2016.

Cursinho Gratuito a distância para o Enem 2016

Os estudantes contam com uma novidade lançada pelo Ministério da Educação, o Hora do Enem. Trata-se de uma plataforma virtual totalmente gratuita que oferece aulas e simulados com os conteúdos que serão cobrados na prova.

Os conteúdos podem ser acessados por todos os interessados. Após cadastro, o próprio Hora do Enem ajuda o estudante a fazer um cronograma de estudos para o Enem 2016. O acesso é gratuito e pode ser feito através do site oficial do Enem. O Hora Brasil também passará aulas pelo TV Escola.

Por Milena Godoy


Instituição contemplou 259 candidatos com a isenção da inscrição.

O IFG (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia) publicou na quinta-feira, dia 21 de janeiro, o resultado final das requisições de isenção do pagamento da taxa de inscrição para seu Vestibular 1/2016 via ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio). Tais pedidos foram recebidos no período entre os dias 11 e 15 de janeiro de 2016.

Os candidatos que realizaram as inscrições e estavam esperando pelo resultado podem conferir a lista final através do endereço eletrônico da própria instituição: http://www.ifg.edu.br/selecao/index.php/vestibular.

Ao todo 259 vestibulando foram contemplados com a gratuidade para prestar o vestibular 1/2016. Para que os candidatos pudessem adquirir o benefício era preciso que o mesmo tivesse realizado o estudo de Nível Médio de forma integral na rede pública de ensino, ou então, se tivesse estudado em rede particular, deveria ter feito uso de bolsa integral, além também de possuir uma renda familiar por pessoa igual ou abaixo de 1 salário mínimo e meio. 

Os estudantes que não receberam o benefício da isenção terão de se inscrever até o próximo dia 25, segunda-feira, realizando o pagamento de uma taxa no valor de 30 reais. 

Já os que ainda não realizarão as inscrições no certame, poderão efetivar seu cadastro no prazo máximo do dia 24 de janeiro, domingo, porém, é necessário que tenha feito as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), nos anos de 2013, 2014 ou então 2015. 

O resultado deverá ser divulgado no dia 16 de fevereiro e os candidatos aptos terão de realizar sua matrícula entre os dias 17, 18 e 19 de fevereiro de 2016. É ofertado um total de 516 vagas, distribuídas entre 14 cursos, que são ministrados em 12 campus. Metade destas oportunidades são para rede pública de ensino.

Os candidatos que desejam obter mais informações deverão acessar o edital do processo de seleção, disponível no mesmo link informado acima.

Nádia Neves


A Comvest, Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp, irá beneficiar mais de 4.500 vestibulandos com a isenção de pagamento da taxa de inscrição para realizar o vestibular Unicamp 2015. No ano anterior, foram pouco mais de 4 mil candidatos beneficiados com essa isenção.

Os candidatos contemplados deverão consultar no site http://www.comvest.unicamp.br/vest2015/isencao/contemplados.html a lista com os nomes e o código de isenção, utilizado para realizar a inscrição sem pagar a taxa de R$ 140,00.

Os candidatos que cadastraram o número de celular para receber informações via SMS, receberão um aviso por mensagem contendo o código de isento.

As inscrições para o vestibular poderão ser realizadas entre os dias 11 de agosto e 11 de setembro, apenas pela internet. O prazo para o pedido de isenção encerrou no mês de maio.

Foram oferecidas três modalidades diferentes de isenção: 1 – para estudantes que cursaram o nível fundamental e médio em escolas públicas e são provenientes de famílias de baixa renda; 2 – funcionários da Unicamp/ Funcamp; 3 – Candidatos aos cursos de Licenciatura para o período noturno (Matemática, Pedagogia, Física, Química, Letras e Ciências Biológicas) que realizaram o ensino médio e fundamental em escolas públicas.

Na modalidade 1 foram beneficiados 3.834, na modalidade 2 foram 10 candidatos e na 3 outros 722 candidatos.

Vale lembrar que as pessoas isentas do pagamento não estão automaticamente inscritas no vestibular. A inscrição deve ser feita no mesmo período que os outros candidatos.

A isenção do Vestibular Nacional da Unicamp faz parte do Programa de Ação Afirmativa e Inclusão Social, que também prevê a possibilidade de somar pontos adicionais na nota final dos estudantes que cursaram o ensino médio em escola pública.

Os estudantes que optarem por essa opção recebem 60 pontos a mais na segunda fase, no caso de terem estudado em escolas públicas, e 20 pontos no caso de pretos, pardos e indígenas que também tenham estudado em escola pública. 

Por Jéssica Posenato





CONTINUE NAVEGANDO: