Saiba como funciona o Fundo de Financiamento Estudantil, o que é e quem tem direito.

No universo dos estudantes e universitários muito se ouve falar sobre o Fies. Se você já ouviu falar sobre esse financiamento não sabe ao certo, continue lendo este artigo e saiba esse importante programa do governo federal que têm possibilitado a formação universitária de milhares de brasileiros.

– O que é o Fies?

O Fies é o Fundo de Financiamento Estudantil, que é um importante programa criado pelo Ministério da Educação, o MEC e que se destina a beneficiar estudantes da rede privada de ensino superior, concedendo-lhes o financiamento dos custos do curso em que se encontram matriculados.

– Como funciona o Fundo de Financiamento Estudantil?

O Financiamento permite que os estudantes que não possuem condições de pagar as mensalidades referentes aos cursos superiores em que estejam matriculados, continuem frequentando a faculdade e somente após a graduação é que eles vão pagar o curso através de um financiamento, sendo submetidos à taxas de juros determinadas pelo governo Federal. Dependendo do curso, os alunos precisam a cada três meses pagar uma taxa também. Além disso, o programa impõe regras a seus inscritos e estas devem ser seguidas para que o contrato não seja cancelado.

– Quais são as regras para o Fies?

Pois bem, as regras a partir do ano que vem (2018) serão modificadas. Até esta semana em que as inscrições para o programa estão abertas, as regras válidas ainda serão as antigas. Veja algumas delas:

– A taxa de juros anula é de 6,5%;

– A cada período de três meses o estudante precisa pagar uma taxa de até R$ 150,00;

– A renda familiar bruta per capita deve ser de até três salários mínimos;

– Ter realizado o Exame Nacional do Ensino Médio em qualquer edição a partir do ano de 2010;

– Ter alcançado uma nota mínima de 450 pontos no ENEM, além de não ter zerado a Redação;

– Possuir matrícula em instituição de Nível Superior que atenda as exigências do MEC;

Seguindo as regras, o estudante após a sua formação ainda terá o prazo de 18 meses para começar a pagar as parcelas de seu financiamento sendo que o valor destas parcelas não deve ultrapassar o valor de R$173,00.

Para mais informações acesse http://sisfiesportal.mec.gov.br/?pagina=faq.

Por Sirlene Montes


Muitos alunos estão aguardando com muita ansiedade a abertura do Sistema Informatizado do Fies (SisFies), que é o Financiamento Estudantil que oferece as menores taxas de juros no Brasil.

O sistema ficou fora do ar após o Ministério da Educação  fazer a divulgação da criação de novas regras para fazer a contratação desse benefício. Com as novas alterações que foram realizadas, só poderão se inscrever no Fies as pessoas que fizerem o Enem e tiveram a nota igual ou superior a 450 pontos e nota acima de zero na redação.

De acordo com o MEC, os interessados em usar o Fies nesse primeiro semestre de 2015 poderão se inscrever a partir do dia 23 de fevereiro de 2015, segunda-feira, dia em que o sistema vai voltar funcionar.

O SisFies vai ficar disponível até o dia 30 de abril, e somente após essa data vai ser necessário estar dentro das novas regras conforme descrevemos acima. Essas informações foram também divulgadas no Diário Oficial.

Caso tenha interesse em se cadastrar no Fies acesse o site sisfiesportal.mec.gov.br. Faça isso durante o período mencionado, lembrando que somente os alunos que já estão matriculados poderão fazer o preenchimento do formulário de interesse.

Após fazer o cadastro no site o aluno terá o prazo de até dez dias para fazer a validação das informações, sendo preciso comparecer em uma agência bancária com todos os documentos para a contratação do benefício. Os bancos que oferecem essa parceria são: Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil.

Existe a estimativa que cerca de 500 mil pessoas estão interessadas em fazer a contratação do Fies nesse começo de 2015, e caso tenha interesse em conhecer mais sobre o programa acesse o site indicado acima.

Com o Fies é possível financiar de 50% a 100% da mensalidade, sendo isso de acordo com a necessidade de cada aluno. Caso escolha financiar 50% da mensalidade, a outra parte vai ficar por conta do aluno.

Por Yasmin Fernandes Robles


Quem quiser participar do processo seletivo Vale-Universidade deverá ficar atento ao prazo de inscrição, ele inicia no dia 4 de fevereiro e ficará em aberto até o dia 4 de março. Para se inscrever o interessado precisará acessar o endereço eletrônico www.sedhast.ms.gov.br.  

O Programa Vale-Universidade tem como principal meta oferecer ao jovem universitário a oportunidade de melhorar a sua formação acadêmica. O Programa é voltado para estudantes de baixa renda e através dele o jovem poderá conseguir um benefício social para que seja viável a sua formação profissional.

No Vale-Universidade o Estado paga 70% e a instituição de ensino fornece 20% de desconto, assim o estudante deverá pagar apenas 10% e o jovem terá 90% de incentivo. A realização do Programa Vale-Universidade está sendo executado e regulado pela Superintendência de Projetos Especiais, a Suproes, ela é vinculada à Secretaria de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho, conhecida como Sedhast. 

Logo após a recepção das inscrições dos interessados, haverá a classificação preliminar dos candidatos. Os estudantes pré-selecionados terão os seus nomes divulgados na lista de aprovados no endereço eletrônico da secretaria e nas instituições conveniadas ao Programa. A publicação dos aprovados também deverá informar quando, em que horário e onde os estudantes deverão se apresentar para efetuar a matrícula. 

Para participar do processo seletivo é necessário que o interessado possua uma renda no valor máximo de R$ 1.448,00 e a renda familiar também não deverá superar R$ 2.896,00, outra condição necessária é que o interessado esteja regularmente matriculado numa instituição de ensino superior e curse uma graduação no Estado do Mato Grosso do Sul em um centro de educação conveniado ao programa. O interessado não poderá possuir nenhuma graduação concluída. Além dessas exigências, o estudante não poderá possuir registro de reprovação em nenhuma disciplina até a data de inscrição no processo seletivo. 

Os classificados deverão realizar estágio cumprindo uma carga horária de 20 horas por semana, o horário do estágio não poderá influenciar nos horários de aula. O estágio terá duração de seis meses, no entanto o contrato poderá ser renovado no máximo até a data término do curso, pelo trabalho o governo oferece 70% de custeio do valor mensal do curso, a quantia máxima a ser paga pelo governo é de um salário mínimo. Quem estiver cursando a graduação numa Universidade pública, o valor a ser recebido como benefício social será similar ao benefício recebido por estudantes da rede privada. 

Por Melina Menezes





CONTINUE NAVEGANDO: