Enem 2019 – Atraso no Cronograma





Cronograma do Enem 2019 está em atraso e deverá ser divulgado nos próximos dias.

Uma importante notícia para quem pretende realizar o Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem, este ano. O Ministério da Educação, o MEC, diante de todas as confusões que o envolvem, por meio de sua comissão formada, estaria tendo dificuldades para o processo de analisar as questões do exame. Com isso, os indicativos são grandes sobre um possível atraso no cronograma desse, que é o maior vestibular do país.

O grupo começou a sua atuação no dia 20 de março e tem a previsão de finalizar o processo nesta sexta-feira, dia 29, ou na segunda-feira, dia 1º de abril. Até onde se sabe, a regra prevê uma duração máxima de 10 dias para a análise.




Foco do problema

Um dos grandes problemas enfrentados pela comissão é que, diante de perguntas que são consideradas inadequadas para o exame, é obrigatório o parecer do diretor relacionado à Diretoria de Avaliação da Educação Básica, a Daeb. Essa se refere ao Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais, o Inep. Assim, desde a última quarta-feira, dia 27 de março, o cargo está em aberto, após o pedido de demissão de Paulo Roberto Cesar Teixeira. Até o momento dessa matéria, ninguém havia sido nomeado para a substituição. Não bastasse isso, o presidente do Inep também seria o responsável pela função de dar um parecer final sobre as questões que são aprovadas ou não para a prova. O cargo era ocupado por Marcus Vinicius Rodrigues, que foi exonerado da função na terça-feira, dia 26 de março, após um desentendimento com o atual ministro Ricardo Vélez Rodriguez. O foco do atrito se deu após alegações do chefe da pasta de que Rodrigues havia aprovado importantes mudanças relacionadas à avaliação para a alfabetização, tudo sem o seu consentimento.

Para dar seguimento ao processo, somente após a comissão finalizar todo o seu trabalho é que será possível escolher e decidir sobre as 180 questões para o exame deste ano. Por si só, trata-se de um trabalho demorado, já que lida com uma análise técnica e pedagógica minuciosa, seguindo um rigoroso padrão e método estatístico.


O Enem é realizado no mês de novembro. Em informações exclusivas do jornal O Estado de São Paulo, a comissão é formada por três membros que são os responsáveis pela análise transversal de todos os itens do Enem. Portanto, o objetivo dessa é o de identificar as abordagens controversas e com teor ofensivo sobre os grupos sociais e segmentos, costumes nacionais, tradições e simbolismos.

Presidente do Inep

Uma das grandes polêmicas do momento se refere ao general Francisco Mamede de Brito Filho, que está assumindo todas as funções do presidente do Inep. Não bastasse a sua não nomeação, muitos criticam sua escolha, uma vez que ele não possui qualquer tipo de experiência em avaliações desse porte ou na área da Educação.

Sobre a sua trajetória, sabe-se que Francisco comandou o Batalhão Brasileiro no Haiti e que, ainda, serviu no Gabinete de Segurança Institucional juntamente ao Presidente da República. Anteriormente à demissão de Rodrigues, o general era o chefe de gabinete do Instituto Nacional, desenvolvendo apenas algumas funções burocráticas do mesmo. O militar serviu no Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República e comandou o Batalhão Brasileiro no Haiti. Até a demissão de Rodrigues, ele era o chefe de gabinete no Inep e tinha apenas funções burocráticas.

Vélez e as nomeações para seu gabinete

Ricardo Vélez Rodriguez também nomeou na última quarta-feira, dia 27, duas pessoas para os cargos de assessoria em seu gabinete. O primeiro é Ricardo Luiz Silveira da Costa, um importante especialista em Inquisição e História Medieval. Já Murilo Resende, defensor da escola sem partido, acabou sendo promovido para a atuação direta com Vélez. O mesmo nome havia tido indicações iniciais para a diretoria responsável pelo Enem. Porém, após repercussão negativa, o mesmo foi designado como assessor em outra secretaria. Vale lembrar também que Tânia Almeida pediu a exoneração de sua função na Secretaria de Educação Básica do MEC, em publicação no Diário Oficial. Almeida deixou o seu posto após a publicação da pasta sobre uma portaria que suspendia as avaliações de alfabetização no país. Para o lugar dela, foi indicado Alexandro Ferreira de Souza, que ocupava até então o cargo de secretário na Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica.

Por Kellen Kunz

Prova Enem



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *