Proibição da Criação de Novos Cursos de Medicina



Governo pode proibir a criação de novos cursos de medicina por 5 anos.

O atual presidente da república, Michel Temer, vai embargar a abertura de novos cursos de medicina por um período de 5 anos.

É isso mesmo! Para que essa medida seja adotada basta apenas que o presidente assine um decreto autorizando essa ação proposta pelo Ministério da Educação . Desse modo, o documento já está pronto e aguardando pela sua assinatura.



De acordo com informações do jornal Folha de São Paulo, o atual ministro da educação afirmou que o documento já está no interior do gabinete do presidente e, com isso, pode ser assinado a qualquer momento.

Segundo o ministro, a decisão de não criar outros cursos de medicina e assim contribuir para a ruína da educação tem motivos econômicos: isso mesmo! Não há condições financeiras de arcar com despesas para tornar os cursos de medicina como um curso de qualidade. Sendo assim, paralisar o desenvolvimento da Medicina no Brasil é um bem para a população brasileira em geral, pois dessa forma estão salvando inúmeras vidas ao evitar que elas possam ser atendidas por um médico com má formação superior e , assim, morram por pura negligência.

Essa decisão é um tanto contraditória, já que como todos sabem, o Brasil é um dos maiores importadores de profissionais médicos, especialmente de Cuba. Dessa modo, parece que o Brasil carece de mão-de-obra médica, principalmente para prestar serviços em hospitais públicos. Mas ao que parece, nem com esses fatos, que podem ser percebidos por qualquer um o governo, parece se importar tanto com a educação quanto com a saúde pública.



O importante é que a população não se deixe enganar com conversinhas desse tipo, já que todos sabem que no governo brasileiro o que não falta é dinheiro. Dinheiro para ser gasto com Copa do Mundo, Olimpíadas, superfaturamento, propina e tantos os outros tipos de corrupção que nós sabemos que existem com o dinheiro público.

Sendo assim, é a população que sai perdendo, pois se nos dias de hoje já há falta de profissionais atendendo nos hospitais públicos, pode imaginar nos próximos anos? O déficit será ainda maior, pois embora atualmente haja inúmeros médicos formandos-se, é preciso pensar que a população brasileira vai envelhecer e dessa forma, o número de profissionais disponíveis para o número de pacientes vai despencar.

Quanto a preparação nas universidades, isso não é verdadeiramente o problema, uma vez que todos já estão cansados de saber que a grande maioria das universidades federais funcionam de forma precária, isto é, tanto o ensino quanto as instituições são precárias. Mesmo assim, por ano, formam-se inúmeros profissionais de medicina, mas nos próximos anos esse número será constante e não vai suportar a demanda.

Essa medida só serve para comprovar o total descaso de nossos governantes com a educação e a saúde brasileira. Sabe-se que, no Sisu, o curso de Medicina é o mais procurado, ou seja, que carece de maior nota de corte. Sendo assim, com tantos candidatos dispostos a trabalhar e dedicar uma vida à medicina (como já dedicam estudando para a prova do ENEM, que já não é muito fácil), é justo negar a eles a oportunidade de transformar a saúde brasileira para melhor? Pois é isso que já está acontecendo.

E o resultado disso tudo é o agravamento de uma situação que, infelizmente, também já acontece com frequência no Brasil, isto é, inúmeras pessoas que morrem nas filas dos hospitais esperando por atendimento, esperando por consultas com especialistas pois não tem o dinheiro para pagar.

Mas se o governo federal quiser mudar esse cenário, quem sabe não seja necessário, antes, mudar uma série de condutas erradas na política brasileira?

Ana Paula Oliveira Coimbra





Postar Comentário