Vestibular IFF-RJ 2019 – Provas da 2ª Fase




Provas serão aplicadas no dia 25 de novembro de 2018.

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense aplicará a segunda fase das provas do Vestibular 2019, válidas para o primeiro semestre.

Para quem gosta de dormir é bom prestar atenção nos horários, já que a prova terá início às 8:30, entretanto, são exigidas a pontualidade de no mínimo uma hora, ou seja, 7 horas e 30 minutos deverão já estar no local onde serão realizadas as provas.


Vale lembrar que não basta apenas levar os documentos de identidade, o cartão de confirmação e caneta esferográfica de tinta preta, como são exigidas também para prestar o ENEM.

Exigência da prova

Como de costume, é exigida uma prova de redação para poder ser redigida com clareza, objetividade, argumentação precisa e solução para o problema apresentado. A segunda fase é válida para os seguintes cursos: Arquitetura e Urbanismo, Música e Design Gráfico.

A prova tem caráter simples, já que para passar à segunda fase do IFF era necessário ao menos ter acertado 20% da prova, sem ter zerado nenhuma das questões de conhecimento. Nesta segunda fase, a prova terá duração máxima de duas horas.


Vagas e o resultado

Neste ano serão ofertadas cerca de 522 vagas, sendo que a metade será destinada a pessoas que possuem cotas, além de estudantes de escolas públicas, pretos, pardos, indígenas e quem possui algum tipo de deficiência, seguindo as normas protocolares da maioria das universidades.

O resultado final sairá no dia 13 de dezembro e o prazo de matrícula serão entre os dias 13 e 15 de janeiro.

Dicas para se dar bem na prova

Uma das questões mais complicadas para todo estudante que quer passar em uma universidade federal é justamente como vai se preparar para a prova.

A tão temida prova não tem erro, mas é necessário preencher certos requisitos fundamentais para se sair bem nos vestibulares no geral. O primeiro deles são os mapas mentais.

Os mapas mentais servem como organogramas ou nas categorias de lógica, ou seja, existe um parâmetro a ser seguido para conseguir extrair todo conteúdo que deve ser revisado, aprimorado e entendido da melhor forma possível.

Além disso, estes mapas servem como auxiliadores para fugir um pouco do habitual, ao invés de ler muito e entender pouco. Vale recordar que antes de mais nada, o que vale a um estudante não é válido para outro, ou seja, cada caso é um caso.

Para questões que envolvem exatas, é necessário ver os conhecimentos mais complicados de serem compreendidos logo de cara, entre eles, matérias de química do terceiro ano como hidrocarbonetos e funções químicas, matérias que normalmente a maioria dos candidatos possuem certa dificuldade.

Na tão temida física, é bom recordar temas como movimento retilíneo uniforme, movimento retilíneo uniforme variado, óptica e toda parte dos circuitos elétricos.

Na parte de matemática é válido recordar tanto geometria espacial quanto analítica, onde a maioria dos estudantes possuem um grau de dificuldade maior, assim como questões de trigonometria, que são cobrados em extrema frequência, eliminando muitos alunos por não compreenderem da maneira correta o problema apresentado.

Quanto as questões de linguagens, é válido dividir em duas grandes partes. A primeira parte é ler bastante todas as questões (isso em sua preparação) para chegar na hora da prova e aguentar o pique das perguntas complicadas e sugestivas que induzem o candidato ao erro a todo instante.

Na segunda parte é bom recordar as questões ambíguas e interpretar Mafalda, Haron e Calvin com perfeição.

A partir dessas dicas é possível que o candidato saia melhor preparado e, por conseguinte, saia das provas mais tranquilo e com a consciência de que realizou um grande exame, com chances de passar sem maiores dificuldades, independente do resultado de seus concorrentes.

Thalles Cakan



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *